quarta-feira, 29 de junho de 2011

CHOCOLATE PODE AJUDAR A PERDER PESO!

O  DOCE  TÃO  TEMIDO

E GOSTOSO...

O doce tão temido - e gostoso - pode ajudar a perder peso, acredite

Toda mulher que começa a planejar uma dieta sabe de cor que hábitos alimentares deve eliminar. O chocolate costuma aparecer no top 10 dos inimigos da balança. Mas a notícia a ser comemorada é que ele pode, sim, virar um grande aliado na perda de peso.
A sensação de prazer e a redução da ansiedade proporcionada pelos tabletinhos podem ser a chave para manter o equilíbrio mental e o ânimo, e ainda deixar o corpo em dia sem se privar do que é gostoso.
Comer chocolate pode ser um ato saudável se incluído em uma dieta equilibrada, já que, como asseguram os nutricionistas, ele possui diversas características nutricionais benéficas. "Quando o chocolate é consumido, há a liberação de endorfina, que propiciade imediato a sensação de prazer. Além disso, o cacau possui nutrientes como ateobromina e a feniletilamina, relacionadas à melhora do estado emocional", destaca a nutricionista da Unifesp Camila Leonel.
O status de vilã a iguaria carrega se deve às gorduras saturadas que a compõem. De acordo com a nutricionista da USP Roseli Ueno Ninomiya, os chocolates com maior teor de cacau são os que têm maior valor nutricional e menor índice de gorduras ruins, contribuindo para a sua saúde cardiovascular. "Quanto maior o teor de cacau, maispoderosas serão suas propriedades antioxidantes, que ajudam a reduzir os radicais livres na corrente sanguínea. O cacau puro é rico em flavonoides e polifenois, potentes antioxidantes", completa Ninomiya.
A iguaria também dá um empurrãozinho na autoestima. "O sabor doce trabalha muito a sensação do prazer, do alívio. Essa sensação libera a serotonina, um neurotransmissor que ajuda a reduzir a ansiedade. Pode beneficiar a mulher que sofre de TPM, por exemplo", diz a nutricionista da USP.
A característica nutricional mais conhecida do chocolate é ser fonte energética. Assim, funciona como combustível do corpo para exerceratividades físicas, essencial para uma dieta eficaz. "A teobromina estimula o sistemanervoso central, em especial o sistema muscular, deixando a pessoa mais ativa. Já a feniletilamina atua na síntese da serotonina, neurotransmissor bastante conhecidocomo ‘substância química do bem-estar'", completa a especialista da Unifesp.
SEM EXAGEROS!

Ok. A notícia de que o chocolate agora pode ser amigo da boa forma faz o nosso prazer pesar bem menos na consciência. Mas é claro que tudo depende de uma alimentação balanceada e regrada. "A determinação de quanto você precisa consumir de calorias e nutrientes ao longo do dia depende de sexo, faixa etária, peso, estatura, nível de atividade física e condições especiais", esclarece Camila Leonel.
Ainda que contem todas essas variáveis, a média diária de consumo não deve ultrapassar os 15g. "Como é difícil discernir entre cada chocolate e cada indivíduo, o melhor é manter-se em 15g diárias duas vezes ao dia. Após o almoço e no lanche da tarde", continua ela, acrescentando que esses são os momentos em que as propriedades do chocolate irão auxiliar melhor o funcionamento do corpo.
"À noite, nem pensar! Você não irá queimar a ingestão calórica antes de dormir", adverte. Outro alerta tem relação com o chocolate branco e tentações como trufas e cupcakes. "O chocolate branco é feito da manteiga de cacau, ou seja, muito mais calórico. O chocolate preto possui muito mais proteínas. Nos bombons, o problema está nosrecheios, repletos de creme de leite, corantes, açúcar em excesso e gorduras. O ideal éuma barrinha de chocolate preto pura", recomenda.
Em termos de composição, uma barra de chocolate (30g) contém em média 150 calorias e entre 2g e 3 g de proteína, sempre lembrando, claro, que há diferentes tipos de chocolate. Quanto mais cacau, menor será o desejo de consumir açúcar. Nesta categoria estão incluídos os amargos. Chocolate diet, ao contrário do que você escutou por aí, apresentammais gordura do que os convencionais, tornando-se, portanto, mais calóricos. "Por isso é importante prestar atenção nas embalagens", conclui Leonel.

FONTE: http:// msn.bolsademulher.com

terça-feira, 28 de junho de 2011

DOR NO PESCOÇO? PODE SER EMOCIONAL


A dor no pescoço é vice-campeã de reclamações nos locais de trabalho. A campeã é a dor nas costas. Nos Estados Unidos, por exemplo, pacientes crônicos têm direito a reduzir atividades que possam agravar o quadro e a acomodações apropriadas no ambiente profissional. De acordo com o ortopedista Gilberto Anauate, do Hospital Santa Paula (SP), a dor no pescoço não é causada apenas pela má postura, podendo ser um problema emocional.

“O estresse pode ser o grande vilão da cervicalgia em grande parte dos casos. Os músculos localizados atrás do pescoço têm de estar sempre tensos para suportar a parte de cima do corpo. Quando eles trabalham além da conta, sofrendo contrações constantes de fundo nervoso, a dor é inevitável. Inclusive, pode ser irradiada para os ombros ou ainda resultar em dor de cabeça”, diz o médico.

O ortopedista afirma que, por apresentar grande mobilidade em relação ao restante da coluna, a região cervical está mais sujeita a dores e contraturas musculares devido à friagem e, principalmente, episódios de alta tensão psicológica. Uma vez diagnosticada a raiz do problema, Anauate orienta o paciente a buscar ajuda especializada.

“Cada vez mais surgem recursos terapêuticos que podem amenizar a dor no pescoço. O paciente pode ser orientado a seguir um tratamento à base de anti-inflamatórios e relaxantes musculares, ou mesmo a buscar terapias complementares, como a acupuntura. O ideal é que seja feita uma investigação personalizada”. O médico faz ainda um alerta: “Ninguém pode se acostumar com a dor. Se ela começar a irradiar para os braços, ou se o paciente começar a sentir ‘pinçadas’ no pescoço, é necessário uma investigação diagnóstica mais detalhada”.

O doutor Gilberto Anauate aponta sete dicas para driblar a dor no pescoço:

1. Nos dias frios, agasalhe-se bem e evite tomar friagem;

2. Quem trabalha o dia inteiro diante do computador deve fazer pausas para movimentar ombros e pescoço lentamente, por alguns minutos, a cada duas horas. Esse hábito alivia a tensão que normalmente se acumula ao longo do dia;

3. Quem passa horas no trânsito não pode descuidar do pescoço. Além do cinto de segurança, é importante contar com um encosto de cabeça devidamente ajustado ao corpo, mantendo os braços esticados e as mãos firmes no volante. Não dirija se a dor estiver muito forte;

4. Massagens suaves com óleos aromáticos ou anti-inflamatórios em gel ou creme também contribuem para aliviar a dor;

5. Donas-de-casa devem se acostumar com novos hábitos na hora de se abaixar ou suspender objetos. É importante usar mais a força das pernas para abaixar ou se levantar.

6. É importante praticar regularmente atividades de relaxamento para a mente e o corpo. Isso inclui terapias alternativas, hobbies, ou simplesmente se dar ao luxo de descansar mais;

7. Usar travesseiro é indicado. Mas a escolha deve recair sobre um modelo que não seja nem muito fino, nem muito grosso. O ideal é dormir de lado e escolher um travesseiro que se encaixe muito bem entre a extremidade do ombro e o início do pescoço.
 
FONTE:http://vivermelhor.terra.com.br

INVERNO...FRIO...LEMBRA...CACHECOL!

