MODA

Entenda as diferenças entre pisada pronada, neutra e supinada

Usar o tênis específico ajuda na distribuição da carga corporal durante a corrida


A pisada pronada, popularmente conhecida como "pisar para dentro", com apoio da borda medial do pé, é uma alteração rotacional e postural do membro inferior, que apresenta um pequeno arco na planta do pé, com apoio realizado na região central do pé, em contato com o solo. 


pisada supinada, popularmente conhecida como "pisar para fora", com apoio da borda lateral do pé, é uma alteração rotacional e postural do membro inferior, que apresenta um arco na planta do pé bem acentuado, caracterizado pelo apoio da região lateral (a parte de fora) do pé em contato com o solo.



A pisada neutra caracteriza-se pelo apoio uniforme do pé no solo, não apresenta desvios rotacionais nem para dentro e nem para fora, por apresentar um bom arco plantar, favorece a distribuição homogênea da carga corporal.


As lesões mais comuns

 Um "pronador" pode apresentar um excesso de flexibilidade, causando instabilidade do pé e tornozelo. Também apresentam o "pé chato", o que pode favorecer a fasceíte plantar e até fraturas por estresse nos ossos do pé e na tíbia (osso da perna). Com o passar do tempo as pessoas com o pé chato podem desenvolver tendinites no pé e tornozelo. Geralmente pessoas com esta pisada também têm joelhos curvos para dentro e podem sentir dores na parte de dentro do joelho. 


Um "supinador" possui um arco do pé bastante acentuado, também conhecido como o ?pé cavo?, o que pode favorecer entorses de tornozelo, tendinites dos músculos da perna que ficam abaixo do joelho - que estão em constante tensão - além de retração da fáscia plantar. A fáscia plantar é um tecido localizado na planta do pé (sola) que quando submetido a constante tensão pode gerar dor e inflamação tecidual denominada fasceíte plantar e muitas vezes esporão de calcâneo. Geralmente pessoas com esta pisada também tem joelhos curvos para fora e podem sentir dores, nesses casos mulheres podem apresentar lesões das cartilagens dos joelhos (condropatias). 



Um "neutro" possui um perfeito arco plantar, porém isso não significa estar livre de lesões, muitos dos machucados comuns aos pronadores e supinadores também podem aparecer em um neutro, sendo comuns as tendinites e fasceíte plantar.

O tênis correto

Os tênis de corrida não tem a finalidade de corrigir o tipo de pisada ou proteger de lesões mecânicas. O tênis adequado a cada tipo de pisada vai prover conforto aos pés durante a corrida e ajudar a absorver o impacto causado pela corrida. 

Antes de escolher o tênis, é ideal saber o tipo de pisada, para isso é necessário uma avaliação com fisioterapeuta especializado, que fará avaliação postural e testes em plataforma de baropodometria.

Depois disso, ele fará a indicação do tipo de tênis a ser utilizado. Tênis neutro tem uma absorção de impacto de forma mais homogênea, já o tênis supinado apresenta um suporte maior na região lateral. justamente para dar conforto à pisada. O tênis pronado tem suporte na parte de dentro.

Utilizar tênis supinado em pronadores ou pronador em supinadores pode causar lesões pelo excesso de carga em regiões que não teriam necessidade para isso. O tênis neutro se adaptada em qualquer situação. Na dúvida use sempre o tênis neutro.

FONTE:http:// www.minhavida.com.br




OS ERROS MAIS COMUNS DE QUEM ENCARA ACADEMIA

Seu prédio tem academia interna? Ou você tem a disciplina necessária para se exercitar sozinha em casa? Mesmo quem treina em academia, especialmente sem supervisão, está sujeito a cometer uma série de erros que podem comprometer os resultados e ainda acarretar diversas lesões. Conversamos com o professor de educação física e personal trainer Thiago Gonçalves e com o médico e especialista em Medicina Desportiva Cláudio Zanelatto. Juntos, eles montaram um guia que corrige os principais deslizes de quem resolveu encarar a ginástica.


Não variar os treinos

Ao realizar sempre os mesmos exercícios, seu corpo não se sente mais desafiado. Assim, o nível de condicionamento mantém-se fixo e você fica sujeito a lesões por esforço repetitivo. Varie seus treinos e acrescente caminhadas na rua ou no parque, uma pedalada de vez em quando ou um jogo de vôlei no sítio. Assim, o nível de esforço varia e seu corpo precisa mostrar resultados.
Alongamento - Foto Getty Images
Pular o alongamento

As pessoas praticam seus exercícios cardiovasculares e atividades de força diariamente, mas esquecem o alongamento muscular. Exercícios de alongamento são importantes para o relaxamento, previnem lesões e mantêm a postura adequada. Alongue-se sempre antes e depois do treino.
Roupas - Fotos Getty Images
Usar as roupas erradas

Primeiro, esqueça aquele mito de que é preciso se encher de blusas e calças plásticas para suar e perder peso. Desse jeito você só perde água, e não gordura. Use roupas adequadas para a prática de exercícios físicos, com tecidos que respiram, sejam leves e adaptem-se ao seu corpo.
Peso - Foto Getty Images
Utilizar os pesos de maneira inadequada

Não importa quanto peso você consegue levantar, e sim como você o faz. O maior erro cometido pelas pessoas nos exercícios musculares de repetição é fazer as séries rápido demais, sem controlar o movimento nem a respiração, normalmente indo mais rápido na hora de abaixar o peso. O certo é fazer as repetições de forma lenta e usar a seguinte proporção: um segundo para levantar e três segundos para abaixar o peso.
Overtraining - Foto Getty Images
Overtraining

Se você acha que, em termos de exercícios quanto mais melhor, pense duas vezes. Treinar em ritmo intenso demais pode levar a distensões, lesões de esforço como fraturas por estresse e até à perda de tecido magro, ou seja, os músculos.
Treino inconstante - Foto Getty Images
Treinar de forma inconstante

Você treina forte por uma semana e depois fica outra sem se mexer? Péssima idéia. Alterações frequentes no ritmo dos treinos diminuem os benefícios de qualquer programa de exercícios, aumentando bastante o risco de lesões. Defina uma rotina realista, que você consiga cumprir toda semana.
Dor no joelho - Foto Getty Images
Ignorar as mensagens do seu corpo

Às vezes a vontade de entrar em forma é tanta que ignoramos sintomas como tonturas, dores musculares fortes e mal-estar. Apesar de um pouco de dor nos músculos ser normal, o exagero só leva a lesões, que vão forçar intervalos de semanas ou até meses. Se sentir algum destes sintomas, diminua o ritmo e procure orientação médica.
Treinar de estômago cheio - Foto Getty Images
Se exercitar em jejum ou com o estômago cheio

Para começar, treinar em jejum aumenta o risco de uma hipoglicemia e não ajuda nada a emagrecer, ao contrário, faz com que o corpo queime massa magra em vez de gorduras. Já se exercitar de estômago cheio pode levar a enjôo, náuseas e mal-estar, além de atrapalhar bastante tanto a digestão quanto a prática dos exercícios. Espere pelo menos 2h depois de comer uma refeição completa para começar o treino.
Dor nas costas - Foto Getty Images
Cuidado com as costas

A postura correta quando for fazer o Pulley é manter a coluna reta, olhe para frente e não para baixo ou para cima. Mantenha a cabeça no prolongamento da coluna. Na puxada para baixo os cotovelos devem estar embaixo da barra, e não para trás.
Exercício de braço - Foto Getty Images
Cuidado com os braços

Quando for fazer o tríceps apoiada no banco não deixe a perna distendida. Mantenha-as flexionadas. Não abra os cotovelos atrás. Desça o tronco até os cotovelos atingirem a altura dos ombros. O quadril deve estar próximo do banco.
Peitoral - Foto Getty Images
Cuidado com o peitoral

Ao fazer o supino, apóie os pés no banco evitando tirar as costas do mesmo. Não estenda completamente os braços na subida. Novamente a cabeça deve estar no prolongamento da coluna.
Abdominal - Foto Getty Images
Cuidado com o abdômen

Na repetição de abdominais, mantenha os pés próximos ao quadril e as costas apoiadas no chão. Suba e desça contraindo a musculatura 
abdominal. Mantenha a cabeça no prolongamento da coluna, olhando para a frente na diagonal. Assim, você previne dores nas costas e no pescoço.
Spinning - Foto Getty Images
Cuidado ao fazer spinning

Ajuste bem a altura do banco e o guidão. Seus joelhos nunca devem ultrapassar os seus pés na hora de pedalar.



FONTE:http:// www.minhavida.com.br





Turbine oito exercícios de musculação para conquistar coxas torneadas

Adaptações no agachamento livre e com aparelhos ajudam a definir os músculos



Coxas bem firmes e torneadas são seu sonho de beleza? Você não está sozinha. Segundo o educador físico Níkolas Chaves, especialista do Minha Vida, esse é um dos pedidos mais frequentes das mulheres nas academias. E para conquistar belas pernas não tem jeito, você terá que ir além da esteira, do pilates e da aeróbica: é preciso investir pesado na musculação. 


Mas antes que você coloque a carga nas alturas, nós já vamos avisando: não existe milagre. O educador físico Rafael Lago explica que leva um tempo para atingir um nível avançado de treinamento e conseguir treinar pesado efetivamente. Então comece devagar, sem exagerar no peso, e mãos à obra. Com os oito exercícios que escolhemos para você, fica mais fácil chegar lá. E ainda mais rápido com as dicas dos nossos especialistas.



 Agachamento livre - foto: Nikolas Chaves





Agachamento livre

Como o próprio nome já diz, esse exercício começa com você agachado, com os joelhos flexionados em aproximadamente 90 graus e o quadril também flexionado. Lembre-se sempre de alinhar as partes internas dos pés com os ombros, evitando sobrecargas. Com a contração dos músculos da coxa e dos glúteos, ocorre a extensão dos  joelhos e do quadril até a posição final (em pé). 


Turbine o exercício: o especialista Níkolas Chaves dá a dica: "Manter o tronco o mais verticalizado possível vai aumentar a exigência dos músculos da coxa em relação aos glúteos".


Fique atenta: Outros músculos serão solicitados para ajudar na postura do corpo durante esse exercício. É o caso dos paravertebrais, que ficam na região da coluna, dos músculos que ajudam a estabilizar o quadril e da musculatura abdominal, que equilibra a coluna lombar pela frente. Por isso é fundamental observar se a contração deles está adequada - na dúvida chame o seu professor. A boa notícia é que além de te proteger contra lesões, eles também ficarão mais fortes e definidos.
 Agachamento guiado - foto: Nikolas Chaves

Agachamento guiado

No agachamento livre o movimento acontece para cima e para baixo, para frente e para trás e para os lados, o que exige da praticante bastante equilíbrio. Já no agachamento guiado só ocorre o movimento para cima e para baixo, o que facilita a execução. Por isso, dá para pegar mais peso nesse exercício. 


Turbine o exercício: Aqui, o truque para dar ênfase ao treinamento dos músculos da coxa está no posicionamento dos pés, que devem estar mais avançados. Assim o músculo da coxa será bastante exigido em comparação com os glúteos. 



Fique atenta: o educador físico Nikolas Chaves explica que os agachamentos profundos utilizando a barra guiada, realizados com movimentos amplos, devem ser feitos com muita cautela, pois pode haver a retroversão da pelve, isso é, um posicionamento que aumenta a pressão na parte anterior dos discos intervertebrais - um possível fator para a ocorrência de hérnia discal. Por isso, sempre que possível peça ajuda ao professor da sala de musculação para acompanhá-la durante a execução do exercício.
 Agachamento nakagym - foto: Nikolas Chaves

Agachamento nakagym

O Agachamento nakagym surge com a proposta de dar mais liberdade de movimentos do que o agachamento guiado com mais equilíbrio do que o agachamento livre. "Na execução deste agachamento além de os movimentos serem realizados para cima e para baixo, também há movimentos para trás e para frente, mas não há movimentos para os lados", explica Nikolas Chaves. Com isso, além de ser um ótimo exercício para o treinamento da musculatura das coxas, o agachamento Nakagym também é excelente para o treinamento dos músculos dos glúteos. 


Fique atenta: É preciso cuidado ao executar este exercício, principalmente com a contração dos músculos abdominais, que devem proteger a coluna lombar, pois o aparelho projeta a executante para trás aumentando a exigência sobre a região da lombar. O educador físico Rafael Lago lembra ainda que a carga imposta depende muito do nível de condicionamento e do tempo que a mulher treina. "É fundamental que o praticante respeite a sua individualidade biológica", explica Rafael. "Cada pessoa possui um biótipo diferente, para alguns uma certa carga pode ser leve, enquanto para outras nem tanto". Então nada de invejar a carga do colega do equipamento ao lado, respeite seus limites.
 Hack machine - foto: Nikolas Chaves

Hack machine

O exercício com o Hack machine já é turbinado por si só, com ele os músculos das coxas vão ser muito trabalhados. Isso porque o tronco permanece na posição verticalizada, exigindo pouco trabalho dos glúteos e da musculatura paravertebral e mais esforço do músculo quadríceps da coxa. Um ponto positivo deste agachamento é o apoio existente para a coluna lombar que dá mais segurança para as praticantes durante a execução.


Fique atenta: as praticantes iniciantes devem ter cuidado com os joelhos durante esse exercício, pois a pressão na articulação é muito grande neste exercício. Rafael Lago conta que esse exercício não é o único que chama atenção para essa articulação. "É preciso ter atenção com outras articulações em qualquer treino pesado", recomenda.
 Leg press vertical  - foto: Nikolas Chaves

Leg press vertical

O Leg press vertical não é um aparelho muito comum na maioria das academias, mas é um excelente exercício para treinar a musculatura das coxas e os glúteos. 


Turbine o exercício: "Uma dica de execução para esse exercício é não parar em cima após cada repetição da série, fazendo com que a musculatura da coxa seja colocado em uma tensão contínua", conta Níkolas Chaves 



Fique atenta: quando a praticante tem encurtamento dos músculos posteriores da coxa e executa o exercício com os glúteos encostados no apoio do banco é possível que haja um pequeno desconforto na região da lombar. Desencostar os glúteos do apoio do banco, subindo um pouco, é uma manobra de segurança sugerida neste caso. Como este é um exercício com inversão corporal não é indicado para pessoas hipertensas.
 Leg press 45 - foto: Nikolas Chaves

Leg press 45

Esse aparelho é popular e concorrido nas academias, e não é pra menos. O Leg press 45 proporciona um grande estímulo para os músculos da coxa e glúteos. Uma curiosidade sobre este exercício é que o peso colocado no aparelho não é a carga levantada de verdade. Se uma praticante coloca 200 quilos na máquina, na verdade ela está carregando 142 kg. Para descobrir o peso real carregado no Leg press 45 multiplique o peso colocado por 0,71. 


Turbine o exercício: "Uma dica para aumentar a exigência das pernas é posicionar os pés mais para baixo na plataforma de apoio, com isso haverá uma menor participação dos glúteos", recomenda Níkolas Chaves. 


Fique atenta: é preciso cuidado ao executar o Leg press 45 com amplitudes maiores do que 90 graus de flexão de joelhos na posição inicial para não aumentar as sobrecargas nos ligamentos dos joelhos.
Leg press horizontal  - foto: Nikolas Chaves

Leg press horizontal

Existem aparelhos de Leg press horizontal com características diferentes. Alguns modelos tem o movimento na plataforma onde os pés são apoiados, enquanto em outros o movimento ocorre na cadeira onde a praticante está sentada. 


Turbine o exercício: neste caso, para aumentar o estímulo para a coxa, o encosto deve ser regulado mais para baixo e para trás. Posicionar os pés mais para baixo na plataforma de apoio também aumenta o estimulo para o quadríceps sendo está uma boa estratégia para praticantes que tem o objetivo de desenvolver a força neste grupo muscular. 



Fique atenta: em alguns modelos o encosto é móvel, o que possibilita regulagens diferentes. Peça ajuda ao professor para fazer esse ajuste, evitando sobrecargas. 
 Banco extensor - foto: Nikolas Chaves

Banco extensor

O banco extensor de joelhos trabalha muito bem o músculo da coxa. Colocando uma pequena almofada no banco em baixo do glúteo - fazendo com que o ângulo de flexão de quadril fique em aproximadamente 90 graus - possibilita treinar com mais peso. 


Turbine o exercício: quanto mais para baixo estiver o apoio dos pés, mais difícil ficará o exercício. "A dica para fazer 'queimar' as coxas é realizar a série do banco extensor com 12 repetições com um segundo de pausa entre cada repetição - além disso, controle a duração da repetição em um segundo para subir dois para descer", recomenda Nikolas Chaves. 


Fique atenta: muita gente adota a flexão dorsal do tornozelo (pés flexionados para cima) durante esse exercício, o que pode dificultar a extensão dos joelhos caso a praticante tenha encurtamento dos músculos da panturrilha. Se for o seu caso, mantenha os pés numa posição neutra.


FONTE:http:// www.minhavida.com.br





Zumba queima 1.000 calorias por aula e deixa o bumbum durinho

Conheça os benefícios dessa atividade que mistura exercícios aeróbicos com dança

Não aguenta mais os equipamentos da academia e quer investir em uma atividade mais divertida? Experimente fazer algumas aulas de Zumba. O exercício mistura movimentos aeróbicos já conhecidos de quem faz atividade física com ritmos e coreografias latinas, como a salsa e o merengue. "Os treinos são intervalados e de total resistência, para maximizar a queima de calorias, beneficiar o condicionamento cardiovascular e promover a tonificação corporal por completo", explica a professora Márcia Araújo Motta, da Cia Athletica de Brasília. Além disso, a Zumba é um prato cheio para quem procura emagrecer: cada aula com duração de uma hora pode queimar até 1.000 calorias. Entenda mais sobre a Zumba e conheça seus benefícios: 

DE 8
aula de zumba - Foto: divulgação


Não precisa de equipamentos

De acordo com a especialista em Zumba Caroline Desena Pereira Pascarelli, dona da academia Contours São Judas, a aula de Zumba não necessita de qualquer equipamento para ser feita. "Começamos com um aquecimento e depois intercalamos exercícios aeróbicos - para o condicionamento cardiovascular -, e movimentos de dança que trabalham músculos de forma localizada", explica. Mesmo sem aparelhos, a atividade é muito intensa e capaz de queimar muitas calorias. 
grupo dançando zumba - Foto: Getty Images

As coreografias são simples

Algumas pessoas podem desistir de ingressar nas aulas de dança por serem iniciantes ou por julgarem ter um condicionamento físico pouco adequado. Mas essa desculpa não cola no caso da Zumba, que pode ser feita por iniciantes ou experientes na área. "O intuito é criar um sistema de ginástica dinâmico, excitante, divertido e eficaz, e não uma aula de dança comum", diz a professora Márcia Araújo Motta, da Cia Athletica de Brasília. O especialista educacional em Zumba Raphael Rosa, do Rio de Janeiro, afirma que qualquer pessoa, em qualquer nível de condicionamento, pode fazer as aulas e elevar o nível de atividade conforme for praticando. 
homem medindo a cintura com uma fita métrica - Foto: Getty Images

Os resultados são rápidos

"Em torno de três meses é possível perceber resultados visíveis, já que a queima calórica de uma aula pode chegar a 1.000 calorias", diz Raphael Rosa. Entretanto, a professora Márcia faz uma ressalva, dizendo que os resultados podem demorar mais ou menos dependendo do nível de intensidade com o qual o aluno faz as aulas e do preparo físico de cada um. "Mas assim que as mudanças começam a acontecer, o aluno se sente mais motivado e empenhado nas aulas", completa Márcia. 
mulher olhando o bumbum no espelho - Foto: Getty Images

Fortalece as pernas e o bumbum

O corpo é trabalhado como um todo na Zumba, porém os músculos dos membros inferiores (quadríceps, glúteo, posterior de coxa e panturrilha) são os que participam mais ativamente, ajudando a fortalecer principalmente pernas e bumbum. "Os músculos do centro do corpo, conhecido como CORE (abdômen, lombar, oblíquos, paravertebrais e membros superiores) também são muito trabalhados", diz a professora Márcia.  
mulher feliz deitada na cama - Foto: Getty Images

Deixa a autoestima lá em cima

"Nós trabalhamos com energia positiva e diversão, não importa se você errar os passos ou não aprender de primeira, o importante é interagir e não deixar de tentar, promovendo um alto nível de disposição", diz a professora Caroline. Os professores afirmam que é muito comum os primeiros alunos sentirem vergonha no início, por timidez ou medo de errar. "Mas conforme as aulas vão acontecendo, as pessoas se soltam e perdem a preocupação com o outro", completa o especialista Raphael. 
mulher dançando - Foto: Getty Images

Trabalha a sensualidade

"A princípio as pessoas procuram a aula porque querem emagrecer, mas são envolvidas pelos ritmos latinos, que falam muito sobre o amor e a paixão, criando uma atmosfera mais sensual", diz a professora Caroline. Na Zumba são feitas coreografias de salsa, merengue, cumbia e reggaeton. "Os movimentos latinos combinados com a dança elevam a autoestima e ajudam a despertar esse lado mais sensual no aluno."
Aula de zumba - Foto: Divulgação

Melhora a agilidade e equilíbrio

Além da condição cardiorrespiratória, a Zumba também trabalha a percepção espacial e a coordenação motora, deixando os reflexos mais rápidos e melhorando o equilíbrio. "A mistura de movimentos em velocidades diferentes são as maiores responsáveis por esse ganho de agilidade e propriocepção", diz Raphael Rosa. A combinação de movimentos de um lado e do outro, com uma perna só, girando e outros passos muito precisos são determinantes para o equilíbrio, completa a professora Caroline.  
amigos - Foto: Getty Images

É um momento de fazer amigos

As coreografias são demonstradas pelos instrutores e feitas em grupo, todos participam, se integram e ajudam uns aos outros. "Além das coreografias individuais, podemos fazer danças em círculos, linhas e batalhas - estratégia na qual dividimos a sala em duas, colocando um grupo de frente ao outro, permitindo a troca de lugares e maior interação entre as pessoas", diz o especialista Raphael. "Mesmo nas coreografias individuais, a Zumba não deixa de ser compartilhada, com todos interagindo e se divertindo", diz Márcia Araújo.  

FONTE:http:// www.minhavida.com.br


Confira sete maneiras de afinar a cintura

Bambolê, boxe e azeite são grandes aliados da cintura fina



É só pensar em fita métrica que o drama já começa. Afinal, que mulher não sonha em ter aquela cintura fininha? Conquistar as curvas pode parecer difícil, mas o personal trainer Juliano Farah, Gerente de Musculação da Cia. Athletica Brasília, afirma que praticamente todos os esportes ajudam. "O importante é sempre conciliar exercícios que estejam de acordo com a condição física do praticante, assim como uma alimentação equilibrada", diz. Confira todos os macetes que podem te ajudar a afinar a cintura sem comprometer a sua saúde: 



mulher fazendo abdominal - Foto Getty Images
Trabalhe os músculos abdominais
Responsáveis pela rotação do tronco e do quadril, os músculos abdominais oblíquos são a peça chave para uma cintura fina. O personal trainer Juliano Farah explica que os melhores exercícios para trabalhar essa musculatura são os abdominais simples ou o que promovem rotação do tronco. "Na academia, qualquer aparelho que proporcione esse movimento estará contribuindo para afinar a cintura", completa. 
mulher com um bambolê - Foto Getty Images
Combine exercícios com o bambolê
Quem diria que uma brincadeira de criança poderia ajudar a conquistar um corpo violão? "O bambolê é um exercício aeróbico que proporciona o fortalecimento muscular da região da cintura e gera um grande gasto calórico, ajudando no processo de emagrecimento", afirma Juliano Farah. 
No entanto, o personal alerta que esse exercício sozinho não é suficiente, já que ele fortalece apenas a região do abdômen. "É necessário combiná-lo com outras atividades para contrabalancear a musculatura trabalhada, além de um controle alimentar". O bambolê pode ser feito todos os dias de forma recreativa, ou conforme a indicação de algum professor. 
mulher treinando boxe - Foto Getty Images
Faça aulas de boxe
Esse esporte proporciona um alto gasto calórico e exige que o abdome fique contraído durante todos os momentos da aula, fortalecendo a musculatura e afinando a cintura. "O boxe também conta com um aquecimento muito puxado que dá um condicionamento físico completo para o praticante", diz o personal Juliano. A frequência pode ser entre três e cinco vezes na semana.
vidro com azeite - Foto Getty Images
Consuma mais azeite
Uma pesquisa realizada pelo Instituto Salud Carlos III, da Espanha, em parceria com a Universidade de Cambridge, da Inglaterra, aponta que a ingestão diária de azeite evita a formação de gorduras na região da cintura. O estudo foi publicado na revista Diabetes Care e afirma que as gorduras monoinsaturadas presentes do azeite previne o acúmulo de gordura na região. 
A nutricionista Alice Carvalhais, do Instituto Mineiro de Endocrinologia, explica que o azeite pode ajudar desde que seja utilizado em uma dieta balanceada e em quantidade moderada. "O mais correto seria dizer que o azeite ajuda a manter o peso, ou seja, a não engordar", afirma. 
chá de hortelã - Foto Getty Images
Invista nos chás digestivos
Algumas plantas com ações digestivas podem auxiliar no funcionamento do intestino, contribuindo para manter a cintura fininha. A nutricionista Roseli Rossi, da clínica Equilíbrio Nutricional, em São Paulo, explica que o chá de hortelã, o chá verde e o chá mate são ótimas pedidas quando o assunto é afinar a cintura. "Eles ajudam o organismo a digerir gorduras e têm efeito termogênico, contribuindo para o emagrecimento", diz. Outro chá que ajuda a diminuir o inchaço é o de cabelo de milho, que regula as funções dos rins e da bexiga, combatendo o inchaço da região abdominal e das pernas. 
Gel redutor - Foto Getty Images
Gel redutor
A dermato-funcional Rosângela Santana, do Espaço MAXIMA, em São Paulo, explica que o gel redutor contém substâncias que impedem a formação de gorduras, podendo contribuir para uma cintura fininha. "No entanto, a atividade física é primordial para complementar o uso do gel e de qualquer outro tipo de tratamento estético", afirma. O creme pode ser aplicado a qualquer hora do dia, com exceção de alguns que indicam passar antes de praticar atividade física e outros após. "A aplicação deve ser feita de cima para baixo ou em movimentos circulares e é importante esperar que o produto seja absorvido pelo corpo para depois colocar a roupa." 
Massagem modeladora - Foto Getty Images
Massagem modeladora
A técnica consiste em movimentos rápidos e de forte pressão feitos por um profissional em determinada região do corpo, proporcionando melhor oxigenação local. "Se realizada três vezes por semana na área da barriga e cintura, a massagem modeladora pode ajudar a reduzir medidas", afirma Rosângela Santana. 

FONTE:http:// www.minhavida.com.br



Nove exercícios ideais para praticar no verão

Preparo físico é essencial para evitar lesões e outros transtornos




Com a chegada da estação quente, muitos esportes ganham adeptos por terem a cara do verão. Bolas, raquetes, bicicletas, pranchas entram em cena, principalmente ao ar livre. 


Porém, o calor exige alguns cuidados redobrados na hora de praticar exercícios. Alimentação leve e balanceada, preparo físico para treinos mais pesados e proteção solar são algumas das recomendações. Confira nove sugestões de esportes e aulas que vão agitar as suas férias e turbinar sua saúde.


Hidro Kick Boxer


Hidro Kick Boxer: boxe na água--O que ela faz por seu corpo: a modalidade utiliza a resistência da água para intensificar os movimentos, promovendo a tonificação dos músculos e secando as gordurinhas. -Calorias perdidas por aula (50 minutos): 500 Kcal. -Cuidados: "A resistência que a água oferece provoca a queima calórica e a contração da musculatura para vencer o obstáculo, porém, é preciso uma alimentação saudável, já que as aulas são puxadas", aponta o professor Antônio Aboarrage, da academia Estação do Corpo, do Rio de Janeiro.
Caminhadas
Caminhadas -O que ela faz por seu corpo: previne problemas cardiovasculares e ajuda a emagrecer. Procure não caminhar em locais irregulares, para não prejudicar a coluna e o tornozelo. É fundamental o uso de tênis e meia para deixar o pé mais confortável. Calorias perdidas em 30 minutos: 276 kcal. Caminhada na areia -O que ela faz por seu corpo: para deixar pernas e o bumbum durinho caminhe na areia molhada na beira do mar. Para quem está começando, é interessante realizar a caminhada com a água até o tornozelo. Mas se você já é praticante, essa altura pode ser até o joelho. A água refresca e proporciona uma sensação agradável. -Calorias perdidas em 30 minutos: 270 kcal -Cuidados: "o ideal é fazer uma avaliação física antes de começar a praticar e não fazer um esforço maior que a sua capacidade física habitual para evitar problemas no coração", afirma o presidente da Regional Marília da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo (SOCESP), Paulo Moreira.
Hidrocycle
Hidrocycle: bicicleta na água. O que ela faz pelo seu corpo: emagrece e favorece o condicionamento físico. Calorias perdidas: 500 calorias por aula. Cuidados: "A água protege as articulações contra o impacto e evita lesões", diz o professor Ivan Nichinoro, professor da academia Top Spin & Big Ball.
Kayak Trainning
Kayak Trainning, na Fórmula Academia (SP): O que ele faz por seu corpo: a atividade, que simula movimentos do rafting (canoagem), reúne entre seus benefícios a melhora do sistema cardiorespiratório, da coordenação motora, do equilíbrio, da força, além de queimar a gordura corporal e tonificar os músculos. - Calorias perdidas em 30 minutos: 100 Kcal. - Cuidados: "A maioria dos exercícios aeróbicos, como esteira, bicicleta e mini-trampolim, trabalham, principalmente, os músculos inferiores, das pernas e glúteos. Por isso, os alunos devem ir com calma para não sofrer lesões ou distensões musculares", explica o professor Rafael Andrade, bicampeão mundial de rafting.
Natação
Natação: perder peso e se refrescar- O que ela faz por seu corpo: promove um grande gasto calórico, trabalha os membros superiores e ajuda a melhorar a respiração -Calorias perdidas em 30 minutos do exercício: 260 kcal - Cuidados: para o preparador físico Rodrigo Taddei, da Limiar Assessoria, a natação é capaz de aumentar a queima de gordura e auxiliar o emagrecimento, porém, alongamento, alimentação adequada e horas de descanso são importantes para não ficar com câimbras e dores musculares", explica.
Vôlei de praia
Vôlei de praia: para você que gosta de diversão e competição em grupo. -O que ele faz por seu corpo: melhora o condicionamento físico, aumenta a agilidade, trabalha a coordenação motora e fortalece os músculos. -Calorias perdidas em 30 minutos de aula: 150 kcal -Cuidados: "preste atenção no impacto sofrido pelos joelhos. Se for treinar nas ruas, escolha bem o tênis. Se for à praia, fique na areia dura, perto da água, pois ela é mais apropriada para correr, assimilando melhor o impacto. Já o piso fofo deve ser evitado, porque causa uma sobrecarga maior nas articulações", sugere o professor da Runner, Thiago da Silva Amorim.
Frescobol
Frescobol: para quem gosta de exercícios na areia.--O que ele faz por seu corpo: melhorar a coordenação motora é o mais importante benefício desse esporte superdivertido. -Calorias perdidas em 30 minutos: 190 kcal -Cuidados: "evite o período de Sol forte que vai das 10h às 16h. Além disso, use protetor solar e mantenha-se hidratado", explica o fisiologista João Pinheiro.
Bicicleta
Bicicleta: O que ela faz por seu corpo: enrijece o bumbum e as pernas, além de ajudar a queimar gordura abdominal. -Seja em ciclovia ou na areia da praia, o passeio de bicicleta ajuda a eliminar bastante calorias além de enrijecer os músculos das coxas. Procure pedalar em linha reta e a cada semana intensificar a prática aumentando o percurso. -Calorias perdidas em 30 minutos: 126 kcal -Cuidados: "É sempre bom usar roupas leves e beber muita água, afinal, a bicicleta exige força e disposição do seu corpo", explica o personal da Runner, Thiago da Silva Amorim.
Surf
Surf: esportes radicais na praia. O que ele faz pelo seu corpo: praticando esse esporte você aumenta em até 85% a capacidade cardiorrespiratória e fortalece os músculos do braço e tórax. Isso sem falar numa supermelhora do equilíbrio. Calorias perdidas: até 600 por hora. Cuidados: "É importante saber nadar bem para não correr riscos em alto mar e não comer nada pesado antes das aulas", explica o professor Daniel Nunes, da Escola DN Surf, em Nova Hamburgo, RS

FONTE:http:// www.minhavida.com.br




Faça exercícios na praia e queime calorias

Veja sete opções de atividades que você pratica sem deixar a diversão de lado



Sair de férias não é desculpa para deixar os treinos de lado, principalmente se você vai passar uns dias na praia. "As opções são variadas e os exercícios podem ser feitos em ritmo de brincadeira. Assim, o aluno mantém o condicionamento e, ao mesmo tempo, foge da rotina", afirma o personal trainer Stanley Isaias Carvalho de Sousa, da Academia Vip Training. Com a ajuda dele e de outros especialistas, montamos uma galeria com dicas de especialistas para você usar o tempo livre em favor da boa forma, mas sem risco de lesões aos músculos e articulações. Escolha o seu e mantenha a forma mesmo nas férias.


Frescobol - Foto Getty Images
Frescobol
De acordo com Samara Queiroz, coordenadora técnica do Grupo Runner, o frescobol é aliado de quem deseja ter um corpo bem definido. "Ele trabalha todos os músculos e também o condicionamento físico dos praticantes com os arremessos e os movimentos para correr atrás da bolinha", afirma. Quem deseja investir na atividade neste verão deve ficar atento ao peso da bolinha e das raquetes que, se forem pesadas demais, podem prejudicar os ombros, cotovelos e punhos. O Ideal é comprar uma marca confiável em lojas esportivas.


Calorias perdidas em uma partida de 30 minutos: 450 calorias, em média
Futebol - Foto Getty Images
Futebol
O futebol trabalha principalmente os membros inferiores, mas em arrancadas ou mesmo para pegar impulso, os músculos da cintura para cima também são trabalhados, de acordo com o personal trainer Stanley Isaias Carvalho de Sousa, da Academia Vip Training. Se praticado na praia, a atenção com os joelhos durante a prática do esporte deve ser redobrada, porque a areia força ainda mais as articulações. O ideal é evitar as áreas de areia muito fofa e preferir terrenos onde a pisada é mais firme.


Calorias perdidas em uma partida de 30 minutos: 600 calorias, em média
Vôlei - Foto Getty Images
Vôlei
"Devido à dificuldade de se mover na areia, o vôlei de praia é mais cansativo do que o vôlei de quadra, resultando em um gasto calórico muito maior", afirma a coordenadora Samara. Para praticar o esporte é fundamental usar roupas que permitam bastante movimentação e utilizar uma bola apropriada (mais macia do que a convencional). Além disso, fique atento quando for cair na areia para alcançar a bola. Embora ela pareça fofinha, pode causar sérias lesões, além de arranhar o corpo com o atrito.

Calorias perdidas em uma partida de 30 minutos: 500 calorias, em média
Caminhada - Foto Getty Images
Caminhada
Uma das atividades mais tradicionais do verão, a caminhada é um esporte recomendado principalmente para quem quer ganhar pernas torneadas e um bumbum durinho, explica Samara. "Se ela for feita na areia fofa, melhor ainda, pois os músculos serão trabalhados com uma intensidade maior", aponta. Se a caminhada for feita na areia dura, prefira usar tênis. "E sempre preste atenção nos joelhos. Sentindo alguma dor, interrompa a atividade".

Calorias perdidas em 30 minutos: 300 calorias, em média
Corrida - Foto Getty Images
Corrida
"A corrida trabalha os mesmos músculos da caminhada, mas exige um condicionamento físico mais forte", afirma Stanley. Para praticar o esporte é fundamental fazer alongamento e respeitar seus limites, parando a atividade a qualquer sinal de dor ou diminuindo o ritmo quando há falta de ar. Recomenda-se também usar tênis específicos, já que o impacto da corrida sobre as articulações é maior do que o da caminhada.

Calorias perdidas em 30 minutos: 600 calorias, em média
Bicicleta - Foto Getty Images
Bicicleta
O ciclismo trabalha principalmente os membros inferiores e é um esporte que tem a cara do verão. Mas,em vez de pedalar pela praia, atrapalhando quem caminha ou podendo causar um acidente, prefira ciclovias. "O asfalto também dá uma estabilidade maior ao praticante, evitando acidentes", afirma Samara.

Calorias perdidas em 30 minutos: 350 calorias, em média
Surfe - Foto Getty Images
Surfe
"Esporte nascido na praia, o surfe trabalha pernas, bumbum, braços e costas, além, é claro, da concentração e do equilíbrio", afirma Samara Queiroz. A profissional aconselha, apenas, que os praticantes tenham cuidado com a sinalização no mar e que fiquem atentos à correnteza. Preste atenção também aos demais praticantes e busque as técnicas mais seguras para cair sem se machucar.

Calorias perdidas em uma partida de 30 minutos: 550 calorias, em média


FONTE:http:// www.minhavida.com.br





10 exercícios campeões para torrar calorias

Veja o ranking, escolha o seu favorito e dê a largada rumo à boa forma



Nos dias de calor, a ordem é torrar sem dó nem piedade toda a energia extra acumulada pelo organismo. E mais: fazer isso num piscar de olhos e, se possível, com muita diversão. Sim, a gente entendeu o pedido e, com uma mãozinha dos médicos Marcelo Ortiz e Carlos Polazzo, do Instituto BR Esportes, ele foi atendido.Numa tarefa suada, montamos um ranking com as dez atividades que mais queimam calorias. Para a ficha ficar completa, ainda investigamos os prós e os contras de cada exercício. Afinal, não adianta nada ficar com uma barriguinha linda se você for obrigada a ficar de molho em casa, com dores pelo corpo todo.



Corrida - Getty Images



1. Corrida 

Não tem jeito: o pódio ainda é dela. Com uma hora de corrida, você gasta terríveis 900 calorias. Isso equivale a uma lasanha, um copo médio de coca-cola, uma porção de carne de frango e um brigadeiro. Ufa!

A favor: melhora o condicionamento cardíaco.
Contra: cuidado com o impacto do joelho e na coluna ao correr. Escolha um tênis com bons amortecedores (acerte na escolha do tênis). 
Andar de bicicleta - Getty Images
2. Andar de bicicleta 

Sair pedalando pelas ruas é sinônimo de 840 calorias a menos no corpo.

A favor: melhora o condicionamento cardíaco.
Contra: Cuidado com o desgaste da coluna e com o joelho. Antes de começar a pedalar, não deixe de ajustar o banco de modo que você nunca estique completamente a perna. 
Tênis - Getty Images
3. Tênis 

Trata-se de um esporte completo: você precisa de força para arremessar a bolinha e muito fôlego para percorrer a quadra. Mas tanto esforço é bem recompensado com a despedida de 800 calorias numa partida de uma hora.

A favor: melhora a coordenação motora, fortalece os músculos (principalmente dos braços) e aumenta a agilidade
Contra: lesões nos ombros e nos punhos, caso você se esforce demais. Se nunca praticou, procure um professor pelo menos no mês inicial.
Futebol - Getty Images
4. Futebol 

Temos um argumento imbatível para você topar bater uma bolinha, mesmo que tenha acabado de sair da manicure: uma hora de uma boa pelada consome 780 calorias!

A favor: fortalece as pernas e melhora o condicionamento
Contra: tome cuidado com os esbarrões e com as divididas, que podem exigir um pouco de força e jogo de cintura 
Boxe - Getty Images
5. Boxe 

Coloque as luvas e vamos ao ringue. Treinando boxe, você queima até 660 calorias e ainda define os braços.

A favor: pique de campeã e músculos dos braços muito bem torneados.
Contra: exige bastante preparo. Quantos aos socos, eles são feitos em sacos 
Musculação - Getty Images
6. Musculação 

Pode ser em casa, com pesinhos, ou na academia. Para cada hora de treino, você perder, em média, 720 calorias.

A favor: melhora a resistência articular e muscular, fortalece os ossos e ainda acelera a queima de calorias.
Contra: pode danificar músculos e tendões se não for feita com orientação adequada (saiba como evitar lesões). 
Remar - Getty Images
7. Remar 

Sim, pode parecer estranho e difícil remar em plena cidade grande, mas os médicos garantem a eficácia. Uma hora de braços para lá e para cá eliminam 600 calorias do corpo.

A favor: melhora o condicionamento cardíaco e muscular, define todo o peitoral e os braços rapidinho. É o segundo exercício mais completo que existe (depois da natação).
Contra: pode causar tendinite nos braços 
Natação - Getty Images
8. Natação 

Uma hora queima 540 calorias.

A favor: trabalha todos os músculos e melhora o condicionamento.
Contra: cuidado com os choques térmicos, caso treine numa piscina aquecida. Não se esqueça de alongar, evitando cãibras. 
Basquete - Getty Images
9. Basquete 

Não precisa ser nenhum craque do NBA, mas dar uma corridinha para um e outro lado da quadra e tentar jogar a bola na cesta pode te fazer perder 480 calorias.

A favor: trabalha braços e pernas, praticamente na mesma proporção, além de desenvolver o condicionamento físico
Contra: cuidado com impactos bruscos no joelho e na coluna e com as trombadas na quadra. 
Vôlei - Getty Images
10. VôleiVocê sempre pensou: ah, aquele esporte em que a gente fica meio parado nem deve me ajudar a emagrecer... pois errou. Uma hora praticando vôlei elimina 420 calorias da sua barriga, da sua perna, do seu bumbum...

A favor: braços e abdômen definidos
Contra: cuidado com as lesões nos dedos das mãos. Elas costumam ser frequentes. 


FONTE:http:// www.minhavida.com.br



10 atividades físicas que vão virar tendência em 2013

Treino funcional e fortalecimento do core estão na lista dos exercícios mais pedidos

Spinning, ginástica localizada e natação têm muitos benefícios, mas vão ficar longe dos holofotes das academias no próximo ano. Em 2013, são outros os exercícios que vão chamar a atenção, de acordo com os pesquisadores da Georgia State University, nos Estados Unidos. Eles fizeram um estudo com 3.346 profissionais de saúde e fitness de diversos países e definiram o Top 10 das academias do próximo ano. A lista inclui exercícios com o peso do próprio corpo e o fortalecimento dos músculos do core. Entram ainda atividades em grupo e com objetivos específicos. O American College of Sports Medicine's Health & Fitness Journal endossou o levantamento e, na sua edição de outubro, publicou a lista para quem quer colocar o corpo no ritmo das novidades. Quer saber quais são elas? O Minha Vida conversou com os especialistas brasileiros e te conta quais são.