Dez maneiras de usar o cachecol

Crédito: Sxc.hu
Além de funcionais e perfeitos para o inverno, eles garantem toque de elegância a qualquer look Crédito: Sxc.hu
Crédito: Sxc.hu A gola extra está na moda e é feita com uma volta mais larguinha, como se fosse um colar curto Crédito: Sxc.hu
Crédito: Sxc.hu Deixar as pontas caídas para frente é uma das maneiras tradicionais de usar o cachecol Crédito: Sxc.hu
Crédito: Sxc.hu Transpassado sobre os ombros: a ideia é lançar uma das suas pontas sobre o ombro oposto Crédito: Sxc.hu
Crédito: Sxc.hu Neste inverno, aposte em cores, listras e estampas. Assim, você não vai errar Crédito: Sxc.hu
Nada representa mais a moda do inverno que o cachecol. Item mais festejado da estação, ele garante ares de elegância e sofisticação seja ao visual mais simples, como jeans e camiseta, ao mais requintado, como vestidos e terninhos. Além de tudo, promove proteção extra nos dias de frio intenso e vento gelado.
Bonitos e funcionais, os cachecóis têm outra vantagem, de acordo com quem cria tendências: a versatilidade. Ente cores, tecidos, texturas e formas de usar, há uma infinidade de looks que você pode criar a partir destas peças aparentemente despretensiosas. E o melhor? Sempre do seu jeito.
“O que mais gosto no cachecol, por exemplo, é que não existe regra para usar. Com nó simples ou duplo, enrolado no pescoço, caído sobre os ombros, com laço, solto ou preso com um broche: sempre dá para criar um estilo próprio, que é essencial para que seu visual tenha identidade”, acredita a estilista Erika Sato, de São Paulo.
Para a estilista, o inverno é a época perfeita para abusar de lenços, pashminas (aquelas peças maiores e retangulares, que ficam geralmente caídas sobre os ombros), echarpes e os próprios cachecóis, já que os tons de roupa são geralmente mais sóbrios e admitem que você ouse um pouco mais. Por isso, não tenha medo: aprenda formas diferentes de dar um up no visual com pouco trabalho.
As dez maneias de usar
Tradicional: apoie o meio da peça no pescoço, faça uma volta completa e deixe as pontas caídas, de um jeito descontraído. Fácil e rápido.
Modelos longos: quanto mais compridos, mais voltas você pode dar no pescoço, mas sem apertar. Além de aquecer, valoriza o rosto, já que o volume maior chama a atenção para a parte de cima do corpo.
Gola extra: você pode formar uma gola extra com o cachecol: para isso, é só fazer uma volta mais larguinha, como se fosse um colar mais curto.
Nó grande: dobre seu cachecol ao meio, envolva-o no pescoço e passe a ponta solta por dentro da dobra que ficou no lado oposto. O nó fica grande e o efeito, incrível. Para homens e mulheres.
Coleira: enrole todo o cachecol no pescoço e esconda as pontas por dentro da parte inferior da echarpe. Esse é mais um visual que chama a atenção para o rosto e fica ótimo com cabelos presos em coque ou rabo de cavalo.
Sobre os ombros: os cachecóis também podem ser usados simplesmente sobre os ombros. Os estampados ficam lindos com um look básico e dispensam o uso do casaco.
Transpassado sobre os ombros: não há nada mais simples do que colocar o cachecol e lançar uma das suas pontas sobre o ombro oposto: fica simples, bonito e não cai.
Cachecol com echarpe: sobreponha echarpe e cachecol sem medo, usando o mais groso por baixo, enrolado ao pescoço. Finalize com a echarpe também enrolada em uma única volta.
Como colar: junte as pontas do cachecol, formando um círculo e use-os como colar. Ideal para blusas sequinhas e um casaco por cima.
Com broche no centro: pode usar um broche para prender e dar um ar ainda mais romântico ao cachecol.

FONTE: http://inverno.terra.com.br/

SAIBA IDENTIFICAR HOMENS QUE NÃO QUEREM COMPROMISSO!

Os atores Hugh Grant, George Clooney e Owen Wilson são exemplos de homens famosos que têm medo de se comprometer, segundo autora

. Foto: Getty Images/Art by Terra


Hugh Grant, George Clooney e Owen Wilson são os famosos que têm "fobia" de envolvimentos sérios, segundo autora:
O namoro está indo de vento em poupa, até que o tema "planos" entra na jogada e coloca todo o amor à prova. Essa situação é bem comum entre os homens que têm medo de se envolver seriamente e acabam pulando de namoro em namoro sem se estabelecer com ninguém.
Para fugir dessas armadilhas e decepções, a autora do livro How to be a happy human, Pam Spurr, deu algumas dicas em coluna para o jornal britânico Daily Mail. Segundo ela, algumas pistas são facilmente identificadas e podem servir como um alerta para as mulheres que pretendem casar e ter filhos - o que, definitivamente, não faz parte do imaginário dos homens com medo de se comprometer.
Como exemplo, a autora cita o último relacionamento de George Clooney, que aparentemente entrou em declínio após sua namorada, a apresentadora de TV Elisabetta Canalis, contar para uma revista que gostaria de casar e ter filhos.
Outros solteirões convictos citados no artigo foram o ator Hugh Grant e Owen Wilson, que se separou recentemente da mãe de seu filho de cinco meses, alegando não estar pronto para se comprometer, aos 42 anos de idade.
Segundo Pam, homens que não gostam de compartilhar informações sobre a própria vida, cultivam uma lista extensa de ex-namoradas e alimentam relações estagnadas, negando-se a evoluir para o próximo passo, estão menos propensos a se envolver profundamente com uma mulher.
De um modo geral, os que têm "fobia" de relacionamentos também são aqueles que mantêm o controle total sobre todos os aspectos de suas vidas, como trabalho, tempo com os amigos e interesses. São atraentes, bons de cama e adoram a companhia feminina.
A especialista aconselha às mulheres que tomem cuidado ao encarar este tipo de relação. "Mesmo quando um homem nos diz não ter interesse em um compromisso, muitas mulheres não dão importância ou enxergam isso como um desafio", ela alerta. Para as que sonham com o matrimônio, ela aconselha: "ouça o que ele diz. Só o tempo dirá se a relação irá perseverar."

FONTE: http://mulher.terra.com.br/

quinta-feira, 23 de junho de 2011

VOCÊ SABIA QUE...

Guardar mágoas traz prejuízos à saúde de nosso corpo

Perdoar evita o estresse e economiza nossas energias

Quando alguém nos desaponta, nos fere, quando perdemos algo importante ou sofremos alguma injustiça, a raiva e a indignação são sentimentos normais, mas o problema é quando esses sentimentos se transformam em mágoa e amargura. No livro "O poder do perdão", o psiquiatra americano Fred Luskin, apresenta a sua experiência e estudos sobre esse tema. Ele demonstra que o processo de perdoar pode ser treinado e desenvolvido. Ele utiliza a metáfora de um aeroporto, que está com o tráfego aéreo congestionado, para explicar como fica a mente de uma pessoa, sobrecarregada pelas mágoas. Cada avião que está no ar é comparado a uma mágoa, que enquanto não pousa, fica exigindo energia e exaurindo os seus recursos.
Quando guardamos mágoas, o nosso cérebro produz substâncias químicas e hormônios ligadas ao estresse, que limitam as nossas ações e prejudicam nosso bem-estar.
Quando guardamos uma mágoa e pensamos na dor que sofremos, o cérebro reage como se estivéssemos em perigo naquele momento. Ele produz substâncias químicas ligadas ao estresse, que limitam as nossas ações. A parte pensante do cérebro fica limitada, é quando agimos sem pensar para nos livrarmos da sensação de perigo.

Portanto, a mágoa consome muita energia, pois cada vez que contamos o que aconteceu, os mesmos sentimentos são desencadeados. O cérebro não sabe distinguir se aquela traição ou agressão aconteceu agora ou há três anos.

Assim como escolhemos o canal de TV que queremos assistir, também podemos aprender a escolher qual o "canal" que estará passando na nossa mente. Podemos escolher pensar no quanto fomos vítimas, o quanto fomos machucados, e com isso perpetuar o nosso sofrimento ou podemos escolher pensar no quanto fomos fortes para sobreviver ao que aconteceu e mudar o nosso foco. Não significa que devamos passar por cima da tristeza, da dor e da raiva que sentimos, mas precisamos aprender que existe um tempo para esses sentimentos.  
Uma forma de mudarmos o "canal" da nossa mente é pensar em como podemos mudar a história da nossa dor. Qual a história que contamos para nós mesmos sobre o que nos aconteceu?