 Fortalecimento do core  - foto: Getty Images

Fortalecimento do core

Adriano Coronato explica que core é uma expressão para definir os músculos que vão do meio da coxa até parte do abdômen, ou seja, refere-se aos músculos do quadril, abdômen e coluna lombar. O benefício é um centro de gravidade corporal mais forte, o que vai te dar mais equilíbrio, resistência física e ainda melhorar a sua postura. "Para malhar esses músculos, além de exercícios abdominais, são trazidos alguns exercícios específicos do pilates e do treino funcional", afirma Adriano Coronato.
Exercício com o peso do corpo - foto: Getty Images

Exercícios com o peso do corpo

Achou estranho? Pois você pode estar fazendo esses exercícios há algum tempo sem nem saber. São as flexões de braço, agachamento, exercícios de braços nas barras, entre outros. Segundo os pesquisadores da Georgia State University, além de ser um jeito eficaz de entrar em forma, esses exercícios não precisam de investimento financeiro muito grande, já que não requerem o uso de equipamentos. "O governo está colocando pranchas e outros aparelhos em praças e parques, o que influencia, e muito, a prática desse tipo de exercício", explica Adriano Coronato. Tire proveito dessa atividade eficiente e financeiramente viável.
Treino funcional - foto: Getty Images

Treino funcional

O treinamento funcional virou febre nas academias do mundo todo e também é sensação no Brasil para quem quer perder peso e definir músculos. "A ideia do treino é que, diferentemente da musculação que trabalha grupos musculares distintos em cada exercício, o treinamento trabalhe o corpo de forma global", explica Givanildo Matias. Em alguns exercícios, a carga de trabalho é exercida pelo próprio peso do corpo somado ao equilíbrio. No entanto, também pode ser realizado com acessórios e até alguns equipamentos específicos, como a bola suíça, o cinto de tração, a medicine bol, o bosu, o mini trampolim, a theraband e os cones. A atividade trabalha a aptidão cardiorrespiratória, a força, a coordenação e o equilíbrio.  
Musculação - foto: Getty Images

Musculação

Isso mesmo, ela continua a queridinha das academias - e esse amor tende a aumentar. O educador físico Adriano Coronato, personal trainer de São Paulo, explica que isso acontecerá, principalmente, pela difusão de academias e disponibilização de aparelhos em parques e praças. "Além disso, nenhum outro esporte permite o ganho de tônus e força muscular tão rapidamente, você consegue sair do sedentarismo e ver resultados logo", complementa Adriano, que cita a simplicidade da execução dos exercícios como um ponto forte da atividade. Outro item favorável a ela inclui a recomendação pelos médicos no tratamento e prevenção de diversas doenças, como diabetes, hipertensão, osteopenia e diabetes.
Prevenindo a obesidade infantil - foto: Getty Images

Obesidade infantil e exercício físico

obesidade já não tem mais idade para chegar, segundo dados do Ministério da Saúde, uma em cada três crianças no Brasil está acima do peso, podendo chegar à obesidade, situação em que o excesso de peso é encarado como doença. Junto com as medidas para adequar a dieta das crianças, vem também a procura pela atividade física. Givanildo Matias conta que os pequenos precisam de exercícios mais lúdicos, que fujam das repetições, e que aumentem suas capacidades motoras, prejudicadas atualmente pelo excesso de computador, televisão e joguinhos eletrônicos.
 Exercício para emagrecer  - foto: Getty Images

Exercício para emagrecer

Não é a toa que ele não cai do top 10, afinal, a perda de peso nunca sai de moda. Exercício aeróbicos que te ajudam a mandar embora os pneuzinhos a mais continuam em destaque. Adriano Coronato conta que cerca de 90% dos seus alunos têm como objetivo o emagrecimento. "Hoje em dia, as pessoas se incomodam com a obesidade tanto pelo desconforto estético como pelos riscos que ela oferece à saúde, os prejuízos do excesso de peso são bastante temidos", afirma.
Exercício para pessoas mais velhas  - foto: Getty Images

Programas de exercício para pessoas mais velhas

"A consciência de que o sedentarismo é uma doença, que pode contribuir para o aparecimento de diversas outras, é o que mais leva as pessoas acima dos 50 anos para a academia", explica Adriano Coronato. Programas elaborados pelo governo e até pela mídia como um todo reforçam a importância da atividade física, principalmente para quem está na idade em que os problemas de saúde começam a aparecer.
 Personal trainer - foto: Getty Images

Personal trainer

 Um personal trainer elabora um programa de treinamento só seu e te acompanha, orientando e fazendo adaptações, para que você conquiste seus objetivos. Além disso, os riscos pelo excesso de treino ou por se exercitar da maneira errada são minimizados com essa supervisão contínua. Givanildo Matias explica ainda que a atividade se popularizou em função da melhora do perfil econômico do brasileiro. "O poder de consumo aumentou, o que ajuda a democratizar a atividade".
 Personal trainer em grupo - foto: Getty Images

Personal trainer em grupo

Givanildo Matias explica que existem três níveis de trabalho: o generalizado (feito em grandes grupos nas academias), o personalizado (com um personal trainer só para você) e meio termo, dividindo o personal trainer com mais quatro ou cinco pessoas. Apesar de não ser a ideal, essa é uma boa escolha, já que o profissional vai conseguir enxergar as suas necessidades individuais e assessorar na conquista dos objetivos. Financeiramente o negócio também é vantajoso, já que o gasto também é compartilhado.
Personal trainer - foto: Getty Images

Profissionais certificados e experientes

Pelo quinto ano consecutivo, a importância de educadores físicos bem preparados atingiu o topo da lista. Os pesquisadores dizem que programas de certificação nessa área estão crescendo e a expectativa é que o número passe de 251.400 em 2010 a 311.800 em 2020, 29% a mais. 


O educador físico Givanildo Matias, conselheiro da Sociedade Brasileira de Personal Trainers (SBPT) explica que, no Brasil, a atividade de personal trainer ainda não tem parâmetros bem definidos. "Existem profissionais bons e ruins no mercado, até estudantes de educação física já se intitulam personal trainers", afirma. "A concorrência cada vez maior nesse mercado atraiu todo tipo de gente". Se informe sobre a formação e a experiência do profissional, também vale descobrir se ele tem as aptidões necessárias para atingir seu objetivo. "As franquias de personal trainer são uma boa alternativa para escolher um profissional, porque os profissionais passam por processo seletivo e capacitação para preencher a vaga", recomenda Givanildo. O cuidado minimiza os riscos e aumenta a eficiência do treino.

FONTE:http:// www.minhavida.com.br


Sete exercícios que melhoram o desempenho sexual

Abdominal, agachamento e alongamento garantem prazer sem dores musculares no dia seguinte

A noite passada nem foi tão boa assim e você está com dores nas pernas, na coluna lombar e, ainda por cima, exausto? Isso pode acontecer porque o seu preparo físico não está lá aquelas coisas e um esforço físico mais intenso, como a relação sexual, acaba exigindo dos seus músculos mais do que eles podem dar. "Além disso, o exercício físico pode ajudar a emagrecer e a aumentar a autoestima, melhorando a segurança e a busca pelo prazer", conta o personal trainer Givanildo Mathias, da assessoria Test Trainer, de São Paulo. 

Corrida - foto: Getty Images

Condicionamento físico

Nem tudo o que é bom precisa durar pouco. Se você concorda, sabe que um bom condicionamento físico é indispensável para ter fôlego e aguentar mais tempo de relação. "A aptidão cardiorrespiratória é um pré-requisito principalmente para as pessoas mais ativas sexualmente", conta o personal trainer Givanildo. O especialista recomenda atividades aeróbicas, como a caminhada, a corrida, a bicicleta e a natação para deixar o corpo tinindo para a atividade sexual. "Além de prolongar o tempo de atividade, isso vai proteger o coração da sobrecarga que ocorre durante o sexo", complementa.
Agachamento - foto: Getty Images

Fortalecimento de membros inferiores

Essa dica vai principalmente para as mulheres: "As posições em que a mulher se coloca durante a atividade sexual exigem muita força das pernas, se elas estiverem fracas, as dores nesses membros podem durar dias", explica Givanildo Mathias. Para preparar o corpo para a relação, vale lançar mão de um antigo aliado: o agachamento. "Esse exercício trabalha o quadríceps femoral, o glúteo e a musculatura posterior da coxa", conta. Aposte nesse "três em um" para deixar o sexo ainda mais interessante.
Exercício para os braços - foto: Getty Images

Fortalecimento de membros superiores

 Os homens precisam de braços mais fortes para dar todo o suporte que uma mulher precisa. Givanildo recomenda os tradicionais supino e crucifixo para deixar os membros superiores em forma. "Esses exercícios fortalecem os músculos da pegada", reforça o especialista. Confira as dicas para malhar os braços sem sofrer lesões.
Abdominal - foto: Getty Images

Abdominal

Tanto homens quanto mulheres precisam de um abdômen bem malhado para a atividade sexual. A dica para conseguir uma barriga trincada é variar de três a quatro tipos de abdominal. "Aposte no abdominal tradicional, depois faça o oblíquo e termine com o exercício para a parte baixa do ventre", recomenda Givanildo Mathias. Aprenda quatro tipos desse exercício. Mas se você foge da academia, vale a pena conferir outros seis exercícios que deixam a barriga chapada.
Exercício físico - foto: Getty Images

Coluna lombar saudável

Os músculos da região lombar da coluna são os antagonistas dos abdominais, muito solicitados durante a atividade sexual. O seu fortalecimento propicia um desempenho sexual muito melhor e previne dores nas costas no dia seguinte. "Os principais exercícios são abdominais, de extensão de coluna e quadril, flexão de coluna e quadril e exercícios de inclinação lateral do tronco", recomenda o educador físico Rodolpho Sunica, do Spa Sorocaba. "A extensão da coluna também vai ajudar a fortalecer a musculatura paravertebral, responsável por esse movimento", explica.
Alongamentos - foto: Getty Images

Alongamentos

"Os alongamentos são primordiais, pois melhoram muito a amplitude articular, evitando lesões durante a atividade sexual", explica Rodolpho Sunica. Os exercícios mais recomendados são os alongamentos para a região da coluna e as pernas, principalmente a região posterior da coxa. Lembre-se de segurar o membro alongado por pelo menos 15 segundos. Vale investir em uma aula específica de alongamentos, ou até mesmo em yoga e pilates, práticas que englobam alguns tipos de alongamento.
Bola suíça - foto: Getty Images

Quadril soltinho

Um bom jogo de cintura, principalmente para as mulheres, é essencial para uma boa relação sexual. "Elas podem investir em exercícios com bola suíça, que ajudam no fortalecimento, no equilíbrio, na coordenação e na estabilidade do quadril", orienta Rodolpho Sunica. Sentada na bola, faça círculos com o quadril no sentido horário e no anti-horário. Vale também projetar a pelve para frente e para trás.

FONTE:http:// www.minhavida.com.br



Exercícios simples melhoram a batida do seu coração


Boa frequência cardíaca melhora o funcionamento do cérebro e o bem-estar


Nosso coração possui um conjunto de 40 mil neurônios, um "minicérebro", que o torna sensível e capaz de adaptar o comportamento de acordo com suas percepções. O coração reage ao que percebe, influenciando todo o corpo, inclusive, o cérebro.
O "tum- tum" do nosso coração tem tanto as batidas que aceleram nosso funcionamento quanto as batidas que procuram brecar o aceleramento. O equilíbrio entre estas batidas chama-se coerência cardíaca: "Quando o ritmo de variabilidade do coração é forte e saudável, as fases de aceleração e redução alternam-se com rapidez e regularidade. Há uma coerência na variabilidade do ritmo cardíaco, diferente do caos." Esta é a definição de Davi Servan-Shreiber, neuropsiquiatra.
Ele ainda diz que se só mantivermos a vida em stress, com o pé no acelerador, o breque fica fraco. Um coração saudável precisa do equilíbrio entre acelerador e freio, o que pode ser conseguido através de hábitos saudáveis e exercícios. David Schreiber ainda ressalta: "Stress é possivelmente um fator de risco muito maior para as doenças cardíacas do que o fumo." 
"Quando o cérebro emocional não está funcionando bem, o coração sofre e se desgasta. Mas, a mais espantosa descoberta de todas é que essa relação funciona em mão dupla. O funcionamento correto do coração acaba por influenciar nosso cérebro também", sinaliza David Schreiber. Ou seja, quanto maior a coerência cardíaca, maior o ajuste entre cérebro e resto do corpo, portanto, maior a sensação de bem-estar, do equilíbrio da pressão arterial, de tranquilidade e ainda, maior é o retardo parcial do envelhecimento.

Em seu livro "Curar...", David Servan-Schreiber apresenta um exercício simples para melhorar o "tum-tum" do nosso coração:

1) Em um local agradável, longe de interrupções
a- Coloque sua atenção na respiração;
b- Inspire e expire profundamente uma vez;
c- Faça uma pausa de alguns segundos na respiração;
d- Inspire e expire profundamente mais uma vez;
e- Repita esta sequência até que sua respiração fique mais estável;

2) Depois, mantenha sua atenção na região do coração por uns 15 segundos

3) Imagine que você está respirando com o coração (se isso for difícil, imagine que está respirando do centro do seu peito).

4) Continue respirando lenta e profundamente, dando atenção a região do coração ou centro do peito.

5) Lembre-se de algum sentimento ou imagem agradável.

Assim, o coração enviará para o cérebro emocional a mensagem de que tudo está em ordem e, então, ele poderá trabalhar melhor e com mais eficiência. O resultado clínico desse exercício é: diminuição de stress, fadiga, depressão e hipertensão, e melhora da concentração, memória e sensação de bem-estar.

FONTE:http:// www.minhavida.com.br




Oito dicas para insistir no treino até seu corpo viciar


Dá até para fracionar as suas séries de exercícios e alcançar resultados mais eficientes


Adiar o início do treino, para muita gente, é mania. Não importa se está calor ou frio, ritmo pesado ou normal de trabalho, as desculpas são tantas, que você sempre dá um jeito de escapar. "Esse comportamento é típico de quem não consegue fazer exercícios durante três meses seguidos, este é o tempo necessário para o corpo se adaptar ao treino e sentir falta dele", afirma o educador físico Carlos Henrique Costa Sapucaia, especialista em treinamento resistido. O problema é que nem todo mundo tem paciência de insistir, por isso os especialistas vivem em busca de alternativas e truques para aumentar o seu engajamento na atividade física - a mais recente, obtida a partir de uma pesquisa, provou que fracionar um treino de meia hora em três blocos de dez minutos pode ser até mais eficiente.
Se você, mais uma vez, está sem forças para começar a treinar ou está cogitando desistir do exercício, veja as dicas dos especialistas para acabar com a moleza de treinar e mude já sua rotina.
Exercício físico - foto: Getty Images



Fracione o treino


Alguns estudos recentes vêm demonstrando que sessões de exercícios curtas e cumulativas durante o dia são tão benéficas quanto períodos longos e isolados de treino. O mais recente deles, realizado Centro de Pesquisas de Estilo de Vida Saudável da Universidade do Estado do Arizona (EUA), mostrou que o treino dividido em três sessões curtas por dia foi significativamente mais eficiente que uma sessão única de meia hora para controlar a pressão arterial. Se, por um lado, o estudo ainda não é o suficiente para provar que os treinos divididos são realmente mais eficazes em todas as situações, por outro ele indica que é possível ajustar a rotina para praticar exercícios e, ainda assim, experimentar benefícios. "Mas tome cuidado para não fracionar demais o exercício e, com isso, diminuir demais o ritmo das atividades, até cessar".

Mulher acordando - foto: Getty Images

Nem pense em desculpas


Ao acordar, você olha pela janela e torce para chover, veste as roupas de ginástica e acha que elas não caem bem? Ou você é daqueles que faz tudo por uma horinha de sono a mais? Ficar pensando nos contras vai te afastar cada vez mais da malhação. Deixar para amanhã também não adianta. Carlos Henrique Sapucaia conta que é importante ter objetivos bem definidos e pensar apenas neles para vencer a preguiça. "Quem quer emagrecer, ganhar condicionamento físico ou força não pode dar importância a obstáculos que aparecem, precisa dar foco nos benefícios", afirma.

Mulher correndo com música - foto: Getty Images

Aposte numa música animada


"Colocar uma música bem animada para tocar é uma boa estratégia de motivação, já que ela naturalmente estimula nosso corpo a se movimentar", afirma o educador físico Marco Pinheiro, coordenador de atividades físicas do Centro de Bem-estar Levitas. A dica é pular da cama bem cedo e já ligar o som ou programar o celular com uma música bem agitada. Claro que o gosto musical deve ser respeitado, mas músicas com alta frequência de batimentos por minuto, entre 132 e 140, são mais animadas e estimulam o corpo a entrar no mesmo ritmo.

Treino em grupo - foto: Getty Images

Chame um amigo para malhar

O compromisso com um amigo ou um parente é um dos principais fatores de motivação à pratica de atividade física. "Muitas pessoas só conseguem aderir a um programa de exercícios físicos com uma boa companhia", afirma Carlos Henrique. O companheirismo faz com que as pessoas não desistam da prática por qualquer motivo, como o frio. Além disso, a atividade em dupla ou grupo reforçam os laços de amizade e a troca de experiências. Mas lembre-se de sempre obedecer ao seu ritmo, seja ele maior ou menor que o do seu companheiro de exercício.
Aula de dança - foto: Getty Images

Escolha sua atividade por gosto pessoal

A melhor atividade que existe é a que você gosta de fazer. Se você não curtir o exercício, vai desistir rapidamente. Caminhada, ioga, danças, musculação: a lista é longa e não faltam modalidades para quem quer se mexer. "Só é importante escolher uma atividade física que trabalhe o corpo como um todo ou mesclar mais de um, pensando nisso", afirma o educador Marcos Pinheiro. "Se você gosta de musculação, associe um exercício aeróbico, como uma caminhada ou corrida, para garantir condicionamento cardiovascular, por exemplo".
Corrida - foto: Getty Images

Pense no progresso, mas tenha paciência

"Muitas pessoas esperam resultados rápidos e deixam de praticar exercícios por acharem que, se não tiveram resultados em poucos dias, não os terão mais", afirma Carlos Henrique. Enquanto o efeito desejado não aparece, pense em tudo o que você pode conquistar, seja emagrecimento, formas definidas ou mais qualidade de vida. Essa é uma boa tática para não desistir do treino. Mas não deixe de prestar atenção nas pequenas mudanças que aprecem no dia a dia, como a melhora na postura, o aumento de disposição para subir um lance de escadas ou a facilidade para se abaixar. "São pequenas conquistas que se perdem quando você para de treinar", diz o especialista.
Após o exercício - foto: Getty Images

Sensação prazerosa

Depois de terminado o exercício você fica relaxado e se sentindo muito bem? "Isso acontece devido à liberação do hormônio do bem-estar, a endorfina, que produz essa sensação prazerosa", afirma Carlos Henrique. Além disso, o exercício físico mantém os níveis da substância estáveis no sangue, o que combate o estresse e obesidade.
Exercício físico - foto: Getty Images

Faça mesmo que por pouco tempo

É importante que você se exercite três vezes por semana e cada sessão com duração mínima de 30 minutos. Se, eventualmente, você não tiver esse tempo disponível, movimente-se no intervalo que der, o período curto não é suficiente para fazer diferença no seu corpo, mas ajuda no bem-estar e na motivação - é mais fácil lidar com a culpa de treinar menos do que com o sentimento de ter abandonado completamente a tarefa.

FONTE:http:// www.minhavida.com.br


11 dicas para tornear as pernas



Desta vez a genética está do seu lado: aproveite para definir os músculos sem sofrer


Mulheres tendem a aumentar a gordura no quadril e nas pernas. A boa noticia é que a genética feminina oferece pernas mais fortes do que nos homens. Siga as dicas do professor de Educação Física, Luciano Teixeira da Silveira.

1. Desenvolva um programa completo de condicionamento físico e faça uma dieta saudável, para perder gordura e ganhar massa muscular.

2. Exercícios contra a resistência, como musculação, são responsáveis para que os músculos tonificados fiquem visíveis.

3. Só é possível eliminar a gordura em uma parte especifica do corpo, sem emagrecer por inteiro, com lipoaspiração. Perder peso através da atividade física e dieta resulta em um corpo muito mais harmônico e saudável.

4. O aumento da massa muscular acelera o metabolismo de repouso, ou seja, você queima calorias mesmo enquanto dorme.

5. Para trabalhar a parte da frente da coxa você precisa estender os joelhos contra uma resistência. O movimento mais típico é o executado na cadeira extensora, encontrada na sala de musculação.

6. A parte de trás da coxa é exercitada quando há flexão dos joelhos contra uma resistência. Em uma academia, use a mesa flexora.

7. Para a parte interna das coxas, faça o movimento de fechamento de pernas. O aparelho usado para isso é a cadeira adutora.

8. Na abertura de pernas, contra a resistência, a parte trabalhada é a lateral dos glúteos, que é importante pois elimina a gordura do culote.

9. Para enrijecer a panturrilha é necessário ficar na ponta dos pés, de preferência alongando-as ao máximo quando descer. Você pode fazer isso na academia ou em uma escada. Apoie a ponta dos pés na beira de um degrau, segure no corrimão, eleve os calcanhares e desça lentamente até abaixo da linha do degrau e repita.

10. O agachamento trabalha todos os músculos da perna. Existem aparelhos que movimentam essa musculatura. Mas você pode levantar e sentar de uma cadeira comum várias vezes.

11. Ande, corra, suba escadas, pedale, dance, pule corda, jogue bola. Divirta-se e mande a gordura embora enquanto você tonifica os músculos.
FONTE:http:// www.minhavida.com.br




Jump e step emagrecem e deixam o bumbum durinho




Exercícios são esperança contra a flacidez e a celulite


Está com preguiça ou quer emagrecer? Então, pule. A receita é simples, mas dá resultado. Jump e step são exemplos de exercícios em que os saltos trazem muito resultado. "Eles trazem a melhora da capacidade cardiovascular e realizam um alto gasto calórico, além de serem muito divertidos", afirma a professora Milena Emídio, coordenadora da Triathon Academia. Aulas de ritmos variados, aerofight, circuito também possuem essas características e podem ser encaradas como opção para aqueles dias em que bater uma vontade de fugir da esteira. A seguir, você conhece um pouco mais de cada um dos exercícios e pode começar já a praticá-los, preparando-se para pular ainda mais (de felicidade, desta vez).
aula de step - Foto Getty Images

Jump e step

O gasto calórico dos exercícios está relacionado com a condição física inicial do praticante, seu estado de saúde, alimentação e horas de sono. Em uma aula de 30 a 45 minutos, há queima de 300 a 600 calorias. jump e step também trabalham a coordenação motora. São aulas de fácil acesso para todas as pessoas, contando com músicas contagiantes e coreografias com diferentes graus de complexidade e intensidade.
mulher medindo o bumbum com uma fita métrica - Foto Getty Images

Pernas e bumbum

Se você quer tonificar os músculos inferiores, não perca as aulas de jump e step. Panturrilhas, coxas e glúteos são trabalhados intensamente durante os movimentos realizados. O melhor disso? Você nem percebe que está numa malhação intensa.
mulher na academia - Foto Getty Images

Fortaleça os músculos

Se você tem alguma lesão nos joelhos, precisa fortalecer os músculos e as articulações antes de entra no ritmo. O treino de musculação é essencial para isso e também não deixe de se alongar bem antes de começar a pular. Na dúvida, fale com o professor antes de encarar.
mulher medindo a cintura com uma fita métrica - Foto Getty Images

Tonifica o abdômen

Que tal praticar um exercício que tem, como bônus, a tonificação do abdômen? Se você gostou da idéia, então aproveite as aulas de jump e de step. Os músculos do abdômen e os paravertebrais funcionam como estabilizadores na aula de jump, portanto o trabalho em isometria é bastante intenso. Não há um trabalho específico de abdome, mas a musculatura é solicitada, afirma a professora Milena Emídio
amigos na academia - Foto Getty Images

Autoestima nas alturas

Além de melhorar o condicionamento, as aulas de jump e step melhoram muito a sua auto-estima. Elas promovem uma socialização, as pessoas se divertem e podem aproveitar uma vida mais ativa e saudável, diz a professora da Triathon Academia.
homem praticando jump - Foto Getty Images

Respiração

Na medida em que o tempo de aula e a intensidade dos exercícios vão aumentando, a respiração dos alunos torna-se mais intensa e mais rápida, o corpo exige maior captação de oxigênio. A respiração adequada durante uma aula de jump coordena a inspiração e a expiração de acordo com a velocidade, intensidade e tempo do exercício. Não há regras para respirar, cada um possui uma capacidade de captação e eliminação de gases. Como os músculos abdominais estarão tensos durante a execução do exercício, a respiração é mais torácica do que abdominal, segundo a professora.
mulher massageando as pernas - Foto Getty Images

Vale por uma drenagem linfática

Pular na cama elástica das aulas de jump vale uma massagem, de acordo com a professora. Há benefícios para o tratamento de celulite e também diminuição do inchaço. Os resultados surgem após o terceiro mês de aula.



FONTE:http:// www.minhavida.com.br











Invista nessas dicas e perca peso na velocidade da luz

Emagrecer em tempo recorde fica fácil com a série certa


Ao procurar a fórmula mágica para emagrecer, você depara com a dobradinha clássica: dieta balanceada e atividade física, os responsáveis pela perda de peso saudável. O que pouca gente conhece, no entanto, é a combinação de exercícios certos para alcançar a meta mais depressa.

Exercícios  aeróbios  ajudam  a ganhar fôlego e melhorar condicionamento
Quem conta o segredo é Eder Rosendo, professor e coordenador da unidade Tamboré da academia Bio Ritmo. "O primeiro engano de quem se exercita com o objetivo de emagrecer é achar que quanto mais exercício fizer, melhor para a perda de peso", diz Eder. "Na verdade, é importante evitar o excesso de atividades físicas para não fadigar os músculos", completa. Ele garante que praticar exercícios três vezes por semana é suficiente para notar resultados em um mês.

Três modalidades essenciais

Eder ressalta que o tempo para perceber as primeiras mudanças pode ser bastante variável, mas se o programa de exercícios estiver dividido em três modalidades, os resultados são certeiros. "As três atividades fundamentais para que os resultados sejam satisfatórios são musculação ou exercícios localizados, exercícios aeróbios e aulas de alongamento", afirma.
Segundo o professor da Bio Ritmo, a musculação e os exercícios localizados representam a atividade resistida, aquela em que os músculos são trabalhados individualmente, por repetidas vezes. Já as atividades aeróbias, representadas pela esteira, bicicleta e aparelhos elípticos, entram em cena para fortalecer o sistema cardiovascular. "Em outras palavras, é com esse tipo de treino que você começa a ganhar fôlego e melhorar o condicionamento físico", diz Eder. Paralelamente aos dois treinos, as aulas de alongamento são as responsáveis pelo desenvolvimento de uma musculatura forte e devidamente alongada.

Poupe energia evitando exercícios errados

É comum vermos pessoas suando a camisa nas aulas de abdominal, em busca do famoso tanquinho. Mas não adianta fazer um monte de aulas da mesma modalidade. "A quantidade de aulas é pouco eficaz, se não vier acompanhada de exercícios aeróbios e alongamento", exemplifica Eder.
Exercícios de musculação ajudam a criar resistência
Além da combinação dos três tipos de exercícios, o profissional da Bio Ritmo conta que a sequência com que eles são realizados influencia no emagrecimento. "Intercalar as atividades aeróbias com as séries de alongamento e musculação é, sem dúvida, a maneira mais rápida de emagrecer", afirma.
Na prática, a recomendação de Eder se resume em um aquecimento de 10 a 15 minutos em um aparelho de exercício aeróbio, alguns minutinhos de alongamento, séries de musculação e desfecho com, pelo menos, mais 30 minutos de atividade aeróbia. Aquecer-se com um tipo de atividade aeróbia, alongar o corpo, seguir as séries de musculação e, por fim, praticar mais um pouco de exercício aeróbio acelera o emagrecimento porque, durante a musculação, o corpo queima glicogênio para obter energia. Quando você parte para a atividade aeróbia, vai passar a queimar a reserva de energia que tem. Ou seja, as células de gordura.
Alongamento é  fundamental  para sucesso dos exercícios

Invista na queima de calorias

Os exercícios aeróbios podem ser realizados em aparelhos como bicicleta, esteira e elípticos. Mas se você quiser apostar na alta queima calórica, não deixe estes últimos fora do seu treino. A professora da Competition, Ana Paula Gomes, explica que os exercícios realizados em aparelhos como o transport são bastante intensos e geram uma grandeirrigação muscular, devido ao movimento contínuo e cíclico que o praticante realiza. "Todo esse esforço faz com que a frequência cardíaca aumente, fator determinante na queima de calorias", completa.
Apesar dos elípticos se destacarem, Ana Paula garante que a diminuição do percentual de gordura pode ser notada com a prática de qualquer um dos aparelhos aeróbios. "Se os exercícios forem realizados na frequência cardíaca correta, os resultados aparecem", afirma.
Para isso, os batimentos cardíacos durante a realização dos exercícios devem representar de 65 a 75% da frequência cardíaca máxima. Subtraia a sua idade de 220 e obtenha o valor equivalente à sua frequência cardíaca máxima. "A partir dele, é só fazer o cálculo de quanto representa 65 a 75% e manter os batimentos dentro desta faixa, durante a prática da atividade", ensina.
O gasto calórico é bem variável, já que depende de características como idade, peso, altura e nível de aptidão física. De acordo com a professora da Competition, uma pessoa de 60 kg perde, em média, 160 calorias ao caminhar na esteira por meia hora e 270 calorias, se correr pelos mesmos minutos. Já se o aparelho aeróbio escolhido for a bicicleta, a queima em 30 minutos é de 200 calorias, enquanto o praticante que se exercitar no aparelho elíptico perde 330 calorias.

FONTE:http:// www.minhavida.com.br

Anabolizantes fazem crescer os músculos sob risco de câncer e infarto



Esteroides alteram metabolismo, provocam impotência sexual e não aumentam força


Músculos volumosos, que chamam a atenção, são o sonho de quem pega pesado na academia. Mas nem todo mundo tem paciência para seguir o treino sem falhas e esperar os resultados aparecerem - na dúvida entre desistir dos exercícios e alcançar músculos fortes, tem quem acabe buscando os esteroides anabolizantes como alternativa para conseguir resultados mais rápidos. "Essas drogas, apesar de serem ilegais, são facilmente encontradas", afirma a cardiologista Luciana Janot, do programa de cardiologia do Hospital Albert Einstein. Em geral, as fórmulas são derivadas da testosterona, o hormônio sexual masculino, e causam a retenção de líquidos - daí o inchaço da musculatura. Os hormônios do crescimento (HGH), naturalmente produzidos pela hipófise, também têm sido usados como anabolizantes. 
"Devido à dose extra de hormônios, o metabolismo celular aumenta, surge o inchaço e os exercícios intensos provocam hipertrofia muscular", afirma a cardiologista. Nem mais fortes os músculos ficam, já que o aumento das fibras não é resultado de esforço, mas do acúmulo de líquidos - a ilusão até pode gerar lesões se a carga de peso for aumentada sem cuidado. Os riscos para a saúde, incluindo o perigo de morte, são muitos. Se você ainda tem alguma dúvida relacionada aos perigos dos anabolizantes, veja os alertas dos especialistas e abandone imediatamente essa ideia.

Coração - Getty Images

Riscos cardiovasculares

Uma consequência grave sofrida por quem abusa dos anabolizantes são os problemas cardiovasculares. Com a dosagem extra de hormônio circulando na corrente sanguínea, o músculo cardíaco pode ser vítima de fibroses (desenvolvimento exagerado de tecido muscular), devido ao aceleramento do metabolismo. Essas fibroses podem obstruir as veias, impedindo a passagem do sangue e causando ataques cardíacos.
Fígado - Getty Images

Câncer hepático

O fígado, por ser responsável pela metabolização de todos os medicamentos, acaba sendo sobrecarregado com a alta dosagem de hormônio no corpo e pode falhar ? nem sempre as enzimas são suficientes. Em casos mais graves, a sobrecarga causa nódulos nas células, que provocam câncer.
Colesterol - Getty Images

Colesterol

O endocrinologista Tércio Rocha, da Academia Brasileira, explica que essa sobrecarga no fígado também pode causar um aumento na produção de enzimas, o que faz o órgão produz mais colesterol ruim (o LDL) do que o bom (HDL). A gordura se acumula nas paredes das artérias do coração e do cérebro - por isso as veias entupidas podem causar derrame e acidente vascular (AVC). Em média, 75% do colesterol do corpo é produzido pelo fígado para as ações reguladoras do metabolismo. Quando há excesso de hormônio para ser metabolizado no fígado,há queda na produção do chamado colesterol bom (HDL) e aumento a produção do chamado colesterol ruim (LDL).
Infertilidade - Getty Images

Problemas de fertilidade no homem

Nos homens, há alto risco de atrofia dos testículos e infertilidade, de acordo com o endocrinologista Filippo Pedrinola, da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM). "Com altas doses de hormônio, os testículos perdem a capacidade de produzir testosterona, efeito que pode ser temporário ou permanente, dependendo de cada caso". Inibição da testosterona também pode levar à impotência. ?Os anabolizantes provocam bloqueios numa glândula chamada hipófise, que é a glândula que controla a fabricação de testosterona. Com isso, o homem pode entrar em um estado chamado de hipogonadismo, ou seja, a falta do hormônio masculino?. Nesta situação, há perda ou diminuição do desejo sexual, além de prejuízo na qualidade e na capacidade de ereção (disfunção erétil).
Hormônios - Getty Images

Desequilíbrio hormonal

O excesso de testosterona no organismo desequilibra o sistema hormonal dos homens e das mulheres. No caso delas, há aumento de pelos, engrossamento da voz, aparecimento do pomo de adão e hipertrofia do clitóris, o que atrapalha o prazer sexual. Os homens sofrem com a perda da libido e observam o aparecimento de mamas. "O homem pode ter um aumento do tecido mamário, problema conhecido por ginecomastia. "Parte da testosterona é convertida em estradiol, um hormônio feminino, estimulando o desenvolvimento de mamas, às vezes só uma cirurgia é capaz de reverter esse quadro", afirma Jomar Souza, presidente da Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte (SBMEE).
Acne - Getty Images

Pele com acne

O abuso de anabolizantes pode vir acompanhado de problemas cutâneos. O endocrinologista Tércio Rocha explica que a ação anabólica causa hipertrofia também nas glândulas sebáceas, responsáveis pela oleosidade natural da pele. "Quanto maior for o uso de esteroides, maior será a oleosidade da pele e há o surgimento de acne", afirma o especialista.
Anabolizantes - Getty Images

Hepatite e HIV

O endocrinologista Filippo Pedrinolla reforça um risco associado ao consumo de anabolizantes: muitas versões podem ser consumidas de forma injetável. As seringas e as agulhas, se não forem novas e esterilizadas, aumentam o risco de contágio de AIDS e hepatite.
Crescimento - Getty Images

Atrapalha o cerscimento

Quando a droga é usada por jovens menores de 21 anos, os danos podem ser maiores ainda. "Em adolescentes, o excesso de testosterona atrapalha o crescimento e acelera puberdade, piorando o desenvolvimento", afirma o endocrinologista Filippo Pedrinolla.
Agressividade - Getty Images

Aumento da agressividade

O endocrinologista Tercio Rocha explica que a testosterona é conhecida como o fator de maior contribuição no nível de agressividade do homem. Pessoas que tomam esteroides anabolizantes apresentam-se mais agressivos e violentos que o normal.



FONTE:http:// www.minhavida.com.br





Mude seu treino e comece a correr em trilhas




Sair do asfalto queima mais calorias e trabalha mais os músculos

Quem corre, sabe que é fácil inovar. É só mudar de ares. "Correr sempre no asfalto da cidade pode tornar o exercício muito mecânico. Por isso, aproveitar as férias para correr em uma trilha é uma maneira de continuar a praticar sem cair na monotonia", diz o esportista e montanhista George José Volpão, que corre em trilhas de montanhas há 15 anos. A corrida em trilha tem características que a distanciam do treino no asfalto ou na esteira, como tipo de piso, equipamentos, intensidade e tipos de lesões, e que interferem no resultado do exercício. Por isso, é importante conhecer bem esta modalidade antes  de começar a praticá-la.


casal correndo na trilha - Foto: Getty Images

O treino nunca é o mesmo
Uma das principais vantagens de correr em trilhas é a paisagem. Entrar em contato com elementos da natureza enquanto faz uma atividade física pode ser até mais revigorante e agradável do que praticar exercícios na cidade ou na academia. "Em uma corrida de trilha há sempre uma variação na paisagem, mesmo se a corrida for feita exatamente no mesmo percurso. Há grandes mudanças nas cores dependendo do clima, do horário e da época do ano", diz George Volpão.

mulher correndo em uma trilha - Foto: Getty Images

Corrida mais intensa
Estudos realizados nos Estados Unidos mostraram que correr trilha queima, em média, 28% mais calorias do que no asfalto. Isso acontece por que o corpo precisa trabalhar um maior número de músculos durante o trajeto porque o piso de terra, lama e pedras de uma trilha faz nossas pernas e quadril ter um trabalho maior. "É muito comum ficar com dor no quadril depois de uma corrida em trilha, já que os músculos dessa região são poucos trabalhados em outros tipos de corrida. Depois de um tempo praticando trilha, a musculatura se fortalece e o desconforto diminui", diz George.
Para evitar
lesões e fortalecer o esqueleto, é necessário fazer um treino de musculação, focando na região do quadril e nos músculos que sustentam a coluna. Com o fortalecimento dessa região, toda a parte inferior do corpo fica mais protegida. De acordo com um estudo feito pela Universidade de Calgary, no Canadá, os corredores que tem uma fraca musculatura no quadril, estão mais propensos a ter lesões no joelho e no tornozelo do que aqueles que fazem exercícios para fortalecer esse grupo muscular.

detalhes nos pés de um corredor na trilha - Foto: Getty Images

Menos lesões
Em uma trilha, cada vez que o pé toca o solo, uma variedade diferente de músculos é acionada, devido às irregularidades do solo. Por ser um exercício com pouca repetição de movimentos, as articulações, tendões, ossos e músculos ficam mais protegidos de lesões comuns no treino feito na cidade. "O piso mais macio também protege nossas articulações de impactos que causariam lesões", comenta George.

Mesmo assim, algumas lesões podem acontecer e é preciso ficara tento. Como o piso é muito irregular e muitas vezes é fofo, as torções são mais comuns nas corridas de trilha, principalmente para os corredores urbanos que começam com um ritmo muito acelerado sem estarem preparados. "O maior perigo de lesões em uma trilha são as quedas, que acontecem basicamente quando corredores não mudam o ritmo em uma descida. Os tornozelos e os punhos são os locais mais afetados, já que há o instinto de colocar a mão para tentar amortecer o impacto", diz George Volpão.

homem correndo e levantando várias folhas - Foto: Getty Images

Comece devagar
Como a corrida em trilha possui características diferentes da que é feita na cidade, mesmo um corredor já acostumado com grandes distâncias no asfalto precisa começar com calma. Ele não deve se preocupar com a distância percorrida, e sim com o tempo de exercício. "Como em uma trilha há uma variedade de elementos que fazem o nosso corpo trabalhar mais, como mudanças no tipo de piso, subidas e descidas, curvas, rios e obstáculos no meio do caminho, os músculos fazem um esforço maior se comparado à mesma distância percorrida nas ruas planas da cidade", diz o montanhista.

homem de mochila parado no meio da trilha - Foto: Getty Images

Preocupação com os assessórios
Durante um treino na trilha é importante lembrar que dificilmente você irá encontrar lojas de equipamentos para ajudar nos momentos de necessidade. Por isso, é importante sair de casa com todos os acessórios indicados para manter o ritmo elevado e não passar por dificuldades. Uma mochila ou pochete com uma garrafa de água, uma barrinha ou um gel energético e uma fruta não pode faltar no kit de quem está se preparando para correr em uma trilha.

A escolha do calçado adequado também é fundamental. "Para correr em uma trilha, onde o piso é muito irregular e também existem muitas subidas e descidas, o calçado feito para corridas no asfalto não é indicado. É preciso usar um tênis que tenha um cano um pouco mais alto, principalmente na parte de traz no tornozelo, para deixar o pé firme e evitar torções", diz George Volpão. Esse tipo de calçado não é costuma ser muito mais caro do que o de corrida normal.

mulher apontando a direção para seu companheiro - Foto: Getty Images

Conheça o percurso
Principalmente para quem está começando, é importante saber quais as surpresas que o seu trajeto pode trazer. "Os iniciantes devem optar por trilhas mais planas, não tão longas e devem saber a hora de parar e voltar", diz o esportista. Segundo George, muitas pessoas se empolgam na hora de fazer uma trilha, e acabam ficando muito longe do caminho de volta. "Em uma trilha, nunca podemos esquecer que o caminho de volta será feito a pé, e não podemos pegar um táxi para voltar para casa".

mulher correndo em um dia de sol - Foto: Getty Images

Hora certa para correr
Correr muito cedo ou quando sol está se pondo, horários bastante populares para fazer uma corrida na cidade, não são os mais indicados para fazer uma trilha. No escuro, fica mais difícil ver as irregularidades no piso, o que facilita torções, quedas e machucados. Além disso, se a trilha for muito fechada, com pouca iluminação fica mais fácil se perder. "Como as mudanças no piso são constantes, o corredor de trilha deve sempre pensar nos próximos três passos que dará para preparar o corpo e fazer o movimento certo. No escuro, isso fica mais difícil", diz o especialista.

detalhes nos pés de uma corredora na trilha - Foto: Getty Images

Trabalha a coordenação
A trilha trabalha a nossa percepção de como o corpo se move e onde ele se encontra, ou seja, nossa coordenação motora e nossa concentração. "Com tantos estímulos diferentes, sejam eles visuais, táteis, sonoros ou olfativos, durante um treino, o nosso corpo com o tempo fica mais ágil e mais resistente a caminhas e corridas, mesmo quando elas voltam a ser feitas no asfalto", explica George Volpão.

Homem alongando em cima de uma ponte no meio da trilha - Foto: Getty Images

Treine para se recuperar
A menor velocidade se comparado à corrida de rua faz do treino na trilha um bom lugar para se recuperar suas articulações e músculos de um treino mais intenso feito no dia anterior. "Não é preciso ir muito longe para encontrar uma trilha para correr. A maioria dos parques nas grandes cidades tem trilhas para esse fim. Para quem está começando ou está se recuperando de alguma lesão, essas trilhas menos extensas são uma ótima opção", diz George Volpão.

 FONTE: http:// www.minhavida.com.br


Aproveite a cama para se exercitar logo de manhã

Alguns exercícios feitos no quarto ajudam a manter o preparo físico

Você já deve ter lido muitos artigos sobre os benefícios que uma boa espreguiçada pode trazer a nossa saúde, certo? Mas, além dessa prática saudável, você pode executar movimentos físicos na sua própria cama para começar um leve condicionamento para o dia. Você pode estar achando engraçado, mas fazer a

Atividades físicas antes mesmo de sair da cama é muito benéfico ao corpo. 