Relembrar o fato, falar disso inúmeras vezes, ficar no lugar de "vítimas" dentro da história que contamos, nos dá a sensação de que o sofrimento que passamos não será esquecido e que se e abandonarmos esse lugar, quem nos fez sofrer ficará liberado de pagar pelo que fez. Mas, conservar a mágoa, nos mantém ligados de forma ineficaz à pessoa que nos fez sofrer.

O outro provavelmente não está sofrendo, nem mais e nem menos, só porque mantemos a mágoa dentro de nós. 
Cada vez que contamos a história da nossa dor, ressaltando o quanto fomos vitimas daquela pessoa e enfatizando o quanto ela foi cruel conosco, continuamos dando poder a ela. Ficamos presos num papel que não deveria ser mais o nosso. Precisamos ultrapassar esse momento, precisamos nos curar.

Que tal parar um pouco e reformular a história da nossa dor? Sem forçar acontecimentos ou inocentar ninguém, mas colocando um foco nas nossas atitudes, no que fizemos e podemos fazer de construtivo diante do que aconteceu.  
 

MAQUIAGEM: INVERNO!!!

Confira dicas e produtos de make para ficar linda no inverno


Os dias frios de outono e inverno são um convite para se produzir de forma mais elegante. E o look ganha ainda mais destaque com uma maquiagem bem feita . Quer saber quais são as grandes apostas para blush, sombra e batom? Confira abaixo tendências e dicas, listadas pela maquiadora Shirlei Felix, professora do curso de maquiagem profissional do Ibeco.
 
1 - Os batons são fortes e vibrantes: berinjela, chocolate, uva, amora, vinho, vermelho e laranja. "Para uma aplicação perfeita, comece contornando com lápis para lábios no tom do batom ou cor-de-boca. Depois, com um pincel para lábios, passe o batom. O ideal é que o produto já tenha boa cobertura e fixação, mas pode investir em um primero antes dele";
2 - As opções de sombras são azul-marinho, prata, preto, grafite e coloridas em tons bem vibrantes;
3 - Aposte em blush pêssego, bronze, salmão ou bege-rosado;
4 - Peles claras combinam com rosa, vermelho, pêssego, nude e vinho. "Quanto mais intensa for a cor, mais vai se destacar na pele clara. Quando quiser amenizar a intensidade do tom, aplique em menor quantidade." As morenas ficam bem com laranja, vermelho, marrom-acobreado e salmão. As dicas para as negras são tonalidades mais intensas e vibrantes, como vinho, berinjela, chocolate e vermelho;
5 -Base, corretivo e pó devem ser do tom da pele. "O ideal é testar no rosto para identificar a tonalidade correta." Quem fica muito branquinha no inverno e se incomoda pode misturar a base do seu tom de pele com outra de um tom mais escuro, sem exagerar na quantidade para conseguir apenas um efeito levemente corado. Outra sugestão é usar blush bronze, caramelo ou salmão;
6 - O nude continua em evidência. Pode ser usado para equilibrar o visual, quando se elege um ponto de destaque e o restante é clean. Por exemplo, olhos com sombras vibrantes e batom no tom da pele;
7 - O delineador está em alta e vai desde o contorno mais discreto ao gatinho. Sempre retire o excesso de produto do pincel antes de começar o traço. Para quem não tem prática, vale fazer uma linha fina com lápis e passar o delineador por cima.


FONTE:http://beleza.terra.com.br

VOCÊ SABE O QUE É CINETOSE?

Cinetose é a causa de enjoos durante longas viagens

O popular "Mal do Movimento" pode ser tratado e, inclusive, evitado

É comum as pessoas sofrerem de náuseas, tonturas e até vômitos em viagens de carro, navio, barco ou avião. O que poucos sabem é que essas complicações têm nome e tratamento específico e são causadas por solavancos, acelerações, desacelerações e movimentações rítmicas ou bruscas que acontecem durante a viagem.
O Minha Vida conversou com especialistas no assunto que explicaram por que a
cinetose, ou Mal do Movimento, ocorre e como tratá-la.

Por que as pessoas enjoam?
O neurocirurgião do Grupo de Colunas do Hospital das Clínicas Alexandre Meluzzi explica que o órgão responsável pelo movimento é uma extensão no nosso sistema auditivo e possui uma estrutura chamada vestíbulo, popularmente conhecida como labirinto.  
cinetose - Foto Getty Images
Esse órgão tem três canais em formato de semicírculo, todos preenchidos com um líquido viscoso denominado endolinfa. O interior desses canais é revestido por células com diversos cílios ligadas a terminações nervosas, que estão em contato com nosso sistema nervoso central.
Os movimentos que nossa cabeça sofre durante as
viagens provocam o deslocamento desse líquido, desviando os cílios e gerando impulsos elétricos que chegam até o sistema nervoso central. Nosso sistema nervoso, por sua vez, responde a esses impulsos com a sensação de náusea, podendo a pessoa sofrer enjoos e vômitos.
Os especialistas chamam isso de "vestibulopatia" temporária, cinetose ou Mal do movimento. Alexandre alerta que esse estímulo pode até gerar uma inflamação no órgão do equilíbrio, intensificando os sintomas e causando uma espécie de labirintite. 
"Manter uma atitude positiva pode fazer a diferença", diz Alexandre
Amenize os sintomas
Feito o diagnóstico médico de cinetose, o paciente deve tomar certos cuidados quando for fazer viagens de carro, navio, barco ou avião.
O otorrinolaringologista Fernando Pochini, do Hospital São Luiz em São Paulo, recomenda que a pessoa escolha lugares no veículo onde a amplitude do movimento seja menor, como o banco do meio do carro ou as partes centrais - no avião ou navio - ao invés das pontas. No caso dos automóveis, Alexandre também recomenda viajar com velocidade reduzida, fazendo curvas mais largas. 
cinetose - Foto Getty Images
"Como há fatores psicológicos envolvidos, manter uma atitude positiva pode fazer diferença" conta o neurocirurgião Alexandre, que dá uma lista de recomendações simples:
- Não ingerir muito líquido ou alimentos antes de viajar;
- Fazer paradas se possível, no caso dos automóveis;
- Reclinar o banco quando possível;
- Resfriar o corpo;
- Não ingerir álcool, pois ele agrava os sintomas;
- Evitar leitura durante as viagens;
- Não olhar pela janela e para os objetos em movimento;
- Fazer exercícios posturais e de relaxamento;
- Repousar e dormir para ajudar a controlar os sintomas
.
A reabilitação do equilíbrio também pode ser feita por meio dos chamados exercícios vestibulares. "São exercícios repetitivos com os olhos, cabeça e corpo com o objetivo de criar um conflito sensorial, provocando o reajuste da função do equilíbrio", explica o otorrino Fernando Pochini. Para mais informações sobre esses exercícios consulte o seu médico. 
cinetose - Foto Getty Images
Medicações recomendadas
Se você já sabe que vai enjoar durante a viagem, uma boa pedida é usar algum tipo de medicamento que iniba os sintomas da cinetose antes mesmo de eles acontecerem. As medicações mais utilizadas são a metoclorpropramida, flunarizina, dimenidrinato e os inibidores centrais do vômito, como a ondansetrona. É importante ressaltar, porém, que todo medicamento deve ser indicado por um médico de confiança.
A ação desses medicamentos é simples. De acordo com Alexandre Meluzzi, elas podem inibem receptores dos núcleos centrais e controlam os sintomas de forma muito eficaz.
"No entanto, esses medicamentos diminuem a atividade encefálica, reduzindo os reflexos motores, diminuindo a percepção periférica de estímulos e causando sonolência", alerta Alexandre. Por isso, não devem ser utilizados por quem vai dirigir ou pilotar em hipótese alguma. 
cinetose - Foto Getty Images
Para aqueles são adeptos da medicina natural e sofrem com o Mal do Movimento, o clínico geral e estudioso de plantas medicinais Alex Botsaris recomenda o gengibre como santo remédio para esse mal estar. É cientificamente comprovada a atividade dessa planta contra náuseas e doenças relacionadas ao movimento.
"O chá deve ser consumido três vezes ao dia de viagem, de dois a quatro gramas da planta em forma de raiz fresca para cada 150 ml de água" diz o clínico, que completa: "Acupuntura também possui evidência científica de atuar na doença do movimento. Uma aplicação de agulhas pode ser feita antes da viagem".
Também há especialistas que indicam a vitamina B6, presente no arroz integral, gérmen de trigo, aveia, amendoim, nozes e batata, e o magnésio - presente nas folhas verde-escuras, tais como espinafre e escarola - para ajudar a diminuir os sintomas. 
Passei mal! E agora?
Se não teve jeito e você passou mal mesmo, os especialistas recomendam o uso de medicamentos antivertiginosos, sempre com supervisão médica.
Além disso, Alexandre lembra a importância da hidratação e reposição de sais minerais perdidos com os vômitos. O chá de gengibre, segundo o clínico Alex, também pode ser tomado após a manifestação dos sintomas. 

quarta-feira, 22 de junho de 2011

FERIADO CHEGANDO...

Exercícios para evitar desconfortos em viagens longas

Dores musculares e inchaço são comuns quando se passa muitas horas sentado

 No feriado prolongado ou até mesmo no final de semana, muita gente não perde a oportunidade de arrumar as malas e viajar - em alguns casos, para bem longe.
Porém, junto da alegria de viajar estão alguns desconfortos, típicos de viagens longas, tais como as dores musculares e incômodos que podem acontecer quando se fica muito tempo sentado no avião, no carro ou no ônibus. Fora o peso de carregar as malas. Mas é possível evitar esses problemas.
A seguir, o coordenador do setor de Fisioterapia do Instituto Cohen de Ortopedia, Reabilitação e Medicina do Esporte e Fisioterapeuta do Centro de Traumatologia do Esporte da Unifesp, Maurício Garcia, explica por que essas dores acontecem e dá dicas de como evitá-las.

Postura e atitude
O fisioterapeuta Maurício Garcia explica que as dores que podem surgir quando se faz viagens longas são desencadeadas por dois fatores: postura e atitude.  
viagens longas - Foto Getty Images
Quando diz postura, Maurício se refere à posição que ficamos no carro, ônibus ou avião - sentado e sem a possibilidade de se levantar, dependendo da situação.
A atitude se refere à tensão da
viagem, principalmente para quem está dirigindo ou tem medo de avião, por exemplo. As consequências dessa combinação são espasmos musculares e dores nas pernas.
"O corpo não se adapta de uma hora para outra a uma postura ou uma atitude que você não tem o hábito de fazer. Por isso, ficamos com dores. Nosso corpo entende essa atividade como uma agressão e processa dor", explica Maurício.

Doenças relacionadas
Pelo fato de a circulação ficar comprometida durante essas viagens, principalmente na região das pernas, pessoas que tem algum tipo de predisposição física ou deficiência de retorno venoso - como trombose, hérnia de disco e diabetes - podem desenvolver até mesmo uma
embolia arterial, que é uma obstrução do fluxo sanguíneo em uma artéria por conta da presença de coágulos (êmbolos), acarretando comprometimento das funções do órgão.
viagens longas - Foto Getty Images
Em viagens de avião, as chances de complicações aumentam: "a pressurização das cabines causam um inchaço maior nas pernas. A orientação é usar uma meia de compressão, suave ou média", recomenda o fisioterapeuta.
Relaxando os músculos

Os exercícios que podem ser feitos para evitar dores e demais desconfortos durante longas viagens. Eles devem ser separados em duas categorias: para aqueles que são passageiros e para aqueles que estão dirigindo.

Aos passageiros:
- Movimentar o pé para cima e para baixo, estimulando a panturrilha e fazendo o sangue circular mais rápido.
- Mudanças sutis de postura, como virar um pouco para o lado.
- Inclinar suavemente a cabeça
para um lado, para o outro e para frente.
- Fazer movimentos circulares com os ombros, ou subindo e descendo.
- Espreguiçar-se
- Alongar as
costas
- No caso de viagens de ônibus ou avião, levantar-se e caminhar um pouco, se possível.

Aos motoristas:
"Para quem está dirigindo, a melhor coisa a se fazer é parar o carro. Qualquer outra atividade feita durante a direção pode levar o motorista a perder a atenção", conta Maurício.
A própria Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (ABRAMET) recomenda ao motorista fazer pelo menos duas paradas em viagens acima de 3 horas.
Maurício, porém, é mais radical e diz que as paradas podem ser feitas para viagens de 2 horas ou mais, principalmente no caso de pessoas que não costumam ficar sentadas.
"Para quem vive na cidade grande e trabalha sentado, o desconforto é menor", diz ele, porém alerta que as paradas ainda sim devem ser feitas. "É possível até aproveitar o trânsito parado para descer um pouco do carro", completa. 
 

terça-feira, 21 de junho de 2011

MODA CALÇADOS...

Moleca: o frescor das sapatilhas tomam conta do verão


A nova coleção da Moleca chega ao verão com a identidade jovial que é a característica da marca.
A Moleca se consagra nesta estação como a companheira ideal das mulheres nos momentos de descontração, no dia a dia e também no trabalho. Sua forte identidade jovial se fortalece com a presença de materiais inovadores e texturas diferenciadas, que vão surpreender e agradar as mulheres em cheio.
As consagradas e adoradas sapatilhas, ícones da Moleca, chegam com a vivacidade do verão em modelitos que conjugam moda, beleza e bem-estar. Desenvolvidas para mulheres criativas e dinâmicas, as sapatilhas da marca já se tornaram sinônimo de modernidade.
Além da beleza, inovação, identidade urbana e fashion, o cuidado da Moleca com o bem-estar da mulher brasileira é outro destaque! A linha Moleca Saúde & Conforto tem peças que deixam os pés bem tratados, hidratados e sem nenhum incômodo ou desconforto. Prontos para encarar todas as horas do dia, com muito charme e beleza!
As palmilhas da linha Moleca Saúde & Conforto contam com o milenar poder da aloe vera que se apresenta em micro cápsulas hidratantes para os pés! Essa explosão de bem-estar, que é liberada no caminhar, hidrata a pele imediatamente, e atua como bactericida e fungicida natural. Além disso, o aroma refrescante da aloe vera pode ser sentido pelo olfato humano.
E você pensa que essa nova dimensão em calçado feminino acaba por aqui? Na Moleca, se existe algo que não tem limites é o conforto!.
Uma camada de PU, feito com espuma Polyfoam com mínimo índice de deformação, eleva a leveza e a maciez, além de atuar eficazmente na dinâmica da absorção e dessorção (evaporação) de água (umidade provoca por suores ou chuva). A presença do látex de alta qualidade, otimiza as propriedades da palmilha conforto, proporcionando maior absorção de impacto. [www.moleca.com.br].