Para começar o exercício, tire o travesseiro de baixo da cabeça, e coloque-o ao seu lado. E na sequencia dê uma leve espreguiçada geral e conte até 30 segundos, alongando pernas e braços. Em seguida abrace as pernas pelos joelhos para alongar a região lombar, repetindo essa série três vezes, ou seja, alternando, espreguiçar e abraçar pernas por 30 segundos cada. 
Já está cansado? Então se prepare, pois isso foi só o alongamento. Após a fazer série descrita à cima, você pode iniciar os exercícios resistidos ou localizados. 

Para os iniciantes é bom seguir o programa a baixo, para evitar lesões e esforço exagerado. 1. Adutor (interno de coxas) - Deitado com as costas na cama, com joelhos flexionados e pés alinhados com quadril, encaixe o travesseiro no meio das pernas e pressione-o (de 10 à 50 vezes); 
2. Peitoral - na mesma postura usada acima, segure o travesseiro entre as mãos, alinhadas com a região peitoral e pressione de 10 à 30 vezes; 
3. Abdominal - Segure o travesseiro na frente do tronco e movimente o tronco como se fosse encaixar o travesseiro sobre os joelhos, sem tirar a lombar da cama(de 10 a 30 repetições). Importante: a cabeça não pode encostar na cama no retorno do tronco. 

Dica: Você pode alternar nesta ordem adutor, peitoral e abdominal e repetir de duas a três vezes de acordo com seu condicionamento. Para aumentar a resistência você pode também utilizar dois travesseiros ou dobrá-lo. 

4. Glúteos (Ponte) - é usada a mesma postura nos exercícios a cima, porém feche bem as pernas e tire o quadril da cama cinco vezes; volte o quadril para cama e separe um pouco mais os pés e repita mais cincos subidas e descidas; separe mais cinco até sua abertura máxima e por último faça mais cinco fechados. 
5. Oblíquos: Deite de barriga para cima, com o travesseiro ao seu lado. Pegue o travesseiro e coloque-o do lado oposto, volte o tronco para a cama e faça o mesmo movimento de 10 a 30 repetições. 
6. Quadríceps (agachamento) - Sente-se na cama com os pés bem apoiados no chão. Os pés devem estar alinhados ao quadril. Sente e levante da cama de 10 à 20 vezes. 
7. Tríceps (apoio de mãos na cama) - Sente-se na cama e apoie as mãos ao lado do quadril. Depois disso, coloque os pés um pouco à frente e tire o quadril da cama, fazendo uma leve flexão de cotovelos de 5 á 15 vezes.
1ª semana: duas vezes uma série de cada exercício acima (ex: segunda e quinta ou terça e sexta).
2ª semana: três vezes uma série de cada exercício( ex: segunda, quarta e sexta ou terça, quinta e sábado).
3ª e 4ª semana: três vezes por semana e duas séries de cada exercício(ex: segunda, quarta e sexta ou terça, quinta e sábado). 
da 5ª À 8ª semana: três vezes por semana e três séries de cada exercício(ex: segunda, quarta e sexta ou terça, quinta e sábado).
da 9ª semana em diante: faça um dia sim e outro não. Uma boa ideia é alterar esses exercícios com caminhada, dança, natação e bicicleta. E se você puder, vá para uma academia ou procure em seu bairro algum clube ou associação que ofereça um programa de atividade física orientado por profissionais de Educação Física. 

FONTE:http:// www.minhavida.com.br


 Conheça sete benefícios de treinar no inverno

O exercício físico espanta o mau humor e gasta mais calorias nessa estação

O frio chega e passa aquela vontade de fazer exercícios. A disposição dificilmente vence a briga com o termômetro quando as temperaturas caem e o resultado é uma correria danada, nos próximos meses, para compensar os meses de preguiça. E o que você nem desconfiava: você está desperdiçando o melhor período do ano para ganhar saúde e dar um gás no emagrecimento. "O treino no inverno traz mais resultados do que no verão, caso o seu corpo já esteja acostumado aos exercícios", afirma o educador físico Daniel Gusmão, da academia K2, de São Paulo. Confira quais são os motivos que precisam ser lembrados na hora de abandonar o edredom e calçar o tênis.

Corrida - Foto Getty Images

Gasta mais calorias

No inverno, normalmente o corpo vai precisar de mais calorias para se aquecer, o que aumenta o gasto de energia. "É por isso que dá mais vontade de consumir alimentos bem calóricos, seu organismo está avisando que está com o metabolismo mais rápido", afirma Gustavo Abade, treinador de corrida e condicionamento físico da Assessoria Branca Esportes, de São Paulo. "A vantagem de treinar no inverno é usar esse gasto calórico extra, acompanhado de exercícios e uma dieta equilibrada, para obter uma redução de gordura."

Mulher com bolo - foto: Getty Images

Queima os excessos da alimentação

O frio aumenta a vontade de comer alimentos mais calóricos. Isso é instintivo, uma defesa para proteger o organismo. Mas os resultados vão além: o acúmulo de gorduras é quase inevitável. Para equilibrar essa equação e passar o inverno em forma, o educador físico Gustavo enfatiza a importância de gastar o que foi consumido com a prática de exercícios.

Treino - foto: Getty Images

O treino é tranquilo

Para quem odeia academia tumultuada, filas de espera nos aparelhos e ficar desviando dos outros no parque, o inverno traz uma ótima vantagem. Muita gente fica com preguiça ou frio demais e acaba evitando a atividade física. Gustavo Abade dá a dica: aproveite para curtir mais os parques, correndo ou caminhando à vontade e curtindo o visual. Só não se esqueça do agasalho.

Mulher correndo - foto: Getty Images

Combate a depressão e o mau humor

É comum, principalmente nas regiões sul e sudeste do Brasil, que as pessoas fiquem mais deprimidas no inverno. Praticar exercícios físicos aumenta a concentração de endorfina, substância que promove bem-estar e ajuda no tratamento da depressão. O educador físico Daniel Gusmão, coordenador geral da academia K2, explica que é preciso um tempo de exercício para que os níveis aumentem. "Alguns estudos mostram que a endorfina é liberada de 24 a 48 horas após o treino." Por isso, quem treina com frequência sente os benefícios durante toda a estação.

Mulher dormindo - foto: Getty Images

Equilibra o sono

Nem sempre o repouso sono está totalmente relacionado ao número de horas dormidas. Às vezes, a sonolência aparece porque o sono não foi de qualidade. Um estudo publicado na revista Mental Health and Physical Activity revelou que pessoas habituadas a praticar pelo menos 150 minutos de exercícios por semana dormem melhor e ficam mais alertas durante o dia, comparadas àquelas que praticam pouco ou nenhum exercício. Mas o educador físico Daniel recomenda: "evite exercícios físicos até duas horas antes de dormir, eles liberam hormônios que dificultam a chegada do sono."

Mulher malhando - foto: Getty Images

Fica mais gostoso treinar

Quem sofre com sobrepeso e obesidade sente um incômodo grande no verão, quando o calor estimula ainda mais a transpiração. "O corpo sua mais no verão porque precisa fazer um esforço maior para regular a temperatura interna", afirma Daniel Gusmão. Transpirando menos no inverno, o treino fica mais agradável. Mas o especialista faz a ressalva: isso não significa que quem está acima do peso deva se exercitar somente no inverno.

Alongamento - foto: Getty Images

Afasta o sedentarismo

Você é do time que curte o inverno debaixo das cobertas? Passar a maior parte do tempo sem fazer exercícios ou se movimentar acaba com o seu condicionamento. "Praticar esportes só no verão - já que a quantidade de roupas é muito menor - é um grave erro", afirma o educador físico Daniel. O sedentarismo é considerado uma doença, capaz de gerar muitas outras, por isso, proteja-se o ano inteiro.

FONTE: http:// www.minhavida.com.br


Descubra os sete exercícios infalíveis para perder o culote

Só torrar calorias com os aeróbios não basta para enxugar medidas dos quadris

Perder gordura na região do quadril e das coxas, ou diminuir o culote, é um dos maiores desafios das mulheres que seguem firme um programa de treino. As medidas em outras áreas do corpo vão secando, mas a gordura localizada na lateral permanece e até chega a desmotivar, algumas vezes. "Quando você faz um exercício aeróbio, contribui para diminuir o culote, mas existem movimentos específicos que aceleram os resultados", afirma o personal trainer Luiz Gangi, da academia Gangi Sports, em São Paulo.
Você descobre a seguir que exercícios são estes. O especialista recomenda aos iniciantes de duas a três séries com 15 a 20 repetições para cada um deles. Se você tiver alguma dúvida quanto à intensidade dos treinos ou à postura correta de execução, procure um personal trainer antes de dar início à série - esta é a melhor maneira de prevenir lesões.

três pessoas usando bicicleta ergométrica - Foto Getty Images

Bicicleta
Seja pedalando nas ruas ou numa ergométrica, o treino com bicicleta ajuda a perder as gorduras da região do quadril e coxas. "Como a atividade de pedalar é aeróbia, ela utiliza gorduras como fonte energética, nesse caso as das coxas e glúteos, áreas mais acionadas no exercício", afirma o personal trainer Juliano Farah, gerente de musculação da Cia Athletica de Brasília.
Mulher usando aparelho abdutor - Foto Getty Images
Aparelho abdutor
Esse aparelho tem movimento específico para a musculatura dos glúteos, por isso ajuda na diminuição do culote. "Mas esse exercício sozinho não traz muito resultado, é preciso combiná-lo com uma atividade aeróbica, como bicicleta", afirma o personal Juliano. Para fazer exercícios de abdução, basta posicionar o aparelho na parte externa das pernas e graduar a carga de acordo com a sua força - na foto, o movimento mostrado é o de adução, mas basta se reposicionar no mesmo aparelho.
aula de step - Foto Getty Images
Step
Muito populares nas academias, as aulas de step trabalham a musculatura dos glúteos, posteriores da coxa e panturrilha. "Ao fazer exercícios usando o step, é importante colocar todo o pé no aparelho em vez de apenas a ponta, para não forçar a panturrilha", afirma o personal trainer Luiz Gangi, da academia Gangi Sports, em São Paulo. Para quem nunca fez as aulas, é importante não investir em coreografias complexas logo de início, ficando apenas com os passos básicos.
mulher deitada em um colchonete com uma das pernas elevada - Foto Getty Images
Exercícios com caneleira
Quem não frequenta a academia podem perder os culotes fazendo exercícios em casa, usando caneleiras. Há duas opções de exercícios com caneleiras: deitada de lado, suba e desça a perna que está por cima. "Ou então, ainda deitada, levante a perna e faça movimentos de flexão e extensão, como se estivesse dando chutes", explica Luiz Gangi. Após a primeira série, faça um descanso de 30 segundos e passe para a outra perna.
três pessoas fazendo exercício quatro apoios - Foto Getty Images
Quatro apoios
Esse exercício trabalha os músculos posteriores da coxa e glúteos. Para fazê-lo, você deve apoiar seus joelhos e cotovelos alinhados com os ombros e quadris em um colchonete. Depois levanta uma das pernas, sem esticá-la, e faça movimentos de subida e descida, como se estivesse dando coices para o alto. "Preste atenção nos movimentos, a força para levantar a perna deve vir dos quadris, e nunca da coluna, prevenindo lesões", diz Luiz Gangi. Após terminar com a primeira perna, espere 30 segundos, troque e repita a série.
mulher fazendo agachamentos - Foto Getty Images
Agachamentos
O personal Juliano explica que o agachamento é feito com as duas pernas paralelas, imitando o movimento de sentar-se em uma cadeira. "É importante deixar a coluna ereta e observar os joelhos, que não podem passar da linha dos pés", completa. Você pode usar de fato uma cadeira ou um banco para praticar o agachamento, e quanto mais baixo o banco mais os músculos são exigidos. Esse exercício trabalha os posteriores da coxa e glúteos.
mulher subindo escadas - Foto Getty Images
Subir e descer escadas
Essa é uma excelente alternativa para quem não faz aulas de step, mas quer aproveitar os benefícios da modalidade. "Você fazer movimentos iguais aos do step ou pode simplesmente subir e descer as escadas várias vezes", afirma Luiz Gangi.

FONTE:http:// www.minhavida.com.br


Seis lições que uma torcida de futebol pode ensinar

Quem torce e vibra em conjunto inspira boas sensações

Partidas decisivas de futebol são sempre uma emoção, ainda mais uma final de Libertadores com o Corinthians perto do título como nunca esteve. Quem não fica contagiado com o clima da torcida - seja a favor ou contra? O jogo começa e pronto: lá vamos nós vibrar sem parar. Churrasco com família, casa dos amigos, barzinho com colegas de trabalho, tanto faz. Desde que tenha um monte de gente na mesma sintonia. Por isso, a torcida é muito bem-vinda e faz parte do espetáculo do futebol. Mas, o que será que podemos aprender com essa união de pessoas, cujo único ponto em comum é a expectativa de vitória? Vamos tentar descobrir o que podemos aprender com esta turma. Confira alguns pontos importantes que podemos encontrar no bom torcedor:

Torcedor gritando gol - foto: Getty Images

Estímulo para todo o corpo

O princípio básico de uma boa torcida é a união, mas não se trata de um simples agrupamento de pessoas. O psicobiólogo da Unifesp Ricardo Monezi, especialista em medicina comportamental, explica que o ser humano se sustenta em três pilares importantes: biológica, psicológica e social.

"O futebol é um evento social muito importante para o brasileiro", explica o especialista. "Tão importante que passa a mexer com a parte psicológica e a parte biológica da pessoa." Ele dá o exemplo: durante o jogo, o torcedor tem momentos característicos de raiva, alegria, tristeza, euforia, o que acaba influenciando os batimentos cardíacos (que ficam mais acelerados), as áreas do cérebro (que ficam em estado de alerta) e a memória (que se ativa para analisar o passado dos jogos, campeonatos e jogadores).

Estádio lotado em dia de jogo - foto: Getty Images

Sentimento coletivo

Além da explosão física e emocional que temos, quando estamos em torcida é despertado no coração do torcedor outro sentimento muito mais sutil, a compaixão. "Torcer pelo time gera uma compaixão relacionada à vontade de expressar o amor pela por um grupo ao qual você e outras milhares de pessoas pertencem", afirma Ricardo Monezi. Isso acaba gerando maior companheirismo e união entre as pessoas que gostam de futebol, sobretudo quem tem um time em comum. "A solidariedade vem por que elas compartilham de uma história e um objetivo em comum", diz o especialista.

Torcida se abraçando em frente à televisão - foto: Getty Images

Solidariedade em alta

O reconhecimento de um objetivo em comum, ou seja, a felicidade pela conquista de um título importante faz com que as pessoas fiquem mais solidárias, oferecendo e recebendo ajuda, compartilhando informações, opiniões , momentos de alegria e outros sentimentos. "Ajudar o outro faz muito bem para nós e deveríamos nos lembrar disso nas demais situações de nossas vidas", afirma Ricardo Monezi.

A união faz a força seja em reuniões em frente à televisão ou em grandes festas na praça do Anhangabaú, quando o time vence, muito torcedores querem comemorar em grupo, pois veem o time como uma grande família. "Poderíamos aproveitar esse exemplo de torcida de futebol para nos unir mais às pessoas com as quais convivemos", sugere o psicobiólogo Ricardo. "Isso contribuiria para renovar e reforçar nossa vida social, que é fundamental para uma boa qualidade de vida."

Alegria contagiante de torcedores comemorando gol - foto: Getty Images

Viver com mais alegria

O melhor torcedor é aquele que encara o ato de torcer como uma grande diversão - mesmo que isso signifique perder algumas vezes. É claro que as vitórias são muito importantes, mas as torcidas que mais empurram o seu time são aquelas que não desistem de torcer em épocas de má fase do clube. A alegria é fundamental para encarar os dribles que a vida nos dá de vem em quando. Isso nos deixa fortalecidos e "prontos para outra".

Torcedor diante da derrota - foto: Getty Images

Lidar com as emoções

Por falar em alegria, outro ponto importante é administrar as tristezas e a felicidade para não sofrer demais e nem tirar os pés do chão. "Há o espaço para o sofrimento e há o espaço para o contentamento - o que não podemos deixar acontecer é que a chateação se sobressaia durante muito tempo", lembra Ricardo Monezi. Podemos ficar irritados com a eliminação do nosso time, mas logo precisamos ter força o suficiente para e voltar a fazer o que sabemos de melhor: torcer.

Jogador comemorando um gol - foto: Getty Images

Aproveite as sensações boas

Para que você, torcedor fanático, possa aprender com o seu próprio comportamento em época de jogos importantes de futebol, o especialista dá a dica: "Feche os olhos por um instante e procure ter consciência do que está sentido no momento". "Se for uma sensação de bem-estar, é provável que você vá querer repeti-la, mas se for um sentimento ruim, você deve fazer de tudo para espantá-lo."

FONTE:http:// www.minhavida.com.br


10 exercícios campeões para torrar calorias

Veja o ranking, escolha o seu favorito e dê a largada rumo à boa forma

Nos dias de calor, a ordem é torrar sem dó nem piedade toda a energia extra acumulada pelo organismo. E mais: fazer isso num piscar de olhos e, se possível, com muita diversão. Sim, a gente entendeu o pedido e, com uma mãozinha dos médicos Marcelo Ortiz e Carlos Polazzo, do Instituto BR Esportes, ele foi atendido.Numa tarefa suada, montamos um ranking com as dez atividades que mais queimam calorias. Para a ficha ficar completa, ainda investigamos os prós e os contras de cada exercício. Afinal, não adianta nada ficar com uma barriguinha linda se você for obrigada a ficar de molho em casa, com dores pelo corpo todo.

Corrida - Getty Images

1. Corrida

Não tem jeito: o pódio ainda é dela. Com uma hora de corrida, você gasta terríveis 900 calorias. Isso equivale a uma lasanha, um copo médio de coca-cola, uma porção de carne de frango e um brigadeiro. Ufa!

A favor: melhora o condicionamento cardíaco.
Contra: cuidado com o impacto do joelho e na coluna ao correr. Escolha um tênis com bons amortecedores (acerte na escolha do tênis).
Andar de bicicleta - Getty Images
2. Andar de bicicleta

Sair pedalando pelas ruas é sinônimo de 840 calorias a menos no corpo.

A favor: melhora o condicionamento cardíaco.
Contra: Cuidado com o desgaste da coluna e com o joelho. Antes de começar a pedalar, não deixe de ajustar o banco de modo que você nunca estique completamente a perna.
Tênis - Getty Images
3. Tênis

Trata-se de um esporte completo: você precisa de força para arremessar a bolinha e muito fôlego para percorrer a quadra. Mas tanto esforço é bem recompensado com a despedida de 800 calorias numa partida de uma hora.

A favor: melhora a coordenação motora, fortalece os músculos (principalmente dos braços) e aumenta a agilidade
Contra: lesões nos ombros e nos punhos, caso você se esforce demais. Se nunca praticou, procure um professor pelo menos no mês inicial.
Futebol - Getty Images
4. Futebol

Temos um argumento imbatível para você topar bater uma bolinha, mesmo que tenha acabado de sair da manicure: uma hora de uma boa pelada consome 780 calorias!

A favor: fortalece as pernas e melhora o condicionamento
Contra: tome cuidado com os esbarrões e com as divididas, que podem exigir um pouco de força e jogo de cintura
Boxe - Getty Images
5. Boxe

Coloque as luvas e vamos ao ringue. Treinando boxe, você queima até 660 calorias e ainda define os braços.

A favor: pique de campeã e músculos dos braços muito bem torneados.
Contra: exige bastante preparo. Quantos aos socos, eles são feitos em sacos
Musculação - Getty Images
6. Musculação

Pode ser em casa, com pesinhos, ou na academia. Para cada hora de treino, você perder, em média, 720 calorias.

A favor: melhora a resistência articular e muscular, fortalece os ossos e ainda acelera a queima de calorias.
Contra: pode danificar músculos e tendões se não for feita com orientação adequada (saiba como evitar lesões).
Remar - Getty Images
7. Remar

Sim, pode parecer estranho e difícil remar em plena cidade grande, mas os médicos garantem a eficácia. Uma hora de braços para lá e para cá eliminam 600 calorias do corpo.

A favor: melhora o condicionamento cardíaco e muscular, define todo o peitoral e os braços rapidinho. É o segundo exercício mais completo que existe (depois da natação).
Contra: pode causar tendinite nos braços
Natação - Getty Images
8. Natação

Uma hora queima 540 calorias.

A favor: trabalha todos os músculos e melhora o condicionamento.
Contra: cuidado com os choques térmicos, caso treine numa piscina aquecida. Não se esqueça de alongar, evitando cãibras.
Basquete - Getty Images
9. Basquete

Não precisa ser nenhum craque do NBA, mas dar uma corridinha para um e outro lado da quadra e tentar jogar a bola na cesta pode te fazer perder 480 calorias.

A favor: trabalha braços e pernas, praticamente na mesma proporção, além de desenvolver o condicionamento físico
Contra: cuidado com impactos bruscos no joelho e na coluna e com as trombadas na quadra.
Vôlei - Getty Images
10. Vôlei
Você sempre pensou: ah, aquele esporte em que a gente fica meio parado nem deve me ajudar a emagrecer... pois errou. Uma hora praticando vôlei elimina 420 calorias da sua barriga, da sua perna, do seu bumbum...

A favor: braços e abdômen definidos
Contra: cuidado com as lesões nos dedos das mãos. Elas costumam ser frequentes.