FONTE: http://www.revistafator.com.br/

segunda-feira, 20 de junho de 2011

EUA DEFINEM FORMOL COMO AGENTE CANCERÍGENO

O governo americano definiu a substância formaldeído (base do formol), usada em alguns produtos para alisamento de cabelos, esmalte para unhas, perfumes e placas de madeira, como causadora de câncer. A Organização Mundial da Saúde (OMS) já classifica a substância como agente cancerígeno desde 2004.
Em alerta, o Departamento de Saúde dos Estados Unidos ainda apontou o estireno, conhecido como benzina de vinil e presente em copos e plásticos de papel, como um potencial causador da doença. Outros sete produtos químicos foram listados como prováveis cancerígenos, entre os quais o ácido aristolóquico, encontrado em plantas usadas em fórmulas contra artrite.
Foi o segundo alerta relevante sobre produtos potencialmente cancerígenos nesta quinzena. No fim do mês passado, a OMS informou que o uso frequente de telefones celulares pode provocar câncer, devido aos seus campos de radiofrequência eletromagnéticos.
As advertências mais recentes dos EUA estão no 12º relatório preparado por uma equipe de toxicologistas do Instituto Nacional de Saúde, que teve o cuidado de atrasar a divulgação em um mês para antes informar os setores industriais afetados. Assim como as versões anteriores, esta também abriu uma controvérsia com o Conselho Químico Americano, organização empresarial que rejeitou as conclusões.
O relatório, entretanto, tem sido historicamente avaliado com respeito. O de 2000 alertou os fumantes passivos sobre os riscos de desenvolverem câncer. Em 2005, a naftalina foi apontada como potencial cancerígeno.
O relatório de 2011 apontou riscos maiores às pessoas em contato frequente com o formaldeído e o estireno, como funcionários de salões de beleza e de indústrias de manufaturas de plástico, do que aos usuários finais desses produtos. Porém, recomendou aos consumidores americanos a diminuição da exposição a essas substâncias e lhes sugeriu observar a presença de formaldeído em suas fórmulas antes de comprar e usar um produto.
Alisamento brasileiro. Pelo menos dois Estados americanos - Illinois e Oregon - e um organismo federal já haviam emitido alerta sobre o produto Brazilian Blowout Acai Professional Smoothing Solution, fabricado por uma empresa da Califórnia, por seus níveis de formaldeído acima dos recomendados.
Trata-se de um composto usado para alisamento temporário de cabelos, em um processo similar ao da popular "chapinha japonesa". O relatório apontou efeitos como dor de cabeça, vômito e ataque de asma em funcionários de salões expostos ao produto. Também registrou casos de câncer na passagem nasal e de leucemia em embalsamadores de corpos - prática comum antes de funerais nos EUA.
O alerta ressaltou haver maior evidência de o formaldeído causar tumor do que o estireno.
FONTE: www.odiario.com

quinta-feira, 16 de junho de 2011

DICAS DE SAÚDE!

Dieta certa e exercícios físicos exterminam a barriguinha

Excesso de gordura localizado no abdômen só desaparece com dedicação

Aquela barriguinha que teima em continuar em evidência, apesar da perda de peso, é um problema estético para muitas mulheres. Além disso, é um perigo para a saúde. "Essa gordura, que envolve órgãos internos, como fígado e pâncreas, dificulta a ligação da insulina com seu receptor celular, causando uma resistência insulínica que predispõe a diabetes, pressão alta e problemas de colesterol", explica a endocrinologista e integrante da diretoria da Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica (Abeso) Cláudia Cozer. Mas há soluções que fazem o excesso de gordura localizado no abdômen desaparecer. Pena que elas não sejam milagrosas.

Perca a barriga em duas semanas
Se estiver com pressa de reduzir a barriguinha por causa de alguma data especial, siga por duas semanas esta série de orientações alimentares organizada pela equipe nutricional do Minha Vida. Para começar, corte do seu cardápio feijão, leite, açúcar, milho, repolho, pimentão, brócolis, cebola, bebidas gasosas, frituras, comidas com conservantes, pão e arroz branco, álcool e suco de laranja. 
Saiba como perder a barriguinha - Foto: Getty Images
Nesse período, diminua a quantidade de sal que coloca na comida, pois ele retém muito líquido. Para substituí-lo, abuse de ervas, como manjericão, hortelã, salsão, alecrim, salsinha, orégano e louro, ou temperos, como pimenta, mostarda, coentro e noz-moscada. Vinagre balsâmico, limão e um pouco de iogurte desnatado também podem ser usados. Coma mais aveia, nozes, gérmen de trigo, banana e arroz integral, ricos em vitamina B6, que reduzem a retenção de líquidos.
REGULARIZE SEU INTESTINO E BEBA NO MÍNIMO DOIS LITROS DE ÁGUA POR DIA

Regularize seu intestino e beba no mínimo dois litros de água por dia. Aumente a quantidade de alimentos ricos em líquido como chuchu, melancia, melão, pera, pepino e abobrinha. O excesso de adoçante pode dar gases e inchar a barriga, por isso utilize, no máximo, 20 gotas por dia. Dê preferência para frango e peixe, já que as carnes vermelhas são de difícil digestão. Ao fim desses 14 dias, volte a ter uma alimentação balanceada, incluindo todo tipo de nutriente. 
 Reduza a gordura abdominal no dia a dia
Quem não precisa fazer um programa intenso como esse, mas também quer diminuir a barriguinha, deve "evitar alimentos com muito sal, fazer atividades aeróbicas e exercícios que fortaleçam a musculatura abdominal", recomenda Cláudia. E para isso não tem segredo: dieta equilibrada, "com pouca gordura e carboidratos, evitando frituras, doces, frios e embutidos".

Além disso, o intestino precisa estar funcionando direitinho para que não haja inchaço no local. "É muito importante ir ao banheiro pelo menos duas vezes por dia, por isso a ingestão de fibras e líquidos é fundamental", orienta a endocrinologista. 
Alguns alimentos específicos podem ajudar na tarefa. São os chamados termogênicos. De acordo com a nutricionista Erica Lopes, eles induzem o corpo a gastar energia durante o processo digestivo. "O efeito térmico do alimento varia conforme a composição da dieta, sendo maior após o consumo de carboidratos e proteínas do que depois da ingestão de gordura", diz.

Entre os principais termogênicos estão: pimenta, mostarda, gengibre, vinagre de maçã, acelga, aspargos, couve, brócolis, laranja, kiwi, cafeína, guaraná, chá verde, água gelada, linhaça, gorduras vegetais e gorduras de coco. "Mas a alimentação dever ser bem balanceada, pois somente o consumo desses alimentos leva a uma deficiência importante de nutrientes", alerta. 
Exercícios
O personal trainer Ivaldo Larentis recomenda a prática de atividades aeróbicas (caminhada, corrida, bicicleta etc) cinco vezes por semana durante 30 minutos. Além disso, indica os seguintes exercícios localizados, que devem ser feitos em séries de 15 a 20 repetições quatro vezes por semana:

1. Abdominal 90 graus:
deite de barriga para cima, joelhos flexionados num ângulo de 90 graus com os pés para cima, mãos atrás na cabeça, cotovelos abertos. Lentamente suba, tirando os ombros do chão. Pare e desça até a posição inicial.

2. Elevação:
coloque as mãos sob as nádegas e mantenha as pernas estendidas em direção ao teto, perpendiculares ao tronco. Retire o quadril do chão, numa linha reta. Pare e desça.

3. Abdominal negativo: sente-se com os joelhos flexionados e mantenha uma distancia entre os pés similar à da largura dos ombros. Estique os braços. Comece com o tronco numa posição menor que 90 graus em relação ao chão. Desça. Quando a parte superior do corpo atingir um ângulo de 45 graus em relação ao chão, retorne à posição inicial. Repita a série três vezes.
 

domingo, 12 de junho de 2011

A ORIGEM DO DIA DOS NAMORADOS

História

A história do Dia de São Valentim remonta a um obscuro dia de jejum tido em homenagem a São Valentim. A associação com o amor romântico chega depois do final da Idade Média, durante o qual o conceito de amor romântico foi formulado.
O bispo Valentim lutou contra as ordens do imperador Cláudio II, que havia proibido o casamento durante as guerras acreditando que os solteiros eram melhores combatentes.
Além de continuar celebrando casamentos, ele se casou secretamente, apesar da proibição do imperador. A prática foi descoberta e Valentim foi preso e condenado à morte. Enquanto estava preso, muitos jovens lhe enviavam flores e bilhetes dizendo que ainda acreditavam no amor. Enquanto aguardava na prisão o cumprimento da sua sentença, ele se apaixonou pela filha cega de um carcereiro e, milagrosamente, devolveu-lhe a visão. Antes da execução, Valentim escreveu uma mensagem de adeus para ela, na qual assinava como “Seu Namorado” ou “De seu Valentim”.
Considerado mártir pela Igreja Católica, a data de sua morte - 14 de fevereiro - também marca a véspera de lupercais, festas anuais celebradas na Roma antiga em honra de Juno (deusa da mulher e do matrimônio) e de Pan (deus da natureza). Um dos rituais desse festival era a passeata da fertilidade, em que os sacerdotes caminhavam pela cidade batendo em todas as mulheres com correias de couro de cabra para assegurar a fecundidade.
Outra versão diz que no século XVII, ingleses e franceses passaram a celebrar o Dia de São Valentim como a união do Dia dos Namorados. A data foi adotada um século depois nos Estados Unidos, tornando-se o The Valentine's Day. E na Idade Média, dizia-se que o dia 14 de fevereiro era o primeiro dia de acasalamento dos pássaros. Por isso, os namorados (as) da Idade Média usavam esta ocasião para deixar mensagens de amor na soleira da porta do(a) amado(a).
Atualmente, o dia é principalmente associado a troca mútua de recados de amor em forma de objetos simbólicos. Símbolos modernos incluem a silhueta de um coração e a figura de um Cupido com asas. Iniciada no século XIX, a prática de recados manuscritos deu lugar à troca de cartões de felicitação produzidos em massa. Estima-se que, mundo afora, aproximadamente um bilhão de cartões com mensagens românticas são mandados a cada ano, tornando esse dia um dos mais lucrativos do ano. Também se estima que as mulheres comprem aproximadamente 85% de todos os presentes no Brasil.
O dia de São Valentim era até há algumas décadas uma festa comemorada principalmente em países anglo-saxões, mas ao longo do século XX o hábito estendeu-se a muitos outros países.

Data no Brasil

 A divulgação da data no Brasil foi feita pelo empresário João Dória, que havia chegado do exterior. Representantes do comércio acharam uma ótima ideia para aquecer as vendas e escolheram o dia 12 de junho para ser o dia dos namorados em nosso país. A data foi escolhida às vésperas do dia de santo Antônio, o santo casamenteiro.

As pessoas apaixonadas costumam presentear seus namorados ou cônjuges, a fim de mostrar todo o amor que sentem.
Nessa data, os casais saem para trocar presentes e comemorar, com um jantar romântico, a paixão que sentem um pelo outro, a afetividade e o amor, como forma de agradecer o companheirismo e a dedicação entre ambos.
Mas existem várias formas de comemorar o dia dos namorados. Mandar flores, cestas de café da manhã, uma cesta de happy hour para degustarem juntos, mensagens por telefone, serenatas, fazer uma pequena viagem, passar um dia em uma casa de relaxamento (SPA), dentre outras.
O importante é usar a criatividade e o romantismo!

FONTES:http://pt.wikipedia.or
                 http://www.brasilescola.com/

sexta-feira, 10 de junho de 2011

COMO RECONHECER O VERDADEIRO

Será meu verdadeiro amor?


Baseada em dúvidas e contribuições que recebo comecei a questionar as bases de algumas relações ou as bases de alguns sentimentos que compõem uma relação que ainda nem começou.

Vejo pessoas que dizem o quanto amam verdadeiramente alguém que ainda não encontraram, alguém com quem conversam apenas por chats ou telefone e que sentem que essa pessoa é um grande amor, algumas vezes até "o" grande amor da vida. Pessoas que nunca se olharam, nunca se sentiram, nunca se tocaram, não conhecem os hábitos, as manias, os defeitos, as características mais íntimas de cada um, mas ainda sim convictos que o amor é enorme e verdadeiro.

Podemos entrar aqui em um debate sobre a possibilidade de um sentimento não ser verdadeiro, muitos podem se perguntar "como é possível eu sentir isso tudo e você dizer que não é real?" e talvez valha ou caiba sim algum tipo de troca e esclarecimento. Todo e qualquer sentimento é verdadeiro para o seu dono, claro que ninguém forja um amor, o sente como real mesmo quando as circunstâncias são ainda virtuais. Para aquele que vive a experiência o amor está ali, sendo profundamente vivido e sentido e não vou discordar de quem sente assim. É, entretanto, fundamental compreender quais são as bases que levam uma pessoa a se apaixonar por alguém que nunca viu e já imaginar uma vida juntos, compartilhada, linda, perfeita ao lado desse novo amor. O amor por alguém só pode ser compreendido como real quando verdadeiramente se conhece o outro, quando se convive, antes disso dizemos que é uma idealização do como se imagina que o outro seja, de como se gostaria que ele fosse. Sim, sonhar, fantasiar e idealizar é o início de tudo e acontece dessa forma com todos, mas para se chegar ao amor em sua essência ou até para se afirmar que se ama alguém é fundamental que se tenha a convivência, o conhecimento sobre as qualidades e os defeitos, o dia a dia para solidificar.

Vejo então que muitos dos que agem dessa forma, muitos que sentem como diz o título do filme "Nunca te vi, sempre te amei" serem embalados nessa dança por diversas razões e todas elas possuem em comum uma profunda dificuldade em lidar com a solidão e tudo que advém desse estado.

São, no geral, pessoas que se encontram sós há muito tempo, pessoas que romperam relacionamentos e não suportam lidar com a perda, pessoas que não sabem viver (ainda que temporariamente) em suas próprias companhias, pessoas carentes ou profundamente inseguras. Precisam prontamente da certeza que encontraram uma salvação, que encontraram aquele que irá lhes tirar das profundas dificuldades afetivas da vida e que nessa nova relação reencontrarão a alegria de viver. Amam o que querem amar e por isso dizemos que não amam o outro, amam suas idéias sobre o outro, amam o que pensam saber do outro, amam a fantasia, o sonho. Não percebem que são movidas acima de tudo por uma necessidade em aplacar o mal estar da vida que possuem

A busca por uma salvação, uma solução, não sustenta uma relação, passado um breve período irá acontecer o confronto com a realidade e o golpe será grande já que habitualmente há uma grande frustração em razão da diferença entre o sonho e a realidade.

Claro que nas conversas que antecedem um encontro, muito já é sentido, como empatia, aspectos em comum, valores e assim por diante, mas entre o interesse inicial e o amor que irão compartilhar um longo percurso precisa ser vivido e solidificado caso contrário não serão duas pessoas se relacionando e sim uma pessoa e seu sonho.

Para concluir é sempre válido lembrar que ainda que exista o intermédio de uma tela, para fora dela estão apenas dois seres humanos, abertos e dispostos para viverem uma relação, para compartilhar uma vida. O compartilhar começa desde o início, não no sentido apenas de dividir, mas no sentido de se perceber que existe um outro, que sente, que vive e que deve acima de tudo ser respeitado e não devorado pela urgente fome em ser amado.

FONTE: http://msnencontros.parperfeito.com.br/

terça-feira, 7 de junho de 2011

O ASSUNTO É: UNHAS DAS NOIVAS!!!

Qual esmalte usar no dia do casamento?

 
Não fique só no branquinho! Foto: Bruno Gaget/BRIDES
Em um casamento a única “regra” que existe é que a noiva deve casar na igreja e de branco, todos os demais detalhes dependem da imaginação e da vontade de cada uma. Como arrumar o cabelo, que acessórios e sapatos usar são detalhes que mudam de acordo com o gosto de cada noiva. O que também é regra é que a noiva tem que estar impecável.
E, entre todas as coisas que a noiva deve preocupar-se para estar linda estão as unhas. Não existe uma regra que diga que a mulher tem que casar com as unhas claras, mas a tendência é que a maioria das noivas opte por esmaltes mais suaves, que combinem com a ocasião e também com o vestido. O importante na hora de escolher o esmalte é que seja uma cor que a noiva se sinta bem. E as opções são muitas:
Natural/Transparente: Esse é o top dez. Discreto e com uma unha bem feita não briga com as jóias, com o vestido ou com o buquê.
Unhas claras sempre são uma opção bonita e discreta
Cintilante/Perolado: Uma mistura da discrição com o brilho. É o branquinho com uma camada de cintilância.
Selena Gomez nos inspirou com seu esmalte cintilante. Foto: divulgação MTV
Branco/Francesinha: Essa é uma aposta para aquelas noivas que querem uma tonalidade tão forte quanto o vestido. É o famoso brancão com a ponta bem marcada.
A unha francesinha é muito usada pelas noivas
Rosado: Esse tipo é para as noivas que querem dar um pouco mais de cor para as unhas. Aqui entram todas as variantes de rosa (cor de pele, rosadinho, lilases, rosas puxados pro bege). Esse é o meio termo para quem não quer chamar atenção, mas quer colocar um pouco de cor nas unhas.
Rosa para as noivas que buscam cores fortes
Vermelho: Cor marcante, que combina com noivas de personalidade forte e marcante.
O vermelho sempre chama a atenção
O vermelho também é uma preferência entre as noivas
Preto/Dourado/Prateado: O preto não é muito comum, mas como é uma cor que combina com tudo e se está de acordo com a personalidade da noiva está valendo. E por incrível que pareça o dourado e prateado podem ficar mais marcantes que o próprio preto.
O dorado nas unhas da noiva
Azul/Roxo/Verde/etc: Para noivas divertidas! Dependendo do estilo da noiva e da festa pode ser uma ótima combinação. Se optar por essas cores é bom ter muito cuidado para não ficar carnavalesco demais.
Uma opção de esmalte diferente
Nail Art: Este é o detalhe especial que se pode colocar nas unhas das noivas e que dá um charme especial. Desenhos e composições delicadas como flores, traços estilizados e pontos de luz com aplicação de strass são os mais utilizados pelas noivas. Nesse caso, algumas noivas fazem pequenos detalhes em uma ou duas unhas apenas ou até em toda a mão. Existem salões de beleza especializados nessa técnica de nail art.
Flores e desenhos dão toque especial as unhas das noivas
 