FONTE:http:// www.minhavida.com.br

Começando uma atividade física                          


Muitas pessoas têm dúvidas de como começar um atividade física. A grande maioria opta pela caminhada, que além de ser uma atividade eficaz e que traz muitos benefícios a saúde, é fácil de fazer, além de não necessitar de equipamentos. Mas mesmo para começar a caminhada, é essencial procurar um médico especialista em medicina esportiva para fazer uma avaliação completa, incluindo teste ergométrico entre outros.
O médico irá dar muitas dicas, além de prescrever as melhores atividades para você e também o que você deve evitar. Se estiver tudo ok e você estiver liberada para as atividades, terá algumas opções.
Se for sedentário, o ideal seria começar com caminhada em dias alternados por 2 semanas de 10 a 20 minutos e depois, aumentar para 5x por semana de 15 a 30 minutos, sempre com alongamentos depois.
Quando estiver fazendo 30 minutos seguidos, comece a aumentar a velocidade da caminhada ou a incluir subida de 2 minutos a cada4 minutos.
Depois de 6 meses, seria legal incluir outra atividade aeróbia como hidroginástica, bicicleta, dança no minimo 3x por semana em dias alternados a caminhada, para dar novos estímulos ao corpo.
Você também poderá ir para uma academia, fazer uma avalição física e montar um programa de exercícios incluindo:
1. Exercícios aeróbios (caminhada, bicicleta ou transport, para começar) de 10 a 20 minutos em dias alternados.
2. Musculação iniciante.
3. Alongamentos depois dos exercícios.
Outra opção seria ter o acompanhamento de um Personal Trainer, que fará sua avaliação e montará um programa incluindo exercícios aeróbios, exercícios com pesos ou de fortalecimento muscular e alongamentos.
A cada 2 meses em média é importante aumentar a intensidade do exercício, dando novos estímulos ao corpo. Para isto, você precisa, aumentar a intensidade dos exercícios que já está fazendo, aumentando a velocidade, a carga, o nível, incluindo subidas ou exercícios mais puxados. Você pode ainda incluir exercícios diferentes no seu programa para dar estímulos novos e diferentes dos estímulos já conhecidos.

FONTE:http:// www.dietaesaude.com.br


PILATES

O Pilates é uma técnica que surgiu através do alemão Joseph Pilates que sofria de asma quando criança. E assim como muitas pessoas, ele passou por sérias dificuldades, mas não se deixou vencer e conheceu muitos esportes como o boxe, mergulho, esqui e a ginástica e assim, superou suas limitações.
Joseph Pilates estava exilado durante a primeira Guerra na Inglaterra aonde trabalhou como enfermeiro e para ajudar os soldados que estavam mutilados por conta da guerra mexerem seu corpo ele começou a utilizar molas e foi então a partir daí que ele começou a desenvolver as aparelhos de pilates que são hoje utilizados em aulas.

Benefícios do Pilates

O Pilates oferece diversos benefícios a saúde como o controle do stress, pois essa série de exercícios criada por Joseph Pilates aprecia uma ordem correta dos exercícios, obedecendo um ritmo respiratório e isso exige certa concentração, por esse motivo as pessoas adquirem melhor controle sobre o strees, nervosismo e ansiedade. Outro fator muito importante que o Pilates contribui é para a ajudar a melhorar a respiração, pois essa técnica trabalha a musculatura respiratória, e em muitas situações pode até ensinar outra vez a pessoa como respirar corretamente o que é feito em um determinado tempo de treinamento de exercícios com respiração e expiração.
A técnica do Pilates também tem como função ajudar a diminuir as dores e é recomendado principalmente para as pessoas que sentem dor nas costas, pois ele fortalece a musculatura abdominal e realinha a coluna, fazendo com que a pessoa deixe de força-lá ao realizar esforços físicos ou pegar pesos. O Pilates ainda corrige a postura, aumenta a flexibilidade, ajuda na coordenação motora e previne fraturas osteoporóticas, pois ele aumenta a força dos músculos e assim ajuda a modelar a estrutura óssea e também ajuda o corpo a ter mais equilíbrio.

Além de todos esses benefícios, o Pilates também estimula a circulação, a amplitude muscular, o alinhamento da postura adequada e o condicionamento físico em geral, e gerando assim melhoras no nos níveis de consciência do corpo.
A arte do Pilates oferece a saúde de todos diversos benefícios como foi explicado acima, se você deseja ter uma vida mais saudável e pensa em praticar uma nova técnica o Pilates é uma ótima opção.

Curiosidades sobre o Pilates

O resultado de tempo para melhoria que os exercícios de Pilates proporcionam segundo Joseph Pilates são em 10 dias a pessoa sente o resultado em seu corpo, 20 dias as mudanças começam a ficar visíveis e em 30 dias as pessoas começam a notar as mudanças em seu corpo.

FONTE:http:// www.portaisdamoda.com.br


 

Esteira ou elíptico? Compare os dois aparelhos

Eles se diferem no impacto do exercício, mas o trabalho do músculo é parecido

Aos que preferem a praticidade de fazer exercício físico sem sair de casa, ter um aparelho próprio é uma ótima opção. Mas qual será o melhor investimento: uma esteira ou um elíptico? "Independente do aparelho, a pessoa deve gostar e se sentir confortável durante o exercício, desfrutando de todos os benefícios", conta Andressa Peters, personal trainer da Academia FIT, em Curitiba. Segundo ela, tanto a esteira quanto o elíptico são excelentes para treinar o condicionamento físico, mas há algumas diferenças. Para ajudar nessa escolha, compare os principais prós e contras de cada aparelho.

Necessidade de condicionamento físico
1. Na esteira, é possível fazer tanto caminhada quanto corrida. Se o exercício escolhido for a caminhada, não será preciso um grande condicionamento físico, já que ela é indicada para iniciantes. "Tudo depende da intensidade do exercício, frequência cardíaca, ritmo e tempo de duração da atividade", afirma a personal trainer Andressa Peters.
2. Assim como na esteira, o condicionamento físico exigido pelo elíptico também depende da intensidade do exercício. "Um iniciante consegue fazer uma caminhada na esteira e também consegue realizar um exercício ininterrupto no elíptico", conta o personal trainer Jairo Diógenes, coordenador técnico da Academia Fitness Together, em São Paulo.

Impacto nas articulações

1. Mais uma vez, o impacto da esteira depende do exercício escolhido. No entanto, segundo a personal trainer Andressa, esse aparelho oferece mais impacto do que o elíptico.

2. "O elíptico é considerado de baixo impacto, já que não há necessidade de tirar o pé do aparelho, oferecendo uma quantidade mínima de tensão nas articulações", diz Andressa.

Trabalho muscular

1. A esteira trabalha bem os músculos inferiores - panturrilha, coxa, posterior da coxa e glúteos - e segundo o personal trainer Jairo Diógenes, também são trabalhados o abdômen, o chamado músculo eretor da espinha, o sacroiliolombar, e os braços, mesmo que de maneira secundária.
2. Segundo Diógenes, o elíptico também trabalha estes músculos, mas o forte está mesmo nos grupos inferiores, já que o aparelho solicita maior esforço dessa região do que a esteira.

Gasto calórico

1. O gasto calórico depende de uma série de fatores, como peso da pessoa, condicionamento, metabolismo, idade, clima, intensidade do exercício e duração. Mas a média do gasto calórico da esteira está entre 300 a 500 kcal por hora de exercício.

2. Considerando os mesmos fatores, no elíptico, o gasto calórico varia de 400 a 500 kcal, aproximadamente.

Variação de treino

1. O treino da esteira pode ser bem variado. "A esteira tem opções de treinamento diferenciadas, como programas, inclinações para simular subidas, declinações para simular descidas, ajustes de velocidade e também é possível aumentar a intensidade do treinamento e o gasto calórico", cita a personal trainer Andressa.

2. O elíptico não oferece tantas variações, conta Andressa, mas ainda assim é possível sair da monotonia, ajustando carga, intensidade e programas de treinamento.

Indicação para quem está acima do peso

1. Quem está acima do peso pode usar a esteira desde que o treino escolhido seja a caminhada. Diógenes explica que o impacto, embora pequeno, ainda existe. "A esteira pode ser utilizada por pessoas com sobrepeso desde que seja com velocidade baixa, sem inclinação e que a pessoa faça um fortalecimento muscular na região do joelho para não ocasionar lesões nas articulações", indica Andressa.

2. Podemos dizer que o elíptico é mais seguro para quem está acima do peso. "O movimento do pedal do elíptico simula uma caminhada totalmente sem impacto", diz o personal Jairo Diógenes.

Risco de lesão

1. "A prática de exercícios na esteira envolve um risco maior de distender o joelho, por causa da própria execução do movimento", diz Jairo Diógenes.

2. "O elíptico, por ser de menor impacto, oferece menos risco de
lesões, tanto no joelho quanto no tornozelo", afirma Andressa.

Contraindicações

1. Você sabia que a labirintite pode ser um empecilho na hora de fazer esteira? "Dependendo do nível de labirintite, a esteira pode gerar vertigem e, por isso, em meio a crises, é melhor evitá-la", aconselha Jairo Diógenes. A esteira também é contraindicada para quem está muito acima do peso ou tem problemas nos joelhos e na coluna.

2. As contraindicações do elíptico são menores: "O elíptico é contraindicado apenas para quem sofre de patologias sérias nos joelhos", alerta Andressa.

FONTE:http:// www.minhavida.com.br


Sete dicas para ressuscitar a bicicleta e sair pedalando

Aprenda a lubrificar a corrente e ajustar a altura do banco


Dizem que a gente nunca esquece como andar de bicicleta. Mas, para muitos, a magrela permanece esquecida por meses ou até anos. Quando bate aquela vontade de sair pedalando, são tantas as dúvidas sobre como encher os pneus, ajustar o banco e limpar a magrela que logo acaba a empolgação. Por isso, o Minha Vida conversou com especialistas no assunto que deram dicas de como ressuscitar a bike e aproveitar um passeio mais saudável.



Homem limpando a bicicleta - Foto Getty Images

Limpeza

"Para uma limpeza leve, utilize um pano seco ou úmido", recomenda a ciclista Valéria Guimarães, coordenadora da Escola de Bicicleta, em São Paulo. Se apenas o tecido não for capaz de retirar a sujeira, recorra a um detergente líquido neutro. Tome ainda mais cuidado para limpar o barro seco. "Usar escovinhas ou fazer muito atrito pode danificar a pintura", explica. Jatos de água também não são uma boa ideia. Prefira o bom e velho balde de água e um pano.
Homem enchendo o pneu da bicicleta - Foto Getty Images

Pneus

De acordo com Daniel Rogelin, ciclista profissional há 24 anos, o ideal é que a bicicleta nunca fique com os pneus completamente murchos, mesmo que esteja parada, pois isso danifica o formato das rodas. "De qualquer maneira, antes de sair pedalando, verifique se os pneus estão em condições de uso", diz. Para enchê-los, a melhor opção é a bomba de chão com manômetro, própria para bicicletas. Bombas pequenas devem ser usadas apenas em emergências, pois não calibram os pneus adequadamente. Já a bomba do posto deve ser usada com cuidado para não estragar o bico dos pneus.
Homem mechendo na corrente da bicicleta - Foto Getty Images

Corrente

"A corrente da bicicleta deve estar sempre lubrificada, independente de estar ou não em uso", aponta a ciclista Valéria. Para começar a lubrificação, escolha um elo da corrente e marque a lateral com uma gota do lubrificante. "Isso servirá de orientação para saber onde começa e onde termina a corrente", explica. A partir deste elo, vá colocando uma única gota do produto por eixo até chegar ao ponto inicial. Por fim, dê algumas voltas lentas com o pedal para que o óleo se espalhe de maneira equivalente. O procedimento deve ser repetido mensalmente ou sempre que a corrente estiver seca.
Marcha da bicicleta - Foto Getty Images

Marchas

Tão variado quanto os modelos de bike é o número de marchas. No entanto, mesmo pedalando há anos, muitos ainda não sabem como ela funciona e quando deve ser usada. A ciclista Valéria explica que, em geral, há dois passadores de marcha: um do lado direito e outro do lado esquerdo do guidão. "O do lado direito faz com que um cabo de aço acione o câmbio traseiro, desviando a corrente da bicicleta para outra engrenagem na roda traseira", esclarece. Já o do lado esquerdo, aciona o câmbio dianteiro, levando a corrente para outra engrenagem do conjunto que fica na pedivela - peça próxima ao pedal - da bicicleta.

A marcha deve ser trocada sempre que o ciclista sentir necessidade. "Nas subidas, o ideal é usar as primeiras marchas, que deixarão a pedalada mais leve", diz. "Para pedaladas mais longas e, consequentemente, mais pesadas, escolha as últimas marchas'. A profissional explica ainda que o procedimento deve ser feito de maneira suave para que o encaixe das engrenagens não seja forçado, danificando a bicicleta.
Mulher em cima da bicicleta - Foto Getty Images

Altura do banco

Para ajustar a altura do banco - ou selim - basta sentar na bicicleta e apoiar o calcanhar do pé no pedal. A perna apoiada deve estar totalmente esticada. Vale ainda reforçar o modo certo de pedalar. "O ciclista deve apoiar a parte da frente do pé nos pedais, ou seja, aquela que usa para dar tração ao corpo quando caminha", alerta Valéria. Desta maneira, a perna nunca ficará completamente esticada durante a pedalada.
Homem cansado após andar de bicicleta - Foto Getty Images

Quanto tempo andar

O tempo de passeio depende do condicionamento do ciclista. Se você não pratica exercícios com regularidade, comece com um trajeto de poucos minutos. Aos poucos, aumente esse tempo e conquiste distâncias. Não adianta sair pedalando até cansar e enfrentar muita dificuldade no caminho de volta. Lembre-se ainda de fazer um bom alongamento antes da atividade.
Casal de bicicleta segurando mapa - Foto Getty Images

Onde andar

"Para começar, o ideal é optar por lugares planos e sem movimento", aponta o ciclista Daniel. Encarar uma ladeira logo no primeiro passeio pode elevar demais a frequência cardíaca do ciclista, sobrecarregando o seu organismo. Para criar um treino mais elaborado, vale contar com um professor de educação física.



FONTE:http:// www.minhavida.com.br


Quatro tipos de abdominais que deixam a sua barriga definida

É preciso fortificar todos os músculos da região para ficar com um legítimo "tanque


Ir à academia perder a barriga para o verão parece não ser uma tarefa complicada. Para ficar com a barriga definida basta fazer abdominais, certo? Errado. Antes, é preciso acabar com a camada de gordura que se acumulou na parte abdominal, chamada gordura central. "O abdominal busca o fortalecimento e a tonificação dos músculos, e não queimar calorias. Quem começa a fazer esse exercício buscando perder peso, está perdendo tempo. Para ficar com os músculos da barriga definidos e aparentes, é preciso primeiro perder a camada de gordura acumulada na região da barriga", diz o personal trainer Ivaldo Lorentis.

O especialista avisa que os exercícios abdominais não devem ser feitos todos os dias. Segundo ele, isso sobrecarrega a musculatura, causando dores e
lesões que prejudicam o programa de exercícios. Normalmente, pessoas que tentam fazer todos os dias com pressa de ficar com a barriga definida passam semanas lesionadas.

Também é preciso variar os tipos de abdominal para ter uma barriga bem definida por completo. "Cada tipo de abdominal trabalha uma parte da
barriga. Desde o clássico até o feito com as pernas elevadas, todos têm um benefício para um músculo determinado da barriga", conta o personal trainer. Aprenda a fazer quatro tipos desse exercício:

Abdominal tradicional - Foto Getty Imagtes
Abdominal tradicional

Para quem está começando, esse sem dúvida é o tipo de abdominal mais indicado. Como o movimento é simples e intuitivo, é mais difícil se movimentar errado e não ter resultados positivos. "O primeiro passo é ficar deitado com as costas encostadas no chão, e com as pernas flexionadas, com os joelhos apontando para o teto e como os pés apoiados no chão. Depois, basta levantar a parte superior do corpo apenas com a força dos músculos abdominais, sem ter pressa ou sem tentar encostar o peito nos joelhos flexionados", diz Ivaldo. Seguindo essas dicas, é mais provável que só o abdômen esteja sendo trabalhado. O abdominal tradicional trabalha principalmente a parte superior do abdômen, tanto por causa da respiração quanto pelo movimento do corpo.

O número de abdominais desse tipo indicado para cada pessoa é em torno de três séries de 25 flexões a cada dois dias. Uma técnica eficiente para saber quantas flexões devemos fazer é a seguinte: faça o máximo de abdominais que conseguir sem parar. Conte o número de flexões e o divida por dois. Depois disso, faça três séries desse número. Se uma pessoa consegue fazer 30 flexões sem parar, ela é capaz de fazer três séries de 15 sem ficar sobrecarregada.
Abdominal oblíquo - Foto Getty Images
Abdominal oblíquo (perna cruzada)

Esse tipo de exercício deve ser feito para quem busca tonificar especificamente a parte lateral, também chamada de musculatura oblíqua, do abdômen. "Ele não é simples de ser feito, mas não é tão intenso quanto o abdominal com perna elevada e o com apoio", explica Ivaldo Lorentis.

Por mais que a concentração na contração muscular seja necessária em todos os tipos de abdominal, para o obliquo a atenção deve ser dobrada. "Como se trata de um movimento complexo, que envolve perna, braços e barriga, é comum que as pessoas estejam puxando a cabeça com os braços no final do exercício", diz o especialista.

Para começar, flexione e cruze uma perna por cima da outra, apoiando a panturrilha de uma das pernas no joelho da outra. Mantenha um braço atrás da nuca e outro estendido do lado do corpo. O braço flexionado deve estar do lado contrário da perna dobrada. Depois de estar nessa posição, faça a elevação como se estivesse tentando encostar o cotovelo do braço que está flexionado no
joelho da perna apoiada.

"Essa flexão pode ser realizada 30 vezes de cada lado a cada dois dias, e não é aconselhável para quem tem algum tipo de problema na região cervical", explica o personal trainer.
Abdominal com apoio - Foto Getty Images
Abdominal com apoio

Esse tipo de abdominal é mais intenso do que o tradicional e deve ser feito com menos repetições. "Como é um movimento mais difícil, 10 repetições por dia já são suficientes para trabalhar os músculos de forma satisfatória", diz o personal trainer. Utilize uma cadeira para apoiar as pernas e deixá-las alinhadas com os joelhos. Com as mãos na nuca, faça o movimento de elevação, depois volte à mesma posição. É importante que as pernas fiquem paralelas ao solo e não mudem de posição. Com esse movimento, os músculos da parte inferior e mediana do abdômen são fortificados.

Mas, como se trata de um movimento muito específico, que força bastante a coluna, pessoas que têm problemas de hérnia de disco não devem fazer esse tipo de abdominal.
abdominal com perna elevada - Foto Getty Images
Abdominal com perna elevada

Esse tipo de abdominal é parecido com o feito com apoio de uma cadeira, com a diferença de que as pernas devem ficar elevadas sem nenhum tipo de auxílio. Só essa posição já é suficiente para forçar a parte inferior dos músculos abdominais. Mas, quando o exercício começa de verdade, as musculaturas inferior, média e superior de nossa barriga são trabalhadas ao mesmo tempo, tornando esse tipo de abdominal, além do mais intenso, o que trabalha mais músculos.

"Como é um exercício bastante avançado, devem ser feitas apenas 20 flexões, para todas as pessoas que não tem nenhum tipo de problema de
coluna. Quanto mais devagar for feito o abdominal, maior será o resultado que o exercício demonstrará", diz Ivaldo.


FONTE:http:// www.minhavida.com.br




Veja seis alimentos que ajudam na malhação



Chá verde, passas, cereja...Veja o que ingerir antes, durante e depois dos exercícios
O que comemos está diretamente ligado à nossa disposição. Uma alimentação adequada melhora o rendimento durante os exercícios e ainda ajuda a queimar calorias com mais facilidade. Por isso, a revista Fitness reuniu seis dicas de alimentos indicados por Dawn Jackson Blatner, autora de The Flexitarian Diet (sem versão em português), para garantir sua saúde antes durante e depois da malhação.
Antes

Passas: Segundo Blatner, estudos mostram que esse alimento funciona como combustível muscular antes de exercícios físicos. Por isso, consuma duas colheres de sopa de passas antes de partir para a malhação.

Chá verde: Pesquisas indicam um composto chamado catequina, presente no chá verde, pode ajudar a queimar gordura mais facilmente durante o exercício. Além disso, a cafeína desse chá é uma forma saudável de obter energia.
Durante

Água de coco: Ideal para ser consumida durante exercícios leves e pesados, a água de coco hidrata tão bem como bebidas esportivas. Ela contém todas as substâncias boas que seu corpo precisa como carboidratos e potássio sem adição de adoçantes artificiais.

Água: Ela é a melhor opção de hidratação para quem malha 30 minutos ou menos por dia. Blatner sugere que você se pese antes e depois do exercício para se certificar que está tomando quantidade suficiente de água. Caso seu peso se altere é sinal que perdeu líquido demais.
Depois

Cerejas: Estudos mostram que cereja pode diminuir dores e inflamações musculares. Então, coma uma xícara dessa fruta ou tome um copo de seu suco.

Suco verde: Pesquisas recentes apontam que um composto presente nas folhas verdes ajuda a aumentar a eficiência muscular. Em um liquidificador, bata uma xícara de espinafre, 250 ml de leite desnatado e ½ xícara de frutas. Com essa bebida sua recuperação será mais rápida


FONTE:http:// www.saude.terra.com.br



CUIDADOS NA ALIMENTAÇÃO E EXERCÍCIOS NO INVERNO
Alimentação no Inverno

O inverno chegou!!!! E com ele os quilinhos a mais... Será?!

Nesta estação é preciso saber se alimentar e não deixar de fazer exercícios físicos para que o prejuízo não seja tão grande na primavera e no verão. Abaixo coloco algumas dicas para passar a estação super bem e chegar no verão melhor ainda!