 
Compulsão por doces é tão forte quanto vício em drogas
Açúcar pode viciar tanto quanto drogas. Foto: Getty Images
Açúcar pode levar à compulsão e síndrome de abstinência
Foto: Getty Images
Quando tentamos nos enganar com a desculpa do "eu mereço" para atacar mais uma fatia de bolo na sobremesa, isso tem uma explicação: vício em açúcar. Como destacou o Fox News nesta segunda-feira (6), diversos estudos constataram que esta compulsão pode ser considerada tão séria e tão forte quanto o alcoolismo e o tabagismo.
Todo mundo já experimentou a sensação de necessidade de ingerir açúcar em algum momento da vida. Afinal, doces têm a capacidade de nos fazer sentir mais felizes e estudos recentes provaram que os humanos são programados desde a mais tenra idade a desejar o sabor doce. E, uma vez que o corpo experimenta a recompensa açucarada, não leva muito para se viciar. O vício surge já no nascimento, pois o leite materno é extremamente doce, fazendo com que o recém-nascido comece a reconhecer o prazer de ingerir alimentos adocicados.
A compulsão surge porque após ingerir uma guloseima, por exemplo, o cérebro libera opioides, que são substâncias químicas naturais que dão sensação de imenso prazer. Ao reconhecer esta sensação boa, o cérebro começa a pedir mais e mais opióides e, consequentemente, açúcar. Os cientistas já até identificaram as áreas do cérebro que são ativadas pela compulsão açucarada e descobriram que são as mesmas áreas ativadas no vício em drogas, o que prova a real capacidade viciante do açúcar.
O que acontece no corpo
Quando ingerimos doces, o açúcar entra no sistema sanguíneo, elevando os níveis de glicose e estimulando o pâncreas a produzir e liberar um hormônio chamado insulina, que converte a glicose em energia e em estoques de gordura. Mas além de cáries e obesidade, os doces também
são ligados a outras doenças sérias, como depressão do sistema imunológico, diabetes e alterações de humor.
No cérebro, há a liberação dos opioides e há estudos que mostram que a compulsão açucarada produz no órgão o mesmo efeito químico da heroína e da morfina e o corpo "aprende" a pedir mais e mais açúcar para conseguir o efeito prazeroso que ele produz no organismo. Para provar esta teoria, os cientistas deram remédios que bloqueavam os receptores de opioides no cérebro e os voluntários que participavam da pesquisa sentiram muito menos vontade e interesse em consumir doces.
Pesquisadores das universidades de Princeton e Minnesota, nos Estados Unidos, realizaram testes com camundongos mostraram que o vício em açúcar leva à compulsão e à síndrome de abstinência. Em humanos, imagens cerebrais mostraram que a imagem de um sorvete em pacientes normais gera a mesma sensação prazerosa no cérebro que imagens de um cachimbo de crack para um viciado.
E o açúcar está presente em diversos alimentos do dia a dia, como katchup, sucos, refrigerantes, pães, cereais etc, e não acrescenta nada ao organismo a não ser energia, pois não tem fibras, minerais ou antioxidantes. Além de engordar e aumentar as chances de ter cáries.
Como maneirar
Eliminar o açúcar da dieta é quase impossível, mas há como reduzir sua ingestão ao evitar alimentos industrializados - em especial com farinha branca; beber mais água, porque o cérebro confunde desidratação com fome; ingerir mais proteínas, que garantem saciedade por mais tempo e ajudam a resistir à vontade de comer um docinho; abra mão da sobremesa por três semanas para readaptar o paladar e diminuir a compulsão; e resista ao impulso de "beliscar".


FONTE:http://saude.terra.com.br

VAMOS FALAR SOBRE CASPA!!!

Conheça causas e tratamentos contra a caspa

Algumas doenças favorecem e agravam o quadro de dermatite seborreica

A dermatite seborreica é uma condição bastante comum, que faz com que a pele fique aparentemente mais oleosa, com escamas e descamada. Geralmente, ela afeta o couro cabeludo: nos adultos e adolescentes é conhecida como caspa e nos bebês é chamada de crosta láctea. Mas, este distúrbio também pode afetar a pele de outras partes do corpo, tais como rosto e peito, pernas e virilha.
Esse distúrbio pode ser transmitido de pai para filho, mas estresse, fadiga, situações de clima extremo, pele oleosa, falta de higiene, uso de loções que contêm álcool, obesidade, além de outros transtornos da pele (como acne) podem incrementar o risco de incidência. De acordo com a dermatologista Mei Zoo Chen, a causa da dermatite seborreica ainda é desconhecida e pode ser diferente nos lactantes e nos adultos. Mas está sempre relacionada ao aumento da secreção sebácea pelo couro cabeludo, seja por predisposição familiar ou por estímulo hormonal, uma vez que o transtorno aparece na infância e desaparece antes da puberdade. "A
caspa pode ainda ser agravada pela colonização por fungos e bactérias", afirma a médica.  
Estresse pode agravar casos  de caspas - Foto: Getty Images
Incidência
A dermatite seborreica pode ocorrer em muitas áreas diferentes do corpo e, de maneira geral, se forma onde a pele costuma ser mais oleosa: couro cabeludo, sobrancelhas, cílios, parte posterior das orelhas, ouvido externo e outras dobras da pele.
Algumas enfermidades favorecem e agravam o quadro de dermatite seborreica, como doença de Parkinson, diabetes e obesidade. "Além disso, a tensão emocional (ansiedade e
estresse) também pode desencadear e agravar esse quadro", lembra Chen. Portanto. Esqueça a ideia de que só tem caspa quem é sujo, descuidado ou doente. Qualquer pessoa pode, por algum período de vida, sofrer com essa disfunção das glândulas sebáceas.
Nos bebês é uma infecção inofensiva e temporal. Aparece no couro cabeludo da criança em forma de escamas cafés ou amarelas, grossas e crostosas. Também podem se formar escamas similares nas pálpebras, ouvidos, ao redor do nariz e na virilha. Assim, como a caspa, a crosta láctea não é contagiosa, nem causada por falta de higiene.
Tratamento
Existem vários produtos disponíveis no mercado para o tratamento da dermatite seborreica. "Para formas leves da patologia, o
xampu anticaspa comercial (vendido em supermercados) funciona bem e pode ser utilizado todo dia até obter melhora. Depois, pode-se espaçar o uso para dias alternados ou até uma vez por semana, para manutenção", afirma a dermatologista.
Para casos mais graves, inclusive com coceira e vermelhidão, é melhor usar os xampus medicamentosos, que exigem receita médica indicada por um especialista. Entretanto, segundo Chen, não é possível ficar livre para sempre de dermatite seborreica, ainda mais no dia a dia estressante e poluído das grandes cidades. Mas é possível ter períodos de remissão com o tratamento adequado, completa.
Para aplicar o xampu, espalhe pelo couro cabeludo dividido em pequenas seções, por áreas pequenas, pouco a pouco, sempre massageando a pele. É recomedável esfregar as áreas afetadas durante, pelo menos, cinco minutos antes de enxaguar completamente. Isso dará tempo necessário
para o produto atuar. 
 

QUERO COMPARTILHAR COM VOCÊS, AMIGAS E AMIGOS INTERNAUTAS!!!

Grande Veríssimo!!!!


Um homem Inteligente Falando das Mulheres
O desrespeito à natureza tem afetado a sobrevivência de vários seres e entre os mais ameaçados está a fêmea da espécie humana.
Tenho apenas um exemplar em casa,que mantenho com muito zelo e dedicação, mas na verdade acredito que é ela quem me mantém. Portanto, por uma questão de auto-sobrevivência, lanço a campanha 'Salvem as Mulheres!'
Tomem aqui os meus poucos conhecimentos em fisiologia da feminilidade a fim de que preservemos os raros e preciosos exemplares que ainda restam:

Habitat
Mulher não pode ser mantida em cativeiro. Se for engaiolada, fugirá ou morrerá por dentro. Não há corrente que as prenda e as que se submetem à jaula perdem o seu DNA. Você jamais terá a posse de uma mulher, o que vai prendê-la a você é uma linha frágil que precisa ser reforçada diariamente.

Alimentação correta

Ninguém vive de vento. Mulher vive de carinho. Dê-lhe em abundância. É coisa de homem, sim, e se ela não receber de você vai pegar de outro. Beijos matinais e um 'eu te amo’ no café da manhã as mantém viçosas e perfumadas durante todo o dia. Um abraço diário é como a água para as samambaias. Não a deixe desidratar. Pelo menos uma vez por mês é necessário, senão obrigatório, servir um prato especial.

Flores
Também fazem parte de seu cardápio – mulher que não recebe flores murcha rapidamente e adquire traços masculinos como rispidez e brutalidade.

Respeite
a natureza
Você não suporta TPM? Case-se com um homem. Mulheres menstruam, choram por nada, gostam de falar do próprio dia, discutir a relação? Se quiser viver com uma mulher, prepare-se para isso.

Não tolha a sua vaidade

É da mulher hidratar as mechas, pintar as unhas, passar batom, gastar o dia inteiro no salão de beleza, colecionar brincos, comprar muitos sapatos, ficar horas escolhendo roupas no shopping. Entenda tudo isso e apoie.

Cérebro feminino não é um mito
Por insegurança, a maioria dos homens prefere não acreditar na existência do cérebro feminino. Por isso, procuram aquelas que fingem não possuí-lo (e algumas realmente o aposentaram!). Então, aguente mais essa: mulher sem cérebro não é mulher, mas um mero objeto de decoração. Se você se cansou de colecionar bibelôs, tente se relacionar com uma mulher. Algumas vão lhe mostrar que têm mais massa cinzenta do que você. Não fuja dessas, aprenda com elas e cresça. E não se preocupe, ao contrário do que ocorre com os homens, a inteligência não funciona como repelente para as mulheres.

Não faça sombra sobre ela

Se você quiser ser um grande homem tenha uma mulher ao seu lado, nunca atrás. Assim, quando ela brilhar, você vai pegar um bronzeado. Porém, se ela estiver atrás, você vai levar um pé-na-bunda.
Aceite: mulheres também têm luz própria e não dependem de nós para brilhar. O homem sábio alimenta os potenciais da parceira e os utiliza para motivar os próprios. Ele sabe que, preservando e cultivando a mulher, ele estará salvando a si mesmo.
É, meu amigo, se você acha que mulher é caro demais, vire gay.
Só tem mulher quem pode!
Luiz Fernando Veríssimo

 

segunda-feira, 6 de junho de 2011

PROBLEMAS NO INVERNO

INVERNO ACENTUA QUEDA DOS CABELOS
DICAS DE COMO CUIDAR DOS FIOS




Não são só as folhas que caem das árvores durante o inverno. Nossos cabelos também são afetados pelas mudanças climáticas e tendem a ter uma queda mais acentuada durante esta época do ano. Também nesta época as doenças do couro cabeludo costumam se agravar.

O alerta é de Patrícia Maciel, terapeuta capilar e fundadora do Núcleo Capilar Patrícia Maciel. “Estes problemas podem ser minimizados e, com alguns cuidados, é possível recuperar a beleza dos cabelos".
Água quente
Nesta época do ano, mesmo que involuntariamente, utilizamos a água do chuveiro mais quente. Segundo Patrícia, a água quente – que dá uma sensação aconchegante – potencializa o cloro, que prejudica os cabelos. Além disso, provoca o ‘efeito rebote’, pois o óleo, ao ser tirado bruscamente, se reproduz ainda mais, pois as glândulas sebáceas aceleram sua produção. “Também os alimentos mais calóricos que ingerimos no inverno aumentam a produção sebácea, formando mais óleo no couro cabeludo, inibindo a oxigenação e obstruindo o poro piloso”, diz ela.

A água quente também potencializa a ação dos metais existentes nas tubulações. O resultado é o aumento da oleosidade e a proliferação de fungos demodex – o que favorecem o ressecamento, a queda dos cabelos, a caspa e a seborréia. Portanto, o ideal é utilizar água morna à 20°C.

Poluição, bonés e toucas: vilões
A poluição, que é a grande vilã nos grandes centro urbanos, deixa os cabelos opacos e sem vida. Portanto, é importante lavar os cabelos todos os dias, tendo sempre o cuidado de utilizar produtos com baixo pH.
Outra recomendação de Patrícia é para, se possível, não utilizar bonés, lenços, toucas ou chapéus. O uso destes itens pode impedir a ventilação do couro cabeludo, causando ainda mais oleosidade e a proliferação dos fungos.

Receita natural para diminuir a oleosidade do couro cabeludo
Para as pessoas que sentem o aumento de oleosidade no couro cabeludo durante as estações mais frias, Patrícia dá uma receita simples e que pode ser feita em casa:
“Pegue uma touceira de hortelã, centrifugue com ½ copo de água filtrada e coe muito bem. Após a lavagem dos cabelos, aplique 20 gotas no couro cabeludo e massageie, sem enxaguar. A solução pode ser conservada em geladeira.”

Sobre a terapeuta
Patrícia Maciel é graduada em Estética, com especialização em Terapia Capilar, em curso feito em 1993, no Japão. Tornou-se a primeira aluna ocidental da Faculdade Takara Belmont, em Nagoya. “Estava no lugar certo, pois o Japão é um dos mais avançados centros de recuperação capilar”, observa.
Após seis anos de curso, especializou-se em Biologia Cutânea, Farmácia, Ortomolecular Capilar, Cosmetologia, Eletroterapia, Tricologia e Terapia Sacro-Craniana, entre outras disciplinas. No Brasil, é pioneira em Terapia Capilar e fundou o Núcleo Capilar Patrícia Maciel. Atende clientes do Brasil e do exterior, além de ministrar palestras e cursos e ser consultora de diversos veículos de comunicação. “Cabelo simboliza muito na vida de uma pessoa. Segundo a visão budista, se compararmos o corpo humano ao universo, eles são tão valiosos quanto as estrelas”, ensina a terapeuta capilar.

Em suas técnicas de recuperação capilar, Patrícia, além de produtos naturais e equipamentos tecnológicos de última geração, recorre a terapias auxiliares para promover a saúde e o bem-estar: Cromoterapia, ciência que utiliza a vibração das cores; Aromaterapia, ciência do uso de substâncias aromáticas naturais; Reiki, terapia de origem japonesa, baseada na manipulação da energia vital; Cristais e pedras preciosas, condutores e geradores de energia; e Florais, preparados naturais elaborados com extratos de flores, plantas e arbustos.
Site: www.patriciamaciel.com.br


FONTE: http://vivermelhor.terra.com.br/