1. Alimente-se a cada 3 horas;
2. Não descuide da hidratação, principalmente aqueles que praticam exercícios. Procure intercalar chá ou cafés com a ingestão de água. Com o músculo desidratado, a contração muscular não ocorre de maneira adequada;
3. Nos lanches da tarde, tente consumir bebidas mais quentes, como chás, chimarrão e cafés sem açucar e gorduras. No mercado existem boas opções de cappucino light para você incluir em um lanche da tarde;
4. Os chás verde ou branco, potencializam o emagrecimento. Inclua no seu chimarrão lascas de gengibre que isso também irá acelerar o metabolismo;
5. Converse com o seu nutricionista para opções mais leves e quentinhas de sopas, cremes e bebidas quentes. O nutri sempre vai ter uma carta na manga!
6. Não deixe de ir as reconsultas nutricionais.
7. Se você estiver fazendo alguma dieta para aumento de massa muscular, não deixe de praticar os exercícios. Não adianta consumir os suplementos se não houver estímulos.
8. Consuma frutas e vegetais ricos em vitamina C e A. Inclua alimentos antioxidantes como os flavonóides (chocolate, suco de uva, vinho tinto de forma moderada) e ricos em zinco.


 Receita de Chocolate Quente Termogênico

Ingredientes

2 copos de leite desnatado
• 1 col. (sobremesa) de cacau em pó
• 1 tablete (8 gramas) de chocolate amargo
• 1 lasca pequena de gengibre
• 1 colher (chá) de amido de milho


Modo de fazer
Dilua o amido de milho no leite ainda frio. Adicione o gengibre e leve ao fogo baixo mexendo sempre, até engrossar. Retire os pedaços de gengibre e acrescente o cacau em pó e o tablete de chocolate. Continue mexendo até que fique homogêneo. Adoce com o adoçante sucralose à gosto
DICA: coloque 1 pedacinho de pimenta dedo-de-moça junto com o gengibre ao aquecer o leite. Depois retire, assim como o gengibre.


Rendimento: 2 porções
Calorias por porção: 127




Exercícios mais indicados para quem tem complicações respiratórias

Natação e até corrida são benéficos para quem sofre com asma e bronquite
A prática de exercícios físicos pode melhorar a qualidade de vida das pessoas que têm problemas respiratórios. Muitas vezes, quem sofre com doenças crônicas como bronquite, asma, rinite ou qualquer outro tipo de inflamação nas vias respiratórias, tem limitações fisiológicas e acaba se afastando das atividades físicas, o que é um erro.
Segundo o fisiologista do esporte da Universidade Federal de São Paulo Raul Santo, quando o corpo de uma pessoa que tem doenças pulmonares crônicas se acostuma com a carga de exercício, ele passa a utilizar melhor o oxigênio, a respirar com mais facilidade devido ao fortalecimento dos músculos responsáveis pela respiração. Além disso, mexer o corpo ainda aumenta a circulação do sangue, fortalece o coração e diminui a pressão sanguínea.











Caminhada na praia

Cuidados antecipados

Todas as pessoas que querem começar a fazer uma atividade física devem procurar um especialista para fazer uma avaliação médica. "Esse procedimento potencializa o treino, já que o tipo específico de exercício é escolhido para cada indivíduo, levando em conta todas as suas limitações", diz Raul Santo.
Para quem tem
problemas respiratórios, é importante tomar algumas precauções com o objetivo de evitar desconfortos ou acidentes: não fazer exercícios sozinho em áreas isoladas como trilhas e parques florestais, não exercitar-se fora de casa quando o a temperatura está muito elevada ou quando o clima está muito seco e não aumentar a carga do exercício sem antes consultar o preparador físico.

Preparação para o treino

Saber escolher o esporte certo é essencial, mas fazer uma preparação especial para pessoas com doenças respiratórias antes de cada treino vai garantir um melhor desempenho durante o exercício. "Sem um aquecimento adequado e um alongamento bem feito, o corpo pode ter uma reação imediata de rejeição ao exercício, causando lesões e dificuldades. Essa preparação é ainda mais bem-vinda para pessoas com problemas respiratórios", diz Raul Santo. Esse é um cuidado que normalmente passa despercebido.
Idoso na piscina
Há dois exercícios especiais para as pessoas com dificuldades respiratórias que podem ser feitos juntamente com o aquecimento específico para cada modalidade. Experimente relaxar o pescoço e os músculos dos ombros e depois inspirar pelo nariz e expirar pela boca. Outro modo de preparar os músculos da respiração para o exercício é deitar com as costas no chão, flexionar as pernas, colocar uma mão na barriga e outra em cima da caixa torácica e depois inspirar profundamente. Para o exercício fazer efeito, a barriga deve se levantar, mas o peitoral deve continuar parado. Esses exercícios devem ser executados em cinco a dez minutos.

Exercícios mais indicados

A natação é uma das alternativas mais indicadas por médicos para ajudar na recuperação ou para o tratamento de problemas pulmonares crônicos. "Os exercícios realizados na piscina ajudam a aumentar a entrada de ar nas vias respiratórias por causa da maior umidade relativa do ar. Além disso, a água funciona como um vasodilatador, que facilita a circulação sanguínea e o trabalho do coração", diz Raul Santo.
Outro benefício, segundo o especialista, é a atividade aeróbica exigida durante o treino de natação. Esse tipo de exercício aumenta a resistência do coração e do pulmão por trabalhar os músculos respiratórios como o diafragma e os músculos intercostais.
A caminhada ou corrida leve também são muito indicadas pelos médicos para quem sofre com problemas respiratórios. "É um exercício muito fácil de adaptar para cada situação, e é muito eficiente no controle da obesidade, colesterol, diabetes e da hipertensão", diz Raul Santo.
Além disso, caminhar ou correr são exercícios que beneficiam o condicionamento físico "Muitas das pessoas com complicações respiratórias que incluem uma caminhada no dia a dia, passam a ter mais facilidade em praticar esportes do que pessoas sadias que não tem o hábito de caminhar ou correr", completa o especialista.
Durante o treino, sintomas como dores no peito, enjoo, fraqueza e queda brusca de pressão são sinais de que a pessoa deve parar imediatamente, de acordo com Raul Santo, que lembra que esses problemas na maioria das vezes ocorrem por falta de acompanhamento de um profissional. "As pessoas com problemas respiratórios só devem praticar aqueles exercícios indicados por seu pneumologista ou por seu treinador. Esses profissionais sabem qual é o limite fisiológico de cada um".
FONTE:http:// www.minhavida.com.br


Exercícios físicos na infância equilibram níveis de triglicérides e colesterol
Pesquisa diz que iniciar uma atividade física apenas na fase adulta não traz tantos resultados
  De acordo com um novo estudo realizado pela Universidade Estadual Paulista (Unesp) e publicado na Biblioteca Virtual da Fapesp, a prática de exercícios apenas na idade adulta não previne a dislipidemia, doença que provoca alteração dos níveis de gordura no sangue - triglicérides, além de LDL ("colesterol ruim") e HDL (o "colesterol bom") - e atinge cerca de 16% da população brasileira. A dislipidemia pode ser causada por diversos fatores, como uma alimentação rica em gordura, altos valores de IMC na infância e adolescência ou disfunções de ordem genética.















Os pesquisadores entrevistaram 2.720 adultos a fim de saber se eles praticaram atividades físicas na infância (7 a 10 anos), adolescência (11 a 17 anos) e idade adulta, e se haviam recebido resultados de "colesterol alto", "baixo colesterol bom" ou "alto colesterol ruim" no último exame de sangue. Com base nas respostas, constatou-se que a falta de exercícios na infância e na adolescência foi associada a um maior número de quadros de dislipidemia na idade adulta. Além disso, os pesquisadores notaram que os adultos vítimas da doença que não praticaram atividades esportivas na infância, mas que iniciaram exercícios de intensidade leve após o diagnóstico, não apresentaram melhoras na doença.
De acordo com os estudiosos, para que a atividade física tenha resultados expressivos no controle da dislipidemia, é necessário que um educador físico prescreva uma série de exercícios de alto impacto, combinando atividades aeróbicas e musculação. Os autores destacam que, embora os exercícios físicos possam ajudar no controle dos lipídeos no sangue, o paciente não deixará de sofrer da doença e nem de tomar os medicamentos receitados. O estudo foi premiado pela Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), no VII Prêmio ABC de Publicação Científica, como o melhor artigo original.

Sete dicas para baixar o nível de triglicérides do sangue

O endocrinologista Amélio Godoy Matos, que já foi presidente da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia, explica que os triglicerídeos estão presentes em cerca de 90% da nossa alimentação, enquanto o colesterol pode ser encontrado em apenas 10% dos alimentos ingeridos. Confira sete dicas que ajudam a controlar a taxa dessa gordura.

Carboidratos

Os triglicerídeos são originados de duas maneiras: pela ingestão de alimentos ricos em gordura ou pela sintetização de carboidratos no fígado. Dessa forma, uma das primeiras recomendações médicas para baixar o nível de triglicérides é criando uma dieta balanceada com baixo teor de carboidratos.

Exercícios

"Excesso de peso é a principal causa de aumento de triglicerídeos no sangue", explica Amélio Godoy. Por isso, aliar uma dieta equilibrada à prática de exercícios físicos é a melhor maneira de combater o alto nível de triglicérides.

Álcool

"Bebidas alcoólicas são altamente calóricas, estimulando a produção de triglicerídeos e por isso, devem ser evitadas?, aconselha o profissional.
A absorção do açúcar em excesso estimula a produção de triglicerídeos pelo fígado. Além disso, há um depósito dessa gordura no pâncreas que atrapalha o funcionamento das células de insulina, fazendo com que a taxa de glicose no sangue também aumente.

Tabagismo

O tabagismo aumenta os riscos de doenças cardiovasculares e diabetes, sendo um hábito prejudicial que potencializa os prejuízos causados pela alta taxa de triglicerídeos no sangue. Assim como o açúcar, ele causa resistência de insulina devido ao acúmulo de gordura no abdômen.

FONTE:http:// www.minhavida.com.br



Confira sete maneiras de afinar a cintura
Bambolê, boxe e azeite são grandes aliados da cintura fina
 É só pensar em fita métrica que o drama já começa. Afinal, que mulher não sonha em ter aquela cintura fininha? Conquistar as curvas pode parecer difícil, mas o personal trainer Juliano Farah, Gerente de Musculação da Cia. Athletica Brasília, afirma que praticamente todos os esportes ajudam. "O importante é sempre conciliar exercícios que estejam de acordo com a condição física do praticante, assim como uma alimentação equilibrada", diz. Confira todos os macetes que podem te ajudar a afinar a cintura sem comprometer a sua saúde:

mulher fazendo abdominal - Foto Getty Images

Trabalhe os músculos abdominais
Responsáveis pela rotação do tronco e do quadril, os músculos abdominais oblíquos são a peça chave para uma cintura fina. O personal trainer Juliano Farah explica que os melhores exercícios para trabalhar essa musculatura são os abdominais simples ou o que promovem rotação do tronco. "Na academia, qualquer aparelho que proporcione esse movimento estará contribuindo para afinar a cintura", completa.
mulher com um bambolê - Foto Getty Images
Combine exercícios com o bambolê
Quem diria que uma brincadeira de criança poderia ajudar a conquistar um corpo violão? "O bambolê é um exercício aeróbico que proporciona o fortalecimento muscular da região da cintura e gera um grande gasto calórico, ajudando no processo de emagrecimento", afirma Juliano Farah.
No entanto, o personal alerta que esse exercício sozinho não é suficiente, já que ele fortalece apenas a região do abdômen. "É necessário combiná-lo com outras atividades para contrabalancear a musculatura trabalhada, além de um controle alimentar". O bambolê pode ser feito todos os dias de forma recreativa, ou conforme a indicação de algum professor.
mulher treinando boxe - Foto Getty Images
Faça aulas de boxe
Esse esporte proporciona um alto gasto calórico e exige que o abdome fique contraído durante todos os momentos da aula, fortalecendo a musculatura e afinando a cintura. "O boxe também conta com um aquecimento muito puxado que dá um condicionamento físico completo para o praticante", diz o personal Juliano. A frequência pode ser entre três e cinco vezes na semana.
vidro com azeite - Foto Getty Images
Consuma mais azeite
Uma pesquisa realizada pelo Instituto Salud Carlos III, da Espanha, em parceria com a Universidade de Cambridge, da Inglaterra, aponta que a ingestão diária de azeite evita a formação de gorduras na região da cintura. O estudo foi publicado na revista Diabetes Care e afirma que as gorduras monoinsaturadas presentes do azeite previne o acúmulo de gordura na região.
A nutricionista Alice Carvalhais, do Instituto Mineiro de Endocrinologia, explica que o azeite pode ajudar desde que seja utilizado em uma dieta balanceada e em quantidade moderada. "O mais correto seria dizer que o azeite ajuda a manter o peso, ou seja, a não engordar", afirma.
chá de hortelã - Foto Getty Images
Invista nos chás digestivos
Algumas plantas com ações digestivas podem auxiliar no funcionamento do intestino, contribuindo para manter a cintura fininha. A nutricionista Roseli Rossi, da clínica Equilíbrio Nutricional, em São Paulo, explica que o chá de hortelã, o chá verde e o chá mate são ótimas pedidas quando o assunto é afinar a cintura. "Eles ajudam o organismo a digerir gorduras e têm efeito termogênico, contribuindo para o emagrecimento", diz. Outro chá que ajuda a diminuir o inchaço é o de cabelo de milho, que regula as funções dos rins e da bexiga, combatendo o inchaço da região abdominal e das pernas.
Gel redutor - Foto Getty Images
Gel redutor
A dermato-funcional Rosângela Santana, do Espaço MAXIMA, em São Paulo, explica que o gel redutor contém substâncias que impedem a formação de gorduras, podendo contribuir para uma cintura fininha. "No entanto, a atividade física é primordial para complementar o uso do gel e de qualquer outro tipo de tratamento estético", afirma. O creme pode ser aplicado a qualquer hora do dia, com exceção de alguns que indicam passar antes de praticar atividade física e outros após. "A aplicação deve ser feita de cima para baixo ou em movimentos circulares e é importante esperar que o produto seja absorvido pelo corpo para depois colocar a roupa."
Massagem modeladora - Foto Getty Images
Massagem modeladora
A técnica consiste em movimentos rápidos e de forte pressão feitos por um profissional em determinada região do corpo, proporcionando melhor oxigenação local. "Se realizada três vezes por semana na área da barriga e cintura, a massagem modeladora pode ajudar a reduzir medidas", afirma Rosângela Santana.

FONTE:http:// www.minhavida.com.br



Deixe sua barriga definida com estes sete exercícios

Queime calorias e trabalhe o abdômen com esportes como o spinning

  A competição é acirrada: de um lado, a vontade em conseguir uma barriga definida. Do outro, a preguiça em encarar o abominável sobe e desce do abdominal. Entre um e outro, ficam você e a culpa por não dar um fim nessa situação. "Mas existem outras maneiras de definir o abdômen, ganhando tônus e alcançando a hipertrofia dos músculos", afirma o professor Diogo Cestari de Aquino, especialista em fisiologia do exercício e reabilitação cardíaca. Mudanças na respiração e a prática de ioga podem ajudar nesta missão. Descubra como:

Mulher fazendo natação - Foto Getty Images

Controle da respiração
O controle da respiração durante a realização dos exercícios físicos tem como principal objetivo a estabilização do movimento. Por isso, a respiração em si não traz modificações na estética e no fortalecimento da parede abdominal. No entanto, para um indivíduo destreinado, esse estímulo pode ser suficiente para obter pequenas melhorias nesses músculos, como a diminuição da flacidez.
O fisiologista do exercício Luís Fernando Coimbra, gerente da unidade de Curitiba da Companhia Athletica, explica que ao realizar o movimento de um exercício, o ar deve ser eliminado dos pulmões. Ao retornar para a posição normal, inspire. "Isso contrai e relaxa o abdômen, protegendo a coluna tanto durante o esforço físico quanto no momento de relaxamento", explica.
Pessoas na esteira - Foto Getty Images
Caminhada e corrida
"Tanto a caminhada quanto a corrida são excelentes aliados na definição dos músculos abdominais, pois diminuem a porcentagem de gordura do corpo com a queima de calorias", aponta Diogo. Para variar o treino, vale ainda investir na bicicleta ergométrica ou no elíptico, exercícios aeróbios de menor impacto. Antes de praticar esses exercícios, entretanto, recomenda-se uma avaliação médica e uma avaliação física.
Mulher se alongando - Foto Getty Images
Boa postura
Ela é fundamental para eliminar a barriga. A postura inadequada pode ocorrer por um desequilíbrio muscular, evidenciado pela fraqueza da parede abdominal e pelo encurtamento da musculatura vertebral lombar e flexores do quadril. "Associado a esse quadro, observa-se aumento da lordose lombar, causa frequente de quadros de lombalgia", alerta o professor Diogo. Por isso, o fortalecimento e o alongamento das musculaturas favorecem a manutenção ou a melhora do alinhamento postural.
Mulher sentada com as mãos nos pés - Foto Getty Images
PilatesOs exercícios praticados no Pilates são excelentes aliados na definição da região. Em todos eles, o principio básico é a ativação dos músculos profundos do abdômen, promovendo a correta respiração, a estabilização do centro de equilíbrio e a melhora postural. Além disso, o trabalho dos músculos superficiais do abdômen é extremamente solicitado na execução de inúmeros movimentos, contribuindo para a melhora da definição muscular. Segundo o fisiologista do exercício Luís Fernando, esta atividade deve ser aliada a outras, como exercícios aeróbios e de musculação, para melhorar os resultados.
Mulher praticando ioga - Foto Getty Images
Aulas de iogaAs aulas de ioga podem ajudar na definição do abdômen. "Além das técnicas respiratórias que promovem o trabalho dos músculos abdominais profundos, inúmeras posições da prática solicitam fortemente o trabalho abdominal", afirma Diogo. Segundo ele, tais técnicas contribuem para a estabilização dos movimentos, o que fortalece a parede abdominal.
Pessoas fazendo bicicleta ergométrica - Foto Getty Images
Aulas de spinningAs aulas de spinning podem favorecer o abdômen por auxiliarem na manutenção da composição corporal ou na diminuição da porcentagem de gordura. Assim como a corrida e a caminhada, trata-se de uma atividade aeróbia e que, por isso, ajuda na queima de gordura, aponta Diogo Cestari de Aquino. Mas, por causa da posição sentada, é importante observar a postura e trabalhar, em conjunto, exercícios para melhorar o equilíbrio postural.
Mulher fazendo alongamento - Foto Getty Images
AlongamentoApesar de não atuar de forma significativa na diminuição da porcentagem de gordura ou no fortalecimento abdominal, as aulas de alongamento podem auxiliar na melhora da definição muscular. Isso porque esses movimentos promovem o equilíbrio postural, fator extremamente importante também para a estética. "Ele é essencial tanto antes quando depois da atividade física, pois aumenta a mobilidade da musculatura e alivia a tensão muscular, evitando dores no dia seguinte", diz Luís Fernando.

FONTE:http:// www.minhavida.com.br

Musculação age no tratamento de sete doenças crônicas
Entenda como o treino alivia os sintomas de problemas como diabetes e artrite
 Pensou em esculpir o corpo e ganhar formas bem definidas, a musculação logo surge como alternativa. Mas os benefícios desse tipo de atividade ultrapassam a estética: portadores de doenças crônicas, como osteoporose e DPOC (Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica), apresentam melhora nos sintomas e ganham qualidade de vida com os treinos regulares. "Em alguns casos, o exercício pode até diminuir a dependência de medicamentos" afirma o fisiologista do esporte Raul Santo, professor da Faculdade São Judas Tadeu (SP).

O cuidado fundamental é conversar com seu médico antes e entender as limitações do seu corpo para execução de um treino seguro, sem risco de lesões. A seguir, você descobre sete doenças que têm os sintomas amenizados quando o aluno deixa a preguiça de lado e começa a levantar pesinhos, pelo menos, três vezes por semana.

Homem adulto fazendo musculação - foto: Getty Images

Diabetes Estudos recentes mostram que a musculação pode ser muito vantajosa para o portador de diabetes. "Isso porque as contrações musculares repetidas estimulam componentes da membrana celular. Isso faz com que as proteínas celulares carreguem mais facilmente a glicose para dentro da célula. Além de controlar o nível de açúcar no sangue, o exercício pode, a longo prazo, diminuir a dependência da suplementação de insulina", afirma o fisiologista.
Grupo de pessoas fazendo musculação - foto: Getty Images
Hipertensão
O hipertenso tem os vasos sanguíneos mais resistentes, o que exige esforço redobrado do coração para conseguir mandar o sangue para todos os tecidos do corpo. O exercício com pesos - com carga leve à moderada - leva à formação de novos capilares sanguíneos. "Isso diminui resistência periférica dos vasos e a sobrecarga ao coração. E ainda aumenta a oferta de nutrientes, hormônios e oxigênio aos tecidos", afirma o médico do esporte. Se bem feita, a atividade ajuda no controle da doença e diminui a pressão arterial em repouso.
Homem idoso fazendo exercício resistido - foto: Getty Images
Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica
Quem tem DPOC sabe que o enfraquecimento da musculatura é muito comum. Isso acontece porque a oferta de oxigênio aos músculos é limitada, já que a respiração é difícil. "A musculação ajuda a reverter a perda de massa muscular e de quebra pode melhorar a restrição pulmonar, já que o músculo treinado capta o oxigênio com mais facilidade", afirma o educador físico Ivaldo Larentis, especialista em musculação.
Mulher idosa fazendo exercício com pesos - foto: Getty Images
Osteoporose
A tração que o músculo exerce sobre o osso quando é realizado o movimento da musculação estimula o remodelamento ósseo. "Ocorre um aumento da produção de células ósseas, da fixação de cálcio e da densidade do osso", afirma o educador físico Gustavo Neves Abade, treinador de corrida e condicionamento físico da Assessoria Branca Esportes - São Paulo. Mas o exercício merece atenção e orientação adequada, já que há risco de fraturas se o peso colocado estiver acima da capacidade do praticante.
Pessoa com obesidade fazendo exercício resistido - foto: Getty Images
Obesidade
Todo indivíduo com obesidade sabe que deve fazer exercícios aeróbios. Mas muitos acabam deixando a musculação para depois de emagrecer. Gustavo explica que associar a musculação ao treino aeróbio pode trazer benefícios até para o processo de emagrecimento. "O fortalecimento que a musculação proporciona ajuda a fazer atividades aeróbias mais potentes por mais tempo, acelerando a queima de calorias. Além disso, músculos fortes consomem mais energia e aumentam o metabolismo basal, obrigando o corpo a consumir mais calorias para se manter".
Homem fazendo exercício com pesos - foto: Getty Images
Artrose
Quem tem artrose sofre com a diminuição e a fraqueza dos músculos que ficam ao redor da articulação comprometida. Exercícios bem direcionados de musculação ajudam a recuperar essa região, com a hipertrofia e o fortalecimento, melhorando diretamente o caminhar e a qualidade de vida dos pacientes, que passam a sentir menos dores.
Mulher fazendo exercício resistido com elástico - foto: Getty Images
Artrite reumatoide
O indivíduo que tem artrite reumatoide precisa de fortalecimento muscular para preservar a articulação afetada. As consequências da doença, como a dificuldade para andar, podem ser atenuadas com o treino. Mas é preciso muito cuidado ao praticar esse exercício, já que mal dosado ele pode aumentar a atividade inflamatória da articulação. "Lembre-se de consultar o seu médico, medicar-se adequadamente e fazer o exercício com muita cautela" orienta Raul Santo.


FONTE:http:// www.minhavida.com.br


Nove cuidados para treinar em dias frios

Usar roupas adequadas e não esquecer o protetor solar estão entre as dicas
  O inverno chega e traz aquele frio mais carregado, que faz com que muita gente deixe a atividade física de lado - apesar de essa prática regular ser benéfica em todas as épocas do ano. Caso você consiga manter o ânimo e o comprometimento, saiba que treinar no frio tem suas particularidades. Cuidados como a roupa adequada e proteção redobrada contra doenças devem ser levados em conta.

Alongamento - Foto: Getty Images
Aquecimento e alongamento: é costume de muita gente optar entre o alongamento ou o aquecimento antes de uma atividade física. Ou simplesmente pular as duas etapas. É importante lembrar que o aquecimento deve ser feito antes do alongamento, e no geral é uma corrida leve ou caminhada e movimentos de braços e pernas.
De acordo com o fisiologista do esporte Raul Santo, o risco de
lesões aumenta nos dias frios, pois nossos receptores cerebrais ficam com a atividade limitada, demorando mais tempo para enviar reforços a articulações, musculatura e ligamentos. Por isso, é importante dar mais atenção ao aquecimento e alongamento durante os dias frios. Na hora de alongar, a dica é aumentar o número de repetições para cada região do corpo e com maior envergadura, ou seja, esticando mais a musculatura na hora da execução.
Roupas adequadas no inverno - Foto: Getty Images
Roupas adequadas: usar roupas normais e em excesso pode fazê-lo suar mais, fazendo com que o rendimento caia e leve à fadiga. Raul Santo afirma que é importante usar roupas específicas para a atividade física, pois elas facilitam o processo de sudorese.

Outra recomendação é sempre manter bem aquecidas as extremidades do corpo, como mãos, pés e cabeça, pois no frio nosso corpo concentra o calor em seu centro. Então, não se esqueça das luvas, meias e touca! "Se a pessoa sentir calor durante o treino, ela pode retirar o excesso de roupas aos poucos, mas nunca tudo de uma vez, pois o corpo pode sofrer o choque térmico", diz o fisiologista.
No frio, também é essencial usar roupas sempre bem secas. Caso contrário, você estará mais suscetível a doenças.
Cuidado com a intensidade do exercício - Foto Getty Images
Diminua a dose: no inverno, o rendimento também cai, até por conta do excesso de roupas. "Nessa fase, por cautela e para evitar lesões, é importante dosar mais os treinos, tanto em volume quanto em velocidade", aconselha Raul.
Por isso, comece mais leve e vá aumentando o ritmo no decorrer da semana ou do próprio dia, sempre respeitando seus limites. "O que não pode é treinar forte todos os dias, pois o organismo não vai suportar a demanda", alerta o especialista.
Evite lugares com poluição - Foto: Getty Images
Evite lugares com muita poluição: fazer exercícios em grandes avenidas ou cursos que tenham muitos carros prejudica o rendimento. A poluição deixa o ar mais denso e seco. Por isso, se for treinar ao ar livre, prefira horários de menor fluxo.
Protetor solar - Foto: Getty Images
Use protetor solar e labial: frio não é desculpa para deixar de lado a proteção da pele. O sol continua lá e o ar está mais seco do que nunca. Por isso, é essencial usar protetor solar - na pele e nos lábios - mesmo quando o calor vai embora.
Beba água sempre - Foto: Getty Images
Continue tomando bastante água: é comum sentirmos menos sede nos dias frios, entretanto, quando o assunto é exercício físico, devemos fugir a essa regra. "Deve-se beber água também durante o percurso, pois a boca fica muito seca por causa da baixa umidade", diz Raul, que também recomenda a ingestão de frutas e legumes, ricos em água em sua composição e importantes para a hidratação plena do nosso corpo.
Troque a roupa úmida - Foto: Getty Images
Troque de roupa: imediatamente após o término do exercício você deve tirar as roupas que estava usando e trocar por outras secas, mesmo que vá tomar banho só quando chegar em casa.
Raul Santo explica que, quando você termina de treinar, suas roupas estão úmidas, o que pode prejudicar regulação da sua temperatura corporal, gerando uma hipotermia. Se for tomar banho, a temperatura deve ser de morna a quente e a vestimenta do pós-treino deve incluir um agasalho.
Evite o frio após o treino
Não se exponha ao frio após o treino: no pós-treino, é importante não se expor ao frio, pelo mesmo motivo que devemos trocar de roupa. O corpo está quente por causa da atividade física e expô-lo imediatamente ao frio pode causar uma inversão térmica, seguida de hipotermia. "O corpo deve esfriar gradualmente", afirma Raul.
Atividade ao ar livre - Foto Getty Images
Prefira lugares abertos: essa regra vale tanto para quem treina ao ar livre quanto para os atletas de academia. As chances de contrairmos algum vírus ou infecção são maiores no frio, principalmente se estamos em lugares muito fechados ou pouco ventilados. Por isso, prefira ambientes bem abertos ou certifique-se de que o sistema de ventilação da sua academia está funcionando corretamente.

FONTE:http:// www.minhavida.com.br




Largue o sedentarismo e se proteja de 9 doenças

Veja por que os exercícios contribuem para um coração forte e emoções equilibradas

Pouco tempo, preguiça, vergonha de encarar a academia ou falta de dinheiro são motivos comuns para correr dos exercícios. Mas nenhum deles ganha - ou deveria ganhar! - da lista de benefícios que você usufrui quando começa um treino regular. "O sedentarismo favorece uma série de doenças, além de agravar muitos problemas de saúde. Combatê-lo é uma forma de viver mais e melhor", afirma o endocrinologista Paulo Rosenbaum, do Hospital Albert Einstein. Diabetes, hipertensão, doenças cardiovasculares e até problemas emocionais são controlados com um treino bem elaborado.

Não à toa, para a Organização Mundial de Saúde (OMS), o sedentarismo é considerado uma doença e seus males podem ser comparados aos do tabagismo. Assim, no Dia do Atleta, o Minha Vida contou com um time de especialistas para montar uma lista de inimigos que você deixa para trás quando começa a mexer o corpo - nem precisa correr muito, basta manter o pique moderado e frequente e nenhuma deles vai conseguir te alcançar.



Mulher ansiosa - Foto Getty Images


Ansiedade
Tensão constante, preocupação, medo e até falta de controle sobre as próprias ações são alguns dos sintomas dos transtornos de ansiedade. Todas essas condições são intensificadas pelo sedentarismo, pois há inibição da produção de endorfinas, neurotransmissores que proporcionam uma sensação relaxante e de bem-estar, explica o médico do esporte Ricardo Nahas, do Hospital 9 de Julho. Assim, quem pratica exercícios consegue lidar melhor com a ansiedade e até tem uma noite de sono mais tranquila e ganhando produtividade durante o dia.
Diabetes
Segundo o endocrinologista Paulo, o aumento da gordura localizada, principalmente na região abdominal, é um dos principais fatores que levam ao quadro de resistência à insulina. "O hormônio sintetizado no pâncreas não consegue mais agir no organismo, fazendo com que o nível de açúcar no sangue fique muito elevado", explica. A melhor forma de se prevenir contra o diabetes é aliando uma boa alimentação à prática regular de exercícios físicos.s
Câncer
Alguns tipos de câncer, como o de mama e o de próstata, estão diretamente associados à obesidade, uma das principais doenças decorrentes do sedentarismo. Isso porque o excesso de peso aumenta a produção de radicais livres pelo corpo, fazendo com que o organismo não dê conta de combatê-los. Isso origina pequenas inflamações que podem se tornar um câncer. Além disso, pessoas que praticam exercícios também costumam ter hábitos de vida mais saudáveis, como se alimentar de maneira equilibrada e fazer exames médicos rotineiramente.
Pressão alta
"Indivíduos sedentários obrigam o coração a trabalhar mais: o músculo cardíaco precisa fazer mais pressão para que o sangue consiga correr por todo o corpo, aumentando a pressão arterial", explica o cardiologista Rui Ramos, diretor da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo (SOCESP). Por isso, quem realiza atividades físicas não só reduz a pressão como ainda previne contra o aparecimento da doença, pois aumenta a capacidade e a resistência cardiovascular.
Obesidade
Se o organismo consegue aproveitar tudo o que você come, seu peso permanece estável. Mas se, por outro lado, há excesso no consumo ou falta de estímulos para a queima de energia, o resultado será o ganho de peso. "Cultivar uma alimentação saudável e praticar exercícios, que aceleram o metabolismo, é a receita Ideal contra a obesidade", afirma Paulo Rosenbaum.
Osteoporose
"Os exercícios ajudam na formação de massa óssea e, por isso, previnem o desenvolvimento da osteoporose", afirma Ricardo Nahas. Segundo ele, a atividade física também ajuda a fixar o cálcio nos ossos, o que é fundamental para evitar a doença, uma vez que ela é causada pela progressiva descalcificação.
Doenças cardiovasculares
"Durante a prática de exercícios, o coração aumenta a produtividade, tornando-se capaz de suprir demandas maiores de oxigênio e nutrientes pelas células", afirma o clínico da Unifesp Paulo Olzon. O sedentário, por sua vez, não estimula o coração, ficando sujeito ao aparecimento de doenças cardiovasculares ocasionadas pelo endurecimento das artérias e pela formação de placas de gordura nos vasos sanguíneos.
Trombose
O sedentarismo favorece a formação de trombos (coágulos sanguíneos) nas pernas. A prática de exercícios estimula a circulação e previne o problema de forma natural. "Se você passa muito tempo sentado, organize a rotina para se levantar e fazer breves caminhadas algumas vezes ao dia. Essa é uma maneira simples de estimular a circulação e evitar a trombose", afirma o cardiologista Rui Ramos. A tática torna-se ainda mais eficiente combinada à prática de exercícios físicos regulares.
Depressão
'O sedentário não tem disposição para executar as tarefas do trabalho, realizar programas de lazer e ainda se entrega mais facilmente a vícios, como o alcoolismo", afirma o médico do esporte Ricardo. Se você já tem predisposição à depressão, a ausência de atividades físicas acentua ainda mais esta tendência. Por outro lado, aderir a um treino regular pode funcionar como coadjuvante no tratamento da doença.


FONTE:http:// www.minhavida.com.br



Exercício ideal de acordo com cada objetivo.
Um programa completo de atividade física deve conter, os exercícios aeróbios, os anaeróbios e os exercícios que melhorem a flexibilidade mobilidade articular
Se você deseja melhorar como um todo, o ideal é que faça estes três tipos de atividade. Desta forma você conseguirá os seguintes benefícios:
- Melhora do seu condicionamento cardio respiratório;
- Aumento da resistência, força e massa muscular;
- Aumento da flexibilidade;
- Maior mobilidade articular;
- Mudança da sua composição corporal, aumentando a massa muscular e diminuindo a porcentagem de gordura;
- Perda, manutenção ou ganho do peso corporal (dependendo do tipo de treino, carga);
- Prevenção de doenças ou ajuda no controle de algumas doenças;
- Melhora da coordenação, do ritmo e da memória;
- Bem estar e diminuição do estresse do dia-a-dia.
Apesar disso, algumas pessoas se focam num determinado objetivo e dispõe de pouco tempo para a prática dos exercícios. Nós sabemos que a regularidade na dieta e nos exercícios é que trarão a você os resultados esperados e que fazer exercícios 5 a 6 vezes por semana é melhor do que fazer 3 vezes por semana. Mas como nem sempre temos 6 dias na semana disponíveis para os exercícios, o ideal neste caso é que você permaneça o mais ativa possível e que tente fazer alguma atividade pelo menos 3 vezes na semana.
Muitas pessoas têm um objetivo específico e desejam saber qual a atividade mais indicada para alcançar este objetivo. Pensando nisto, relacionamos as atividades mais direcionadas em cada caso, embora você saiba que precisa dos exercícios aeróbios, dos anaeróbios e de muito alongamento.
Melhora do condicionamento cardio respiratório: Exercícios aeróbios como caminhada, corrida, bicicleta, dança, hidroginástica, spinning, step, transport, natação, jogos como futebol, voleibol etc...
Os exercícios anaeróbios também melhoram o condicionamento cardio respiratório, mas em menor proporção aos aeróbios. Além disso, se você deseja correr uma maratona, o foco são os treinos de corrida embora você deva fazer os anaeróbios e também os alongamentos.
Aumento da resistência muscular: Musculação ou exercícios resistidos (com pesos). Geralmente treinos com pouca carga e muitas repetições (em média de 30 a 40 repetições). Mas os aeróbios também são indicados. Você pode fazer um circuito alternando os exercícios aeróbios com os resistidos (com pesos). Pilates, aula de localizada, treinamento em cirucito, alternando os aeróbios e os exercícios com pesos, aula de trx ( treinemento em suspensão).
Aumento da força e da massa muscular: Musculação, com treinos com mais carga e poucas repetições. Existem muitos tipos de treinos de musculação. O ideal é mudar os treinos a cada 2 a 3 meses para dar novos estímulos ao músculo. Aula de body pump.
Enrijecimento ou endurance: Musculação. Você poderá alternar treinos com pouca carga e muitas repetições e treinos com muita carga e poucas repetições. Pilates, aula de localizada ou body pump.
Amenizar a gordura localizada: Você deverá fazer tanto os aeróbios de 5x a 6x por semana quanto os anaeróbios com muita carga e poucas repetições. Mas lembramos que dependendo do caso e do seu objetivo, apenas a cirurgia resolve.
Celulite e flacidez: Você deverá fazer tanto os aeróbios de 5x a 6x por semana quanto os anaeróbios com muita carga e poucas repetições. Uma drenagem linfática 2x na semana também ajuda as pessoas que retém muito líquido.
Melhora da coordenação, do ritmo e da memória: Aulas de dança, step, jump, body attack entre outras, embora você possa melhorar nestes quesitos também com alguns exercícios anaeróbios e outras atividades.
Perda de peso ou mudança da sua composição corporal: Você deve fazer exercícios aeróbios de 5x a 6x por semana, exercícios anaeróbios de 3x a 5x por semana e alongamentos.
Melhora da flexibilidade e mobilidade articular: Alongamentos, Yoga, Pilates, embora você também desenvolva outros benefícios com estas aulas.
Tudo isto deve ser associado a uma dieta alimentar balanceada e feito com acompanhamento de um bom profissional que mude o seu treino sempre que necessário.
O importante é fazer uma atividade que lhe de prazer, mas se você não sente prazer em nenhuma atividade a ajuda de um Personal Trainer que te dê estímulos e ânimo, pode funcionar.
Agora, se você é daqueles que adora jogar um futebol ou outro esporte coletivo nos finais de semana, ótimo,
mas mesmo assim é importante fazer um trabalho de fortalecimento muscular com a musculação, treinos de corrida que irão melhorar a sua performance no jogo e muito alongamento para relaxar a musculatura e aumentar a sua flexibilidade, caso contrário este futebol nos finais de semana poderá acarretar lesões devido a sobrecarga da atividade e falta de preparo muscular e do condicionamento físico.

FONTE:http:// www.dietaesaude.com.br


Quatro exercícios que garantem motivação

O aparecimento rápido de resultados faz você treinar com mais disposição

Abdominal, flexão de braços, agachamento e elevação dos calcanhares são alguns tipos de ginástica que possibilitam, quando feitos da maneira correta, resultados práticos e rápidos irão aparecer e você se sentirá muito mais motivado (a). Se você está há muito tempo tentando praticar alguma atividade e nunca dá certo, esses exercícios vão descomplicar sua vida e te dar força para seguir qualquer outro programa.

- Abdominal: Deite num colchonete, talha ou tapete dobrados. Os joelhos flexionados e pés alinhados e apoiados no chão. A coluna vertebral deve estar bem alinhada ao chão e com quadril levemente encaixado. Estender os braços a frente do peito com as mãos unidas. Depois, é só subir e descer o tronco sem encostar a cabeça no chão e sem movimentá-la.

- Flexão de braços: Ajoelhe no colchonete, abra os braços e apóie as mãos no chão, alinhadas aos ombros. Encaixe o
quadril para proteger a região lombar. Flexione os cotovelos como se fosse encostar o peito no chão.












- Agachamento: Em pé, separe as pernas alinhadas com o quadril. Agache e levante como se fosse sentar em uma cadeira. Sempre contraia o abdome na hora de agachar.

- Elevação de calcanhares: Em pé, posicione na frente de uma parede ou cadeira, com as
pernas levemente fechadas. Depois, eleve os calcanhares e volte sem encostá-los no chão. Repetições Inicie a primeira semana com 5 repetições para cada exercício, um dia sim e o outro não, e, vá intercalando mais 2 ou 3 a cada semana que passa. Quando estiver completando 15 repetições, meu conselho é que você faça desta forma:
1ºdia - 1x15;
2ºdia - Caminhada ou dança;
3ºdia - 2x15;
4ºdia - Caminhada ou dança;
5ºdia ? Forte repetição de cada exercício;
6ºdia - Caminhada ou dança
7ºdia - DESCANSO.

Sabe o que faz a diferença para os exercícios darem resultados? Disciplina e fazê-los com gosto. EXPERIMENTE!
FONTE:http:// www.minhavida.com.br

 
ENTENDA PORQUE É IMPORTANTE ALONGAR O CORPO


casal alongando no parque - Foto Getty Images

Antilesões
A ciência ainda não comprova. Mas a experiência prática indica que se alongar com regularidade diminui a predisposição às lesões. Isso sem esquecer que alongar, além de fortalecer a musculatura, aumenta o gasto calórico. Numa aula mais prolongada, você ainda sente os efeitos da liberação de substâncias ligadas ao bem-estar, como a endorfina.
Respire fundo
Não segure a respiração enquanto estiver alongando. Se uma determinada posição provocar tensão, inspire para aumentar o ciclo de oxigênio e relaxar o músculo. Aos pouquinhos, você vai sentir o movimento mais fluido, mesmo que sem aquela elasticidade exibida pelas ginastas.
Faça em dupla
Os alongamentos podem ser divididos em ativo e passivo. O primeiro é feito sozinho, sendo conhecido por autoalongamento. Já o alongamento passivo é feito com ajuda de outra pessoa e, normalmente, tem uma ação muito mais intensa. Só tome cuidado para não ir muito além dos seus limite e acabar se machucando. Na dúvida, peça orientação de um professor.
Suavidade é o segredo
Os movimentos devem ser sempre lentos e suaves. Preste atenção para não deslocar demais o quadril ou pressionar as vértebras. "Seu corpo merece respeito" , diz Robson. Os músculos têm capacidade de adaptação a qualquer tipo de treino. Mas é preciso ira avançando com calma. Para isso, segure pelo menos um minuto em cada uma das posições realizadas.
Corpo feliz
Com o alongamento frequente, você tonifica a musculatura, oxigena melhor todas as células e a queima de calorias ocorre com mais eficácia. Sua postura também melhora, pois para cada movimento são solicitados músculos específicos, sem compensações. O alongamento reduz as tensões articulares, muitas vezes responsáveis por lesões, principalmente em pessoas idosas e sedentárias" , afirma o instrutor da Competition.
Pela ordem
O alongamento deve ser feito na seguinte sequência:

1. Mobilidades articulares: ombros, punhos, dedos, quadril, pé e pescoço
2. Pequenos grupos musculares: bíceps, tríceps, antebraço, panturrilha
3. Grandes grupos musculares: quadríceps, peitoral, grande dorsal e coluna
Sinta na pele
Esquecer o alongamento depois do treino é certeza de músculos tensos. "Sem ele, há aumento na compressão dos tendões e diminuição da mobilidade para realização dos exercícios", relata o professor. "O estresse contínuo, ao longo do tempo, pode acarretar uma lesão". Comece a praticar e sinta a melhora na agilidade, na força e na velocidade dos seus exercícios.


FONTE:http:// www.minhavida.com.